Busca:

Instituto Cultural Cravo Albin (ICCA)



Não deixe de ver:

Dados Artísticos

Sociedade civil, sem fins lucrativos, com sede na cidade do Rio de Janeiro, criada em 24 de janeiro de 2001 com a finalidade de promover e incentivar atividades de caráter cultural no campo da pesquisa, reflexão e promoção das fontes que alimentam a cultura e, em especial, a música brasileira, visando a divulgação, defesa e conservação do nosso patrimônio histórico e artístico.

O Instituto dispõe de sede própria, doada por seu instituidor, Ricardo Cravo Albin, com cerca de 3.000m² e que abrange área social, espaços para reserva técnica, exposição dos acervos e atividades culturais, bem como dependências específicas para o seu funcionamento técnico-administrativo.

O acervo doado ao Instituto por seu instituidor, Ricardo Cravo Albin, vem sendo acrescido com outras doações feitas por pesquisadores, colecionadores e demais detentores de acervos congêneres. Atualmente é composto de documentos textuais, fotografias, recortes de jornais e revistas; roteiros e programas de rádio e televisão; roteiros de espetáculos musicais e um Arquivo Fonográfico, com cerca de 30.000 discos de 12, 10 e 8 polegadas ( longplays em vinil, discos 78 em goma laca e compactos simples e duplos), 2.000 fitas sonoras em rolo, 700 em cassete e cerca de 5000 CDs. Complementa este acervo uma coleção de vídeos com depoimentos e programas musicais diversos.

O patrimônio do Instituto Cultural Cravo Albin compreende, ainda, um acervo museológico formado de peças de indumentária de personalidades da MPB, troféus, medalhas, mobiliário de época, artesanato, além de gravuras, esculturas e quadros a óleo de artistas brasileiros, de reconhecida importância.

O tratamento do acervo do Instituto vem sendo realizado por especialistas, com grande rigor técnico, desde o ano de sua fundação, com apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro, através da Fundação Carlos Chagas de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro, FAPERJ, do Ministério da Cultura, através da Fundação Biblioteca Nacional, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC-Rio, da UNIRIO, da UERJ, e o patrocínio de empresas, através das leis de incentivo. Além do inventário geral do acervo, já foram tratados cerca de 15.000 discos, com higienização e recuperação dos suportes, conservação e reprodução das capas e encartes, documentação e copiagem, em bases digitais.

O selo ICCA lançou, no final de 2003, a série “Novo Cantares”, com os CDs “Alma Feminina” (Eliane Faria e convidados), “Maxixe não é Samba” (primeira gravação de Vó Maria, de 95 anos de idade, testemunha da trajetória histórica do samba) e “Caminhos da Aproximação ao Universo do Choro e da MPB”, com faixa multimídia, com o patrocínio do Fundo Nacional da Cultura.

Também como produto fonográfico, o Instituto Cultural Cravo Albin realizou, para o Ministério das Relações Exteriores, um CD de música brasileira, para distribuição em todos os Consulados do Brasil e nas demais representações diplomáticas, no exterior.

Como parte integrante da publicação do livro “Ritos e Ritmos” produziu um CD com o registro de fonogramas alusivos à obra.

Em 2005, foram editados os CDS Documentos Sonoros que integrou a Coleção de Catálogos Temáticos e o CD Música Popular nas Escolas – Série Didática 1, com 20 músicas, marcos referenciais da trajetória da nossa MPB.

Na Sala de Exposições do Casarão, no Largo da Mãe do Bispo, sede do Instituto, foram montadas várias exposições temáticas, entre as quais, “Nos Tempos da Nacional”, em homenagem à Rádio Nacional e “Acervos do Instituto Cultural Cravo Albin”, com “Mulheres Compositoras da Música Popular Brasileira”; “Telenovela, imaginário sonoro do Brasil”; “Clube do Jazz e Bossa”; “Tons e Sons do Rio de Janeiro”; “Novos Caminhos do Choro” e “No Palco, os Festivais”.

O Instituto Cultural Cravo Albin, com o apoio da Insight Engenharia de Comunicação e Marketing, edita trimestralmente a revista cultural “Carioquice”, com tiragem de 5000 (cinco mil) exemplares e distribuição gratuita, através de mala direta, para instituições culturais e de ensino, especialistas, pesquisadores, jornalistas e formadores de opinião.

Sua equipe é formada por Ricardo Cravo Albin (presidente), Amaro Enes Viana (diretor financeiro), Paulo Roberto Direito Menezes (diretor de marketing), Maria Eugenia Stein (diretora de cultura e patrimônio), Luiz César Telles Faro (diretor de comunicação), Heloisa Tapajós (pesquisadora e coordenadora técnica de pesquisa), Geralda Magela da Purificação Longhi (pesquisadora, Paulo Luna (pesquisador), Euclides Amaral (pesquisador), João Carlos Carino (pesquisador), Frederico de Oliveira Coelho (pesquisador), Júlia Bellesse (orientadora e coordenadora acadêmica para pesquisa e preservação), Luiz Cleber Gak (orientador e coordenador acadêmico para pesquisa e preservação), Jair Martins (assistente coordenador), Antônio Gonçalves (consultoria de preservação), Raul de Araujo Marçal (consultoria e produção fonográfica), Richam Samir Hassan Sobh (fotografia e digitalização), Maria da Conceição Fernandes Cova (coordenação de administração), Janaina Citeli (técnica de informática, suporte e manutenção do site), os bolsistas de apoio técnico Gabriela – Museologia (UNIRIO), Frederico Costa dos Santos – História (UNIRIO), Paula de Jesus Moura Aranha – Museologia (UNIRIO), Raquel Barbosa da Silva – Museologia (UNIRIO) e os estagiários Alexandre - Biblioteconomia (UNIRIO), Anna Martha Tuttman - Ed. Artística (BENNETT) e Gláucio Ferreira - Gravação e Produção Fonográfica (UNESA).

Mais visitados
da semana

1 Chico Buarque
2 João Gilberto
3 Geraldo Pereira
4 Tom Jobim
5 Caetano Veloso
6 Pixinguinha
7 Música Sertaneja
8 Noel Rosa
9 Jackson do Pandeiro
10 Chitãozinho e Xororó