Busca:

Hermeto Pascoal

Hermeto Pascoal
22/6/1936 Lagoa da Canoa, AL

Dados Artísticos

Em 1950, aos 14 anos, estreou com o irmão José Neto na Rádio Tamandaré do Recife, em Pernambuco. Pouco depois de uma frustrada tentativa de se criar o trio "O mundo pegando fogo", que contaria com a participação de Hermeto, seu irmão e Sivuca, os  irmãos transferiram-se para a Rádio Jornal do Commércio. Na nova rádio, entretanto, Hermeto acabou ficando "encostado" por não querer tocar pandeiro. Em 1951, Hermeto já era considerado o melhor acordeonista do agreste. Continuou seus estudos e pesquisas musicais. Em 1956, retornou à Rádio Jornal do Commércio, onde chegou a ser diretor de regional. Em 1958, foi para a Paraíba, onde ingressou na Rádio Tabajara de João Pessoa, passando a fazer parte da orquestra do Maestro Gomes. Destacou-se tanto como instrumentista que, sem saber ler música, o maestro Gomes o punha na orquestra. Quando apresentavam-se em algum local ou ocasião onde era necessária a presença de partitura, era colocada uma em sua frente, mas ele tocava de ouvido.
Ainda no mesmo ano, foi levado pelo irmão para a Rádio Mauá, no Rio de Janeiro, indo atuar como acordeonista do Regional de Pernambuco do Pandeiro. Atuou, também, nos conjuntos de Fafá Lemos e Copinha. Nesse período, passou a dedicar-se ao estudo do piano e a se apresentar em boates, tendo trabalhado na boate de Fafá Lemos.
Em 1961, mudou-se para São Paulo, indo trabalhar como pianista da Boate Chicote. Multi instrumentista, de ótimo ouvido, foi confundido, certo dia, na rua da Vila Buarque, em São Paulo, tradicional centro de boates, com Sivuca, por um homem que procurava um contrabaixista, e, mesmo sem nunca ter tocado um contrabaixo, Hermeto apresentou-se como contrabaixista e conseguiu tocar o instrumento.
Em 1962, deixou o trabalho como pianista da Boate La Vie en Rose e ingressou no "Som Quatro", do qual faziam parte Paulinho no pistão, Dílson na bateria e Azeitona no contrabaixo.
Em 1964, formou com o contrabaixista Claiber e com o bateirista Airto Moreira o Sambrasa Trio. No mesmo período, passou a trabalhar como pianista na Boate Stardust, onde tomou contato com a flauta. Fi foi convidado por Walter Santos, em 1965,  para atuar como flautista na gravação de seu disco "Caminho". Em 1966, passou a integrar o Quarteto Novo, juntamente com Teo de Barros, Airto Moreira e Heraldo, que formavam, até então, o Trio Novo. Nesse período, ficou fora de uma excursão pelo Nordeste patrocinada pela Rhodia, com Geraldo Vandré, Trio Marayá e Trio Novo, por restrições do patrocinador à sua aparência física.
Ainda em 1966, passou a companhar Geraldo Vandré em seus shows. Em 1967, teve sua primeira composição gravada, "O ovo", no LP "Quarteto Novo", lançado pela Odeon, primeiro e único disco do grupo, que foi uma experiência de estilização da música nordestina. No mesmo ano, o Quarteto Novo acompanhou Marília Medalha e Edu Lobo na interpretação de "Ponteio", composição de Edu Lobo e Capinam, vencedora do III Festival de MPB da TV Record, em São Paulo.
Em 1968 apresentaram-se na França. Em 1969, o Quarteto Novo se desfez e Hermeto passou a acompanhar Edu Lobo em suas apresentações. Pouco depois, foi convidado por Airto Moreira, que estava nos Estados Unidos integrando a banda de Miles Davis, para fazer os arranjos de um LP que seria lançado por Airto. Em pouco tempo o talento de Hermeto era reconhecido pelos norte-americanos e, logo depois, ele gravou com Miles Davis, no LP "Miles Davis live", onde estão presentes duas composições de Hermeto, "Igrejinha" e "Nenhum talvez", embora as mesmas tenham aparecido como de autoria do músico americano.
Em 1971, a composição "Gaio da roseira", de autoria dos pais  de Hermeto, seria lançada em novo LP de Airto Moreira, com arranjo de Hermeto. A composição, de 1941, era cantada pelos pais de Hermeto durante os trabalhos da roça e recebeu da crítica inglesa o título de uma das melhores do ano. No mesmo ano, gravou seu primeiro disco, nos Estados Unidos, pela Budda Records. O destaque do disco foi a composição "Velório", um suíte erudita sobre tema erudito, na qual Hermeto recria sonoramente um enterro como aqueles que assistira em sua terra natal, incluindo para isso 36 garrafas, que, com afinações diferentes, foram tocadas por alguns dos melhores flautistas americanos, entre os quais Hubert Laws e Joe Farrell. Em 1972, recebeu da Apca o prêmio de melhor solista. Em 1973, conseguiu finalmente gravar seu primeiro disco no Brasil, "A música livre de Hermeto Pascoal", onde novamente surpreendeu com suas inovações. Na faixa "Serei rei", a equipe precisou deslocar-se até uma fazenda e Hermeto tocou entre porcos, galinhas, gansos e perus. Suas ousadas propostas começaram a ser aceitas por outros músicos, e, nos Estados Unidos, Herbie Hanckock, inclui garrafas  em suas gravações. Ainda em 1973, recebeu da Apca o prêmio de melhor arranjador.
Em 1975, participou do Festival Abertura da TV Globo, onde interpretou a composição "Porco na festa", que recebeu o prêmio de melhor arranjo. "Missa dos escravos", seu terceiro disco, foi gravado nos Estados Unidos, em 1977. Seu lançamento no Brasil recebeu efusivos elogios da crítica especializada.
Participou, em 1978, do Festival de Jazz de São Paulo, onde encantou e surpreendeu o público ao tocar uma bacia. No mesmo ano, seu primeiro disco, gravado nos Estados Unidos, foi lançado no Brasil. Em 1979, gravou pela WEA seu segundo disco brasileiro, onde destacaram-se as composições "Gente paulistana", "Susto" e "Mestre Maia", todas de sua autoria. Incluiu também uma música de autoria de sua mãe, Divina Eulália de Oliveira, "Santo Antônio".
 Apesar de visto por muitos como pouco comercial, Hermeto vem recebendo diversos prêmios como um dos melhores instrumentistas e arranjadores contemporâneos. Ainda em 1979, participou do Festival de Jazz de Montreaux, na Suíça, lançando em seguida o LP duplo "Hermeto Pascoal ao vivo", gravado durante sua apresentação no festival. Nos anos de 1980, teve cinco LPs instrumentais lançados com sucesso pela gravadora "Som da gente".
Em 1996, concluiu o projeto de compor uma música para cada  dia do ano, trabalho a ser lançado em forma de Songbook. No mesmo ano, recebeu o Prêmio Sharp de melhor arranjo instrumental pelos arranjos feitos para o CD "Kids of Brazil", do Duofel. Ainda em 1996, recebeu o Prêmio Ary Barroso.
Tem realizado constantes excursões aos Estados Unidos e à Europa, onde sua música consegue mais aceitação do que no Brasil. Em 2000, lançou o livro de partituras "Calendário do som", com uma música para cada dia do ano, lançado em São Paulo, com Hermeto e a Orquestra Popular de Câmara tocando o primeiro e o último dos 366 temas. No mesmo ano, realizou turnê pela Europa tocando em diversas cidades, entre as quais Paris, onde apresentou show no clube New Morning. Apresentou-se também na Alemanha, na Noruega, Dinamarca e Líbano.
Em 2001 realizou no Sesc Rio Arte em Copacabana, no Rio de Janeiro, show de lançamento da segunda edição de seu "Calendário do som". No mesmo ano, realizou no CCBB - Centro Cultural Banco do Brasil, também no Rio de Janeiro, show com Sivuca, dentro da série "Sanfona brasileira". Ainda em 2001 lançou com show na praia do Arpoador no Rio de Janeiro o CD "Eu e Eles", apresentando entre outras o frevo "Poré poré" e a inédita "Boiada".
Também em 2002, apresentou show solo no palco de arena do Sesc Copacabana no Rio de Janeiro,chamado de ópera multiinstrumental.
Lançou em 2003, o CD "Mundo verde esperança", que marcou seu retorno ao lado de seu grupo musical, depois de um intervalo de 12 anos,  contando com as participações especiais das instrumentitas Beth Dau, na viola, Joana Flor, no clarinete e de Mariana Bernardes, da Itiberê Orquestra Família, comandada por Itiberê Zwarg (baixo). Todas as músicas do disco são inéditas  e de sua própria autoria.Destacam-se no disco as músicas compostas em homenagem aos netos Ailin, Taynara e Renan e para o instrumentista Victor Assis Brasil. Nesse ano, assustado com a violência no Rio de Janeiro, colocou à venda sua casa na Zona Oeste e mudou-se para Curitiba, no Paraná. Em 2004, recebeu o prêmio Rival-BR, na categoria Música Instrumental, por seu disco "Mundo Verde Esperança, pelo selo Rádio Mec. Em 2005, entre outros, participou do projeto "Rio Sesc Internacional", apresentado no Teatro Sesc Ginástico, com instrumentistas renomados de diversos países. O projeto, com programação de um show por mês a preços populares, surgiu da intenção de levar ao grande público músicos como o próprio Hermeto, o músico sírio Abdullah Chhadeh, a cantora e pianista holandesa Laura Fygi, o quarteto do músico canadense, Jean Pierre Zanella e o músico português Pedro Jóia, entre outros. No projeto, Hermeto se apresentou em 21 de setembro, em dobradinha com baixista Ron Carter.


Em 2010, com agenda lotada prevendo apresentações por todo o Brasil e até em alguns países do exterior, apresentou-se, em abril, como principal atração do festival de música instrumental Copa Fest, realizado no Hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. O festival contou também com a participação, tanto de outros nomes consagrados, quanto de revelações da música instrumental, tais como Marcos Valle, Chico Pinheiro, Osmar Milito, Cesar Camargo & Mariano e Zé Luís & Banda Magnética. No mesmo ano, apresentou- se no Festival Internacional da Sanfona, realizado em Petrolina-PE e em Juazeiro-BA, ao lado de atrações internacionais como Antonio Spaccarotella, Hector del Curto e Frank Marocco; além de grandes nomes nacionais, como Targino Gondim, Bruno Moritz, Renato Borghetti e Dominguinhos. Em 2011, foi a principal atração do evento Leblon Jazz Festival, realizado no Rio de Janeiro . Na ocasião também se apresentou o músico George Israel, do grupo Kid Abelha. No fim de 2012, voltou a apresentar-se no Circo Voador, na lapa, Rio de Janeiro, após 18 anos. Na ocasião, em comemoração do aniversário de 30 anos do Circo Voador, apresentou um show de cerca de uma hora, com participação especial do saxofonista Carlos Malta, e ao lado de sua banda, que conta com Aline Morena, sua esposa (voz e percussão), André Marques (piano) e Vinicius Dorin (saxofone e flauta). No fim de 2015, apresentou-se no festival “Panaceia instrumental”, e no “Festival Villa Lobos”, ambos no Rio de Janeiro (RJ), atuando, segundo a crítica especializada, como uma inspiração para os jovens músicos do país.

Mais visitados
da semana

1 Hermeto Pascoal
2 Noel Rosa
3 Criolo
4 Irmãs Galvão
5 Tom Jobim
6 Festival da Música Popular Brasileira (TV Record)
7 Caetano Veloso
8 Luiz Gonzaga
9 Gilberto Gil
10 Marcio Proença