Busca:

J. Prates

José Prates da Silva Moura
12/2/1928 Recife, PE
19/12/2004 Sidney, Austrália

Dados Artísticos

Sua carreira artística se iniciou em 1949, quando entrou na livraria Askanasy, de propriedade do escritor e jornalista polonês fugido da Alemanha nazista Miécio Askanasy. Nela ensaiava o Grupo dos Novos criado por Haroldo Costa e o diretor de teatro Wanderley Batista. Askanay convidou-o então para fazer parte do Grupo dos Novos como músico. Mais tarde, atuou como dançarino e coreógrafo. Em janeiro de 1950, o grupo estreou no Teatro Ginástico, no Rio de Janeiro. Encerrada a temporada carioca o grupo foi para São Paulo e passou a ser empresariado por Mariano Norsky que sugeriu a troca do nome do grupo para Brasiliana. Em seguida foram feitas apresentações em diferentes estados brasileiros e logo seguiu para uma excursão pela América do Sul percorrendo Uruguai, Chile, Equador, Peru, Colômbia e Venezuela. Em seguida, fez uma excursão mundial com apresentações na Espanha, Itália, Suíça, Bélgica, Holanda, Portugal, França, Irlanda, Suécia, Finlândia, Noruega, Tunísia, Argélia, Marrocos, Alemanha, Inglaterra e a então Iugoslávia. Conheceu a cantora Inezita Barroso durante a apresentação do espetáculo  musical Carrossello Napoletano, no Theatro Municipal. Segundo a própria Inezita Barroso: "Em 1954, gravei nos estúdios da RCA Victor duas músicas dele para dois diferentes compactos: ‘Soca Pilão’ e ‘Pregão da Ostra’, ambos cantos de trabalho adaptados por ele. Aliás, o ‘Soca Pilão’ tem um tambor com uma batida africana que dificilmente se encontra hoje em dia. Também tinha uma amplitude grande e uma variação melódica sofisticadíssima. E ‘Pregão da Ostra’ fez um sucesso absurdo, talvez o maior que conheci dele". Em 1955, foi lançado o LP "Brasiliana - Teatro Folclórico Brasileiro", pela gravadora Columbia e com o pianista Nelson Ferraz. Para este disco fez alguns arranjos e teve gravada sua composição "Carrapatão". No mesmo ano, teve gravado seu "Maracatu elegante" pela cantora Inezita Barroso. Em 1958, fez os arranjos e dirigiu a orquestra na gravação do LP "Tam... Tam... Tam...! - Conjunto Brasiliana", da gravadora Polydor, no qual foram gravados diversos temas tradicionais além de suas composições "Maracatu", "De Luanda-ô", "Maracatu Elegante", "Nega Zefinha" e "Tem Brabo no Samba". No mesmo ano, a orquestra  Brasiliana De Miécio Askanasy gravou pela Polydor os temas tradicionais "Imbarabaô" e "Oniká", com adaptações suas. Acompanhou a orquestra  Brasiliana de 1950 a 1961. Quando da volta da terceira excursão o grupo se desfez. Seguiu então carreira solo e foi trabalhar no Teatro Olympia, em Paris reformando partituras de música brasileira e trabalhou ao lado da cantora britânica Petula Clark e do cantor e compositor belga Jacques Brel. Em 1966, teve seu "Maracatu elegante" gravado por Inezita Barroso no LP "Vamos falar de Brasil novamente" da gravadora Copacabana. Em 1967, a Brasiliana voltou a realizar uma longa excursão pela Europa que se estenderia até 1973. Ainda em 1967, destacou-se com a Brasiliana, no Concerto Anual Beneficente da Unicef, realizado em Paris, atuando ao lado do grupo The Beach Boys, Victor Borge e Ravi Shankar. Em  1969, o cantor Germano Batista, no LP "Um sambista 100%", da gravadora Copacabana, registrou o samba "Ojô Obê Indé", com Fernando Luis e João Costa Neto. No mesmo ano, seu "Coco Verde" foi gravado por  Inezita Barroso no LP "Recital Nº 2", da gravadora Copacabana. Por volta de 1972, passou a atuar no grupo Brasil Tropical criado na Bahia e que seguia as trilhas da Brasiliana. Em 1974, foi lançado na Alemanha o LP "Brasil tropical" com várias composições de sua autoria. Em 1977, também na Alemanha, gravou o LP "Festa brasileira". No início dos anos 1980, voltou ao Brasil e passou a tocar no Hotel Nikei, na região central de São Paulo, e na churrascaria Plataforma, na Avenida Paulista, em shows para estrangeiros.  No começo dos anos 1990, com o fechamento da churrascaria Plataforma, ficou sem trabalho e acabou imigrando para a Austrália indo morar em Sidney onde tornou-se pioneiro no ensino de dança latina na Austrália. Montou então a Big Band Tropicana promovendo shows de música popular brasileira. Em 2000, promoveu espetáculos em comemoração aos 500 da descoberta do Brasil. Apresentou-se também com a Big Band Tropicana durante as Olimpíadas de Sidney.

Mais visitados
da semana

1 Dorival Caymmi
2 Luiz Gonzaga
3 Elza Soares
4 Assis Valente
5 Caetano Veloso
6 Nelson Gonçalves
7 Jane e Herondy
8 Tom Jobim
9 Nelson Cavaquinho
10 Noel Rosa