Busca:

Ita Caiubi

Ita Caiubi
Circa 1900 Rio de Janeiro
Circa 1970 Rio de Janeiro

Dados Artísticos

Sua carreira artística se desenvolveu na década de 1920 e começo da década de 1930 quando atuou em revistas musicais no Rio de Janeiro. Em 1928, atuou na revista "Eu quero é nota", de Nelson Abreu, Luís Iglézias e Geysa Bóscoli, título inspirado em uma composição de Sinhô, com músicas de A. Paraguaçu e Sinhô, estreada no Teatro Carlos Gomes e na qual ela interpretou o samba "Canjiquinha quente", de Sinhô. Em 1930, gravou com acompanhamento da orquestra Copacabana os sambas "Canjiquinha quente", de Sinhô, e "Não força amor", de J. A. de Castilho, também conhecido como "Batatinha". Em 1931, gravou o samba "Meu mulato", de João de Barro e Júlio Casado, em disco que trazia no lado B a cantora Zaíra de Oliveira interpretando "Carteira vazia", de autoria da própria Zaíra de Oliveira. De curta carreira fonográfica deixou três músicas gravadas na Odeon. Em 2003, o selo Revivendo lançou uma série de 3 CDs em homenagem ao compositor Sinhô com o título de "Fala meu louro". No volume 3 está a gravação original de "Canjiquinha quente". No encarte do CD o pesquisador Abel Cardoso Junior assim se refere a essa gravação: "No manuscrito, conservado na Biblioteca Nacional, usa o pseudônimo Josbarsil (seu anagrama) e anota Aracy, talvez pensando em Aracy Cortes. A gravação, porém, pertenceu a Ita Ciubi, que fez apenas um disco, esse, mas que era muito graciosa. A Bahia ficou devendo mais este samba a Sinhô. Da revista "Eu quero é nota" de 1928." O pesquisador esqueceu, entretanto, que a cantora ainda gravaria o samba "Meu mulato".

Mais visitados
da semana

1 Dorival Caymmi
2 Elza Soares
3 Luiz Gonzaga
4 Assis Valente
5 Jane e Herondy
6 Caetano Veloso
7 Nelson Gonçalves
8 Noel Rosa
9 Nelson Cavaquinho
10 Tom Jobim