Busca:

Glauco Viana

Glauco Viana
1914 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

Iniciou a carreira artística ainda adolescente, e estreou em discos em 1928, quando foi contratado pela Parlophon para interpretar ao violão a valsa "Ingênua" e o cateretê "Arrepiado", ambos de sua autoria. Em 1929, gravou ao violão a polca "Pertinho do meu bem", as valsas "Encantadora", "Pensando em ti" e "Sublime ventura", e os tangos "Sonhador" e "Visão do amor", todos de sua autoria. Nas músicas "Sublime ventura" e "Visão do amor" foi acompanhado ao violão pelo também muito jovem violonista Jaime Florence. Ainda no mesmo ano, gravou a valsa "Teu nome" e o chorinho "Apaixonado", de sua autoria, e o fox-trot "Oh! Que beijo...", e a valsa"Deliciosa", de sua autoria, nas quais foi acompanhado pelo violonista Romualdo Miranda. Também em 1929, acompanhou ao violão o também violonista Mozart Bicalho na gravação da valsa "Divagações", e no choro "Currupacos, papacos", ambas de Mozart Bicalho.

Em 1930, gravou, de sua autoria, as valsas "Parlophon", "Nóis dois" e "Minha mãezinha", além do fox-trot "Perigoso". No mesmo ano, teve a marcha "Pequeno de sorte", e o samba "Despreso" gravadas na Odeon por Luci Campos, e a marcha "Mamãe me disse", com Randoval Montenegro, gravada por Ruth Franklin na Parlophon. Nesse ano, acompanhou Mozart Bicalho, ao violão, na gravação do passo-doble "Odeon", na quadrilha "Dança das pulgas", no choro "Peba", e nas valsas "Gotas de lágrimas", "Meditação", e "Reminiscências de Santa Alda", de Mozart Bicalho. Ainda em 1930, o fox-trot "Como é gostoso amar", com Lamartine Babo, foi gravado na Victor por Jaime Vogeler. Ainda nesse ano, apresentou-se na Rádio Educadora do Brasil um programa de música regional do fizeram parte os cantores Sylvio Caldas e Breno Ferreira, o violonista Jacy Pereira, e os pianistas Randoval Montenegro e Alvaro Pinto de Oliveira. Apresentou-se também na Rádio Clube do Brasil, em "programa de músicos populares" segundo notícia do jornal Correio da Manhã. Gravou, em 1931, as valsas "Minha saudade" e "Idílio", o choro "Não boto...", e o fox "Nesse momento penso em ti", todas de sua autoria. Ainda nesse ano, teve a valsa "Teu nome", gravada por Jaime Vogeler, o samba "Prosa de vadio", lançado por Alvinho, e a marcha "Dona Emília", parceria com Noel Rosa, gravada por Almirante e Bando de Tangarás, as três na Parlophon, além do fox "Foi um sonho" gravado ao piano por Carolina Cardoso de Menezes, e o samba "Vai trabalhar", registrado pela Orquestra Guanabara, também na Parlophon. Teve também o fox-trot "Como é gostoso amar", com Lamartine Babo, relançado, e a canção "Tudo passa" gravada por Jaime Vogeler, as duas na Odeon. Foi contratado pela gravadora Victor em 1933, e no mesmo ano, lançou o choro "Este chorinho é teu", de sua autoria. No lado B desse disco, acompanhou ao violão o violonista José Medina na interpretação da valsa "Para você", de Joaquim Medina. Também no mesmo ano, acompanhou ao violão juntamente com Tito Sosa e Carlos Portela a gravação do tango "Andate" e da "Milonga sentimental" em disco da cantora Lely Morel. Ainda em 1933, seu fox-trot "Ai! Se eu pudesse" foi gravado por Castro Barbosa na Odeon.

Em 2002, seu fox "Ai! Se eu pudesse", na gravação de Castro Barbosa, foi relançado pelo selo Revivendo no CD "No tempo do fox - volume 2". Teve 26 músicas de sua autoria gravadas, e lançou um total de dez discos pela Parlophon, e um pela Victor.

Mais visitados
da semana

1 Creone e Barrerito
2 Noel Rosa
3 Tiee
4 Trio Parada Dura
5 Gonzaguinha
6 Bruno e Marrone
7 Caetano Veloso
8 Cacaso
9 Paulo Soledade
10 Paulinho da Viola