Busca:

Jane Duboc

Jane Duboc Vaquer
16/11/1950 Belém, PA

Dados Artísticos

Em 1971, defendeu a canção "No ano 83", de Sérgio Sampaio, no VI Festival Internacional da Canção (Rede Globo).

De 1972 a 1976, morou nos Estados Unidos, onde estudou na Faculdade de Música da Universiade da Geórgia (orquestração, canto lírico, flauta e arte dramática), além de atuar como cantora, compositora e instrumentista, cantando em bares, boates, clubes e igrejas.

Em 1977, voltou para o Brasil, onde formou o Grupo Fein , que se apresentava cantando somente em inglês. Lançou o compacto "Pollution", cuja música, de sua autoria, foi gravada só em vocalise porque a letra foi vetada pela Censura. O disco foi produzido por Raul Seixas, com quem atuou em shows e gravações. Também nos anos 1970, integrou a Banda Veneno, do maestro Erlon Chaves, e o coral da Rede Globo, gravando várias aberturas de programas. Participou, também do disco "Linguinha", de Chico Anysio e gravou com o guitarrista norte-americano Jay Anthony Vaquer, com quem foi casada, o LP "Morning The Musicians" (RCA), que contou com a participação de Luiz Eça, Paulo Moura, Noveli e Bil French. Excursionou com Egberto Gismonti nos shows "Água e Vinho I e II", com quem gravou vocais e percussão no CD "Árvore". Ao lado de Sérgio Sampaio, interpretou, no VI Festival Internacional da Canção, a música "No ano 83". Gravou as trilhas sonoras do filme "Janaina" e da peça "Encontro no bar". Cantou músicas folclóricas regionais no LP "Acalantos brasileiros" e na série "Música popular do Norte", para o selo Marcus Pereira,. Compôs e gravou, com Guto Graça Melo, a trilha sonora do filme "Amor bandido", de Bruno Barreto. Ainda nos anos 1970, foi integrante da Zurama Jingles, gravando comerciais para a produtora de Ivan Lins, Eduardo Souto Neto, Tavito e Paulo Sergio Valle, com destaque para o comercial da Soletur Turismo, veiculado em rede nacional de Televisão. Fez parte da Rio Jazz Orquestra, de Marcus Spillman, cantando temas de Duke Ellington e outros nomes do jazz. Participou das gravações de discos dos grupos Os Motokas e Os Skates, ao lado de Claudinha Telles e do Grupo Roupa Nova, que na época atuava como Os Fanks.

Em 1980, gravou seu primeiro disco solo, "Languidez", que contou com a participação de Toninho Horta, Djavan, Sivuca, Hélio Delmiro, Luis Avelar e Osvaldo Montenegro. No repertório, sua composição "Meu homem", além de canções como "Cachoeira" (Osvaldo Montenegro), "Manoel, o audaz" (Toninho Horta e Fernando Brant), que ganhou clipe no programa "Fantástico" (Rede Globo) e "Que outro dia amanheça" (Edson e Terezinha), que ocupou os primeiros lugares nas emissoras de rádio do país, entre outras. Participou do festival MPB-80 (Rede Globo), interpretando a canção "Saudade" (Nato Gomes), registrada no LP "MPB 80 - Vol. 2" (Som Livre). Integrou o grupo vocal Cantamor. Participou de vários especiais da Rede Globo, como os de Roberto Carlos e Fábio Jr., além dos infantis "Pirlimpimpim", "Arca de Noé - 2" e "Verde que te quero ver" (Paulinho Tapajós e Edmundo Souto), entre outros, cujas trilhas foram registradas em disco. Ainda na década de 1980, Jane Duboc percorreu o Brasil fazendo shows com Filó, Hélio Delmiro, Tunai, Aécio Flavio, Pery Ribeiro, Márcio Montarroyos, Toninho Horta e Miucha, além de Toquinho, com quem excursionou pelo país com o show "Doce vida", viajou pela Itália e gravou um disco em Milão.

Em 1982, lançou o LP "Jane Duboc", que incluiu sua composição "Eu no sol" (c/ Osvaldo Montenegro) e as canções "Som pra sumir" (Gilberto Gil) e "Água" (Fátima Guedes), entre outras. Ainda nesse ano, participou do "MPB-Shell", classificando a música "Tentação" (Tunai e Sérgio Natureza).

Em 1983, interpretou a faixa "A valsa dos clowns" (Edu Lobo e Chico Buarque) no disco "O Grande Circo Místico".

Em 1985, gravou o LP "Ponto de partida", que contou com a participação de Toquinho.

Em 1986, apresentou-se para um público de 30.000 pessoas no show comemorativo do aniversário de Belo Horizonte (MG), realizado no Parque das Mangabeiras.

Em 1987, lançou o LP "Jane Duboc", com destaque para "Chama da Paixão" (Thomaz Roth e Cido Bianchi) e "Sonhos" (Lincoln Olivetti, Robson Jorge e Mauro Motta), além de sua composição "Minas em mim" (c/ Luca) e canções de Milton Nascimento, Toninho Horta e Tavito, entre outros, com arranjos de César Camargo Mariano, Chiquinho de Morais e Cido Bianchi. O sucesso e o reconhecimento nacional vieram nesse ano com as músicas "Chama da paixão" e "Sonhos", que tiveram grande execução nas emissoras de rádio, o que lhe valeu convites para apresentações em vários programas de televisão, abrindo caminho para sua participação em trilhas de novelas da Rede Globo, como "Fera Radical", com a música "Sonhos" e "Vale Tudo" (Rede Globo), com a música "Besame" (Flávio Venturini e Murilo Antunes).

Em 1988, gravou o LP "Feliz", que incluiu "Como se deixa passar", de sua autoria, além das canções "Só nós dois" (Thomaz Roth e Cido Bianchi), "De corpo inteiro" (Aécio Flávio e Luiz Fernando), "Louco amor" (Claudia Olivetti, Lincoln Olivetti e Robson Jorge), "De corpo inteiro", tema da novela "O Salvador da Pátria" (Rede Globo), e "Vem pra mim", versão de Rosana Hermann para a música "Now and forever". Fez vários shows, inclusive um gravado ao vivo, no Teatro Bandeirantes, que se tornou um especial de Televisão.

Em 1990, estreou, no Ópera Room (SP), o espetáculo "Movie Melodies", interpretando exclusivamente clássicos do cinema norte-americano como "As time goes by" (Herman Hupfeld), "True love" (Cole Porter) e "Bewitched" (Rodgers e Hart), entre outras. Seguiu com o show por várias cidades brasileiras.

Lançou, em 1991, o CD "Além do prazer" e, em 1992, o CD "Brasiliano" (Globo Records/Itália), contendo músicas italianas, e o CD "Movies melodies", pelo qual foi contemplada com o Prêmio Sharp, na categoria de Melhor Cantora. Também em 1991, realizou o show "Beatles Mulher", cantando músicas do quarteto de Liverpool.

Em 1993, lançou o CD "Jane Duboc". Também nesse ano, apresentou-se ao lado de Sílvia Goes e Keko Brandão no Centro Cultural São Paulo, com o show "Tríade", com textos de Paulo Bonfim e releituras, apenas com vocalises, de obras de Enya, Hermeto Paschoal, Vangelis, Edú Lobo e Tom Jobim, entre outros. Ainda em 1993, viajou aos Estados Unidos, onde gravou, com o saxofonista Gerry Mulligan, o CD "Paraíso", com destaque para sua composição "Bordado". O disco foi lançado no ano seguinte.

Em 1995, lançou o CD "Partituras", interpretando exclusivamente canções de Flavio Venturini, como "Sobre o mar" (c/ Alexandre Blasifera) e "Nuvens" (c/ Ronaldo Bastos), além da faixa-título, de sua parceria com o compositor.

Em 1996, inaugurou, com o maestro Roberto Sion, o maior centro de convenções da cidade de Gifu (Japão). O show apresentado nessa ocasião gerou o CD "From Brazil to Japan", que incluiu canções como "Alguém cantando" (Caetano Veloso), "Manhã de Carnaval" (Luiz Bonfá e Antonio Maria) e "Se todos fossem iguais a você" (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), entre outras.

Em 1998, gravou, com Sebastião Tapajós, o CD "Da minha terra", homenageando compositores paraenses.

No ano seguinte, lançou o disco "Clássicas", com Zezé Gonzaga, que registrou canções como "Linda flor (Ai, Ioiô)" (Henrique Vogeler, Luis Peixoto e Marques Porto) e "Sem fantasia" (Chico Buarque), entre outras.

Em 2001, abriu, em sociedade com o marido, Paulo Amorim, a gravadora Jam Music, pela qual lançou discos de vários artistas, como Beth Carvalho, Celso Viáfora e Angela Rô Rô, entre outros, além do filho Jay Vaquer.

Em 2002, lançou o CD "Sweet Lady Jane", contendo as canções "Verão" (Rosa Passos e Fernando de Oliveira), "Por causa de você" (Tom Jobim e Dolores Duran), "Pr'um samba" (Egberto Gismonti), "If it's Magic" (Stevie Wonder), "De alma e corpo" (Ivan Lins e Celso Viáfora), "Blues afins" (Tunai e Sérgio Natureza), "It Might as Well be Spring" (R. Rodgers e Hammerstein), "Lady Jane" (Mick Jagger e Keith Richard), "Pra dizer adeus" (Edu Lobo e Torquato Neto), "Evermore" (Ivan Lins e Will Lee", "Photograph (Fotografia)" (Tom Jobim e Ray Gilbert) e "Don't Ever Go Away (Por Causa de Você)" (Tom Jobim e Ray Gilbert).

Em 2003, o disco "Languidez" (Aycha/1980), foi relançado em CD pelo selo Jam Music, a partir de um vinil da época cedido por um fã, já que as fitas originais do disco foram perdidas numa enchente nos anos 1980.

Ao longo de sua carreira, participou da gravação de mais de cem discos de vários artistas, como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Chico Buarque, Hermeto Pascoal, Roberto Sion e Sarah Vaughan.

Além de sua atuação no cenário musical, dedica-se também à literatura, tendo publicado um livro de poemas, "Através das paredes", e dois livros infantis, "Jeguelhinho" e "Bia e Buze", lançados pela editora paraense Cejupe.

Em 2007, apresentou-se no Teatro Rival-Petrobras, no Rio de Janeiro, ao lado do contrabaixista, violonista e guitarrista Arismar do Espírito Santo, com o show "Uma porção de Marias". O espetáculo contou com a participação de Beth Carvalho, Lenine e Zezé Motta. No repertório, "Maria" (Ary Barroso e Luiz Peixoto), "Emília" (Wilson Batista e Haroldo Lobo), "Marina" (Dorival Caymmi) e "Ai, que saudades da Amélia" (Ataulfo Alves e Mário Lago). Em parceria com o violonista e contrabaixista Arismar do Espírito Santo, lançou, nesse mesmo ano, o CD “Uma porção de Marias”, contendo as canções “Rosa Morena”, “Maracangalha” e “Marina”, todas de Dorival Caymmi, “Doralice” (Dorival Caymmi e Antonio Almeida), “Maria” (Luiz Peixoto), “Pra machucar meu coração” (Ary Barroso), “Emilia” (Wilson Batista e Aroldo Lobo), “Adeus América” (Wilson Batista e Geraldo Jacques), “Maria Moita” (Carlos Lyra e Vinicius de Moraes), “Ai que saudade da Amélia” (Mario Lago e Ataufo Alves) e “Último desejo” (Noel Rosa).

Em 2009, lançou, ao lado do guitarrista Victor Biglione, o CD “Tributo a Ella Fitzgerald - Jane Duboc e Victor Biglione”, com as faixas "Someone to Watch Over Me", "Embraceable You", "How Long Has This Been Going On", "Love Is Here To Stay" e "A Foggy Day", todas de George Gershwin e Ira Gershwin, “Night and Day" (Coler Porter), "Stormy Weathern" (Harold Arlen e Ted Koehler), "Ain't Got Nothing But the Blues" (Don George e Duke Ellington), "Bonita" (Antonio Carlos Jobim e Ray Gilbert), "Here is That Rainy Day" (Jimmy Van Heusen e Johnny Burke), "Autumn in New York" (Vernon Duke), "April in Paris" (Vernon Duke e E. Y. Harburg), "Satin Doll" (Duke Ellington, Billy Strayhron e Johnny Mercer), "Come Rain or Come Shine" (Harold Arlen e Johnny Mercer), "Angel Eyes" (Matt Dennis e Earl Brent), "Lush Life" (Billy Strayhorn).

Lançou, em 2010, o CD “Canção da espera”, contendo exclusivamente composições de Egberto Gismonti: “Quatro cantos”/ “Memória e fado”, “Ano Zero”, “Sanfona”, “Água e vinho“, “Bodas de prata”, “Auto-retrato”, “Janela de ouro”, “Feliz Ano Novo” e a faixa-título, todas com Geraldo Carneiro, e ainda “Saudações” (c/ Paulo César Pinheiro) e “Mais que a paixão” (c/ João Carlos Pádua). O disco, com arranjos assinados por Gilson Peranzzetta, Fernando Merlino e Lula Galvão, contou com a participação dos músicos Zeca Assumpção (baixo), Jorge Helder (baixo), Mauro Senise (flautas e sax), Hugo Pilger (cello), João Cortês (bateria) e Pantico Rocha (bateria e percussão) e ainda com a participação especial do bandolinista Hamilton de Holanda (na faixa “Memória e fado”) e dos cantores Pery Ribeiro (na faixa “Janela de ouro”), Olívia Byington (na faixa “Sanfona”) e Jay Vaquer (em dueto com a mãe na faixa “Ano Zero”).

Em 2011, lançou o CD “Sweet Face of Love - Jane Duboc Sings Jay Vaquer”, cantando músicas de seu filho com versões em inglês assinadas por Jeff Gardner e E. Miranda Moreira. O disco contou com a participação dos músicos Rob Mounsey (piano e arranjos), Lula Galvão (violão), Alberto Continentino (baixo), André Vasconcelos (baixo), Márcio Bahia (bateria), Pantico Rocha (bateria) e Cristina Braga (harpa), e com a participação especial dos cantores Milton Nascimento, Jorge Vercillo, Pedro Mariano, Jay Vaquer e Isabella Taviani, em participações especiais.

Em 2012, juntou-se a Célia Vaz, Marcio Lott e Clarisse Grova, na formação do grupo Voz4uatro, originado do grupo Nós Quatro, constituído pelos três e mais a cantora Fabíola. Com o conjunto, apresentou-se, nesse mesmo ano, no espaço Ameno Resedá (RJ).

Mais visitados
da semana

1 Chitãozinho e Xororó
2 Leo Canhoto e Robertinho
3 Nelson Cavaquinho
4 Caetano Veloso
5 Chico Buarque
6 Noel Rosa
7 Festival da Música Popular Brasileira (TV Record)
8 Mariúza
9 Tom Jobim
10 Assis Valente