Busca:

Homero Marques

Homero Pereira
[Circa 1925] Santos, SP

Dados Artísticos

Atuou na década de 1950, iniciando a carreira como crooner da orquestra de Clóvis Mamede com a qual gravou em 1950, pela gravadora Elite Special, o samba "Cabrocha Beatriz", de Gentil Castro, e o frevo "Na onda do frevo", de Clóvis Mamede. No ano seguinte, já gravando solo, registrou pela Elite Special, com acompanhamento de orquestra, a toada "A saudade fez morada", de Orlando Monello e Hubaldo Silva, os sambas "Distante de ti", de David Raw, "É tarde demais", de Gomes Costa e Hubaldo Silva, e "Parece incrível", de Bilu e Osvaldo Cruz, o beguine "Fantasia", de Gomes Costa e Hubaldo Silva, o samba-canção "Brasa dormida", de Marino Pinto e Mário Rossi, e as canções natalinas "Noite de Natal", de Irving Berlin, com versão de Júlio Nagib, e "Meu sapatinho", de César Brasil e Vladimir de Melo. Nessa época, fez parte do cast da Rádio Excelsior, que contava com nomes como Francisco Egídio; Sólon Sales; Oscar Ferreira; Cauby Peixoto; Roberto Luna; e Mauricy Moura. Em 1952, lançou o bolero "Pede que eu dou", de Osvaldo França, o samba "Seu desprezo", de Avaré, o samba-canção "Feiticeira", de Lupicínio Rodrigues e Felisberto Martins, com o qual esteve nas paradas de sucesso, a toada-baião "Meu barquinho", de Pádua Muniz e Conde, a toada "Quem quiser amar", de Elizinha Ribeiro e Fernando Martins, a valsa "A vida continua", de Cristóvão de Alencar e Fernando Martins, o baião "Broto é camondongo", de Maugéri Neto e Maugéri Sobrinho, o samba "Não te conheço mais", de César Brasil, o beguine "Falso amor", de Aloísio Figueiredo e Nelson Cerqueira, e o samba-canção "Razão dos meus protestos", de F. Neto e H. Carvalho. Também no mesmo ano gravou em dueto com a cantora Neide Fraga o baião "Vamos namorar?", de Maugéri Neto e Maugéri Sobrinho, com acompanhamento de regional.

Para o carnaval de 1953, registrou as marchas "Jardim da vida", de Valdemar Gomes e Rogério Nascimento, e "Só sei do carnaval", de José Gama de Souza. Nesse ano, foi contratado pela Odeon e lançou o fox "Um lugar ao sol", de Waxman, Evans e Livingstone, com versão de Mário Campos, e o samba-canção "Sonho de criança", de Francisco Carlos e José Roy, com acompanhamento de orquestra. Em seguida, gravou também com acompanhamento de orquestra as valsas "Minha mãe", de Petrus Paulus, "Sonho de outono", de A. Joice e Ariovaldo Pires, o Capitão Furtado, e "Feliz natal, Brasil", de B. Contador, os sambas "Homenagem ao rei", de José Roy e Fernando Martins, "Vida vazia", de Otávio Lacerda e Rolando Candiano, "Hoje é domingo", de Pancho e Panchito, o baião "Papai Noel", de Ramez Abud, e o bolero "Tu solo tu", de F. Valdez e Tito Lima. Também no mesmo ano, gravou o samba "Louca, tão louca", de Felisberto Martins e J. Piedade, e a marcha "Barbeiro de Sevilha", de José Assad e João Grimaldi. Ainda em 1953, participou do filme "O cangaceiro", de Lima Barreto, primeiro filme brasileiro premiado internacionalmente, interpretando o sucesso mundial que foi a música tema "Muié rendeira" ao lado de Zé do Norte, e o grupo Demônios da Garoa. Em 1954, gravou os sambas "Floresta de chaminés", de Luiz Antônio, e "Salve a terra da garoa", de Osmar Campos Filho e Newton Teixeira.

Em 1959, foi contratado pela gravadora Continental e lançou o bolero-mambo "Maldição cigana", de Bob Capói e Léo Belico, e o samba "Samba naquela base", de Marino Pinto e Aloísio Barros, com acompanhamento de orquestra. No mesmo ano, lançou a marcha "Miss Petrolina", e o samba "Meu santo", ambas de João de Barro, o Braguinha. Em 1960, gravou o samba "23 de abril (São Jorge)", de Raimundo Acher, uma homenagem ao santo de grande devoção no Rio de Janeiro. Dois anos depois, gravou, com a orquestra dirigida pelo maestro Guerra Peixe, o bolero "Ídolo de barro", de Umberto Silva, Paulo Aguiar e Luiz Mergulhão, e com acompanhamento da bandinha do maestro Guerra Peixe o samba "Maria da maloca", de Vitor Dagô.

Em 2004, sua gravação do samba-canção "Feiticeira" foi relançada no volume dois da série de quatro CDs lançados pelo selo Revivendo em homenagem ao centenário de Lupicínio Rodrigues. No mesmo período, sua gravação do fox "Um lugar ao sol", de Franz Waxman, Jay Livingstone e R. Evans, com versão de Mário Camargo foi relançada no CD "Grandes versões - volume 5", da Revivendo. Lançou doze discos pela Elite Special, sete pela Odeon e quatro pela Continental, interpretando obras de autores como Lupicínio Rodrigues, João de Barro, Ariovaldo Pires, Zé do Norte, Marino Pinto, Mário Rossi e Felisberto Martins, entre outros.

Mais visitados
da semana

1 Hermeto Pascoal
2 Caetano Veloso
3 Dorival Caymmi
4 Tom Jobim
5 Irmãs Galvão
6 Luiz Gonzaga
7 Festivais de Música Popular
8 Nelson Cavaquinho
9 Chitãozinho e Xororó
10 Beth Carvalho