Busca:

Giane

Georgina Morozini dos Santos
10/12/1938 Bebedouro, SP

Dados Artísticos

Iniciou a carreira artística aos 15 anos de idade na TV Tupi, de Ribeirão Preto. Foi crooner da Orquestra de Jaboticabal. Contratada pela gravadora Chantecler, gravou seu primeiro disco em 1962, um 78 RPM, com o samba "Quero Ver", de Jorge Costa e Kiko, e o bolero "Por Acaso", de Antônio Ávila e Paulo Aguiar, acompanhada de orquestra, com regência do maestro Élcio Alvarez. No mesmo, lançou outro 78 RPM, dessa vez com acompanhamento da Orquestra Chantecler, com regência do Maestro Pepe Ávila, interpretando "Canção De Uma Pena (Mariquilla Bonita)", de José Luis Martinez, em versão de Milton Rodrigues, e o bolero "Minha Alegria Minha Tristeza", de Daniel  Magalhães e Cid Magalhães. Em 1963, com a Orquestra Chantecler, dirigida por Élcio Álvarez, gravou a balada "Quem Me Dera (A Lonesome Heart)", de W. Tura e Van Aleda, versão de Paulo Rogério; o bolero "Mente-me (Mienteme)", de A. Dominguez, versão de Sebastião Ferreira da Silva; a balada "Não Sou Ninguém (Uno Dei Tanti)", de Carlo Donida e Mogol, versão de Paulo Queiroz, e o samba "Sem Querer", de Benita Beatriz Canabrava. Em 1964, gravou seus últimos 78 rpm, interpretando "Dominique", de Soeur Sourire, em versão de Paulo Queiroz, seu primeiro grande sucesso e que permaneceria seis meses nas paradas de sucesso; o bolero "Quero", de Márcia Fagundes Varella; "Todos os caminhos", de Paulo Queiroz, e o samba-canção "Saudade que não foi sequer saudade", de Hervê Cordovil. No mesmo ano, gravou um compacto duplo com as composições "Dominique (Soeur Sourire)", em versão de Paulo Queiroz; "Quero", de Márcia Fagundes Varella; "Não Sou Ninguém (Uno Dei Tanti)", de Carlo Donida e Mogol, versão de Paulo Queiroz, e "Sem Querer", de Benita Beatriz Canabrava. Ainda em 1964, gravou seu primeiro LP, intitulado "Esta É Giane, A Voz Doçura", com as interpretações das músicas "Dominique", de Soeur Sourire, versão de Paulo Queiroz; "Longe de Ti", de Denis Brean e Paulo Bonfim; "Recorda (Ricorda)", de Carlo Donida e Mogol, versão de Fred Jorge; "Quero", de Márcia Fagundes Varella; "Minha Alegria Minha Tristeza", de Daniel Magalhães e Cid Magalhães; "Quem Sou Eu", de Barbosa e Luis Lacerda; "Saudade, Tristeza e Ninguém", de Mário Albanese e Silvio Tancredi; "Não Sou Ninguém (Uno Dei Tanti)", de Carlo Donida e Mogol, versão de Paulo Queiroz; "Saudade Que Não Foi Sequer Saudade", de Hervé Cordovil; "Mente-me (Mienteme)", de A. Dominguez, em versão de Sebastião Ferreira da Silva; "Sem Querer", de Benita Beatriz Canabrava, e "Dois Pecadores", de José Lopes e Osvaldo Bettio. Também em 1964, recebeu o Troféu Chico Viola. Em 1965, começou a modificar seu repertório em direção ao rock, ao gravar o LP "Giane", no qual interpretou "Preste Atenção (Fais Attention)", de Jean Loup Gilles Chauby e Henri Pac De Marsoulies Du Jean, versão de Paulo Queiroz; "Lembra-te de Mim (Remember Me)", de S. Coburn, versão de Fred Jorge; "Johnny Guitar", de Victor Young e Peggy Lee, versão de Julio Nagib; "Eu Não Posso Namorar", de Geraldo Nunes e Roberto Muniz; "Longe do Mundo", tema tradicional, em versão de Fred Jorge; "Se Você Quer Saber (Mets Ton Joli Jupon)", de Soeur Sourire, versão de Paulo Queiroz; "Angelita (Angelita Di Anzio)", de Marcello Minerbi, Tullio Romano e Tommaso Biggiero, versão de Paulo Queiroz; "Um Sonho de Hully Gully", de Sylvio Mazzucca e Zuleika Amaral; "É Melhor Esta Noite (Meglio Stasera)", de Henry Mancini e Migliacci, versão de Nazareno de Brito; "Todos os Caminhos (Tous Les Chemins)", de Soeur Sourire, versão de Paulo Queiroz, e "Tchin, Tchin (Cheat, Cheat)", de R. Anthony e Blackwell, versão de Fred Jorge. Várias das composições desse LP foram lançadas separadamente em compactos simples, incluindo a balada "Eu Não Posso Namorar", de Geraldo Nunes e Roberto Muniz, que se tornaria sucesso. No mesmo ano, lançou compacto simples com as músicas "Simples Desejo Primeiro", de Teddy Vieira e Paulo Queiroz, e "Quando O Amor Acontece (Les Vendanges De L'amour)", de Jourdan e Gerard, versão de Paulo Queiroz. Também em 1965, lançou, em dueto com o compositor e cantor Paulo Queiroz, um compacto duplo visando as festas de Natal, intitulado "Nosso Presente de Natal", com as composições "Natal Branco", versão de  Paulo Queiroz, para a clássica canção natalina "White Christmas", de Irving Berlin; "Noite Feliz", também versão de Paulo Queiroz, para "Silent Night", de Franz Gruber; "Boas Festas", de Assis Valente, e "Feliz Natal", de Klécius Caldas e Armando Cavalcanti, todas cantadas em dueto com Paulo Queiroz. Ainda em 1965, foi escolhida como "Melhor cantora do ano" e recebeu o Troféu Roquette Pinto. Em 1966, lançou o LP "Suavemente... Giane", no qual interpretou três versões de Paulo Queiroz: "Não Saberás", para "N'avoue Jamais", de Guy Mardel e Françoise Dorin; "Se Eu Pudesse Encontrar Você", para "Se Non Avessi Incontrato Te)", de Pattacini, Testa e Vanoni, e "Quando O Amor Acontece", para "Les Vendanges De L'amour", de Jourdan e Gerard, além de "Quinze Primaveras", de Alberto Calçada, Pierre e Teddy Vieira; "Brincando de Viver no Mundo (Giochiamo a Stare Al Mondo)", de Pattacini e Mogol, versão de Pierre; "Lago da Felicidade", de Lúcio Cardim e Nello Nunes; "Florescem as Colinas (Le Colline Sono In Fliore)", de Angilioni e Calibi, versão de Mogol; "O Princípio e o Fim (Ma Vie)", de Alain Barrière, versão de Nazareno de Brito; "Simples Desejo Primeiro", de Teddy Vieira e Paulo Queiroz; "Perdendo Você (Perdendote)", de Pallavicini, Renard e Sigman, versão de Pierre; "O Que Quero É Estar Contigo (Solo Quiero Esta Contigo)", de M. Hawker e I. Raimonde, versão de Pierre, e "Bom Dia Tristeza", de Adoniran Barbosa e Vinicius de Moraes. Ainda em 1966, lançou mais dois compactos simples com músicas inéditas. No primeiro, interpretou "Deus, Como Te Amo", versão de Demetrio Carta, para "Dio, Come Ti Amo", de Domenico Modugno, e "Brincando de Viver no Mundo (Giochiamo a Stare Al Mondo)", de Pattacini e Mogol, versão de Pierre. Já no segundo, interpretou "Olhos Tristes (There Won't Any Snow)", de Vance e Pockriss, versão de Gláucia Prado, e "Meu Tempo de Pierrot", de Elzo Augusto. Em 1967, gravou o LP "A Voz Doçura", interpretando" Olhos Tristes (There Won't Any Snow)", de Vance e Pockriss, versão de Gláucia Prado, com declamação de Barros de Alencar; "Nunca É Tarde Para Recomeçar (Le Loup Sait Attendre)", de D. Pac e J. Chauby, " Numa Flor (In Um Fiore)", de Carlo Donida e Mogol, e "Cupido Sabido (Enamorada)", de P. Flores e Tine; "Volte Pra Mim (Il Diritto Di Amare)", de Albinoni, Lunero e Pallavicini, todas em versões de Gláucia Prado, além de "Eu Te Darei Bem Mais (Io Ti Daró Di Piu)", de Memo Remigi e Alberto Testa, versão de Nazareno de Brito; "Herança", de Paulo Queiroz, Willy Join e M. Alice; "Retornarás (Ritornerai)", de Bruno Lauzi, versão de Amaury Mazorca; "Meu Tempo de Pierrot", de Elzo Augusto; "Deus, Como Te Amo (Dio, Come Ti Amo)", de Domenico Modugno, versão de Demetrio Carta, e "Ele Voltará (Um Bacio Sulle Dita)", de Pattacini e Mascioni, e "Eu Sei (J'etais en Amérique)", de J. L. Chauby e Du Pac, ambas em versões de S. de Queiroz. No mesmo ano, lançou compacto simples com as composições "O homem do coração de ouro", de Alberto Calçada e Antônio Queiroz, e "Ontem e hoje", de Reginaldo Rossi. Em 1968, lançou dois LPs. No primeiro, intitulado "O Amor É Uma Canção", interpretou "Não Esqueço Jamais (On n'oublie Jamais)", de J. C. Massoulier e André Popp, versão de Salathiel Coelho; "La La La", de Manuel de La Calva e Ramon Arcusa, versão de Antônio José; "Quem Me Quiser" de Jorge Duarte e Luiz Vieira; "O Caminho De São José (Do You Know The Way To San José)", de Burt Bacharach e H. David, versão de Alexandre Boll; "Nossos Tempos", de Gilda Vanden Grande; "Entre o Céu e o Mar (Je T'ai Crue Trop Vite)", de G. Mardel e R. Bernet, versão de Fernando Borges; "O Amor É Uma Canção (Quando Uma Garota Ama Um Rapaz) (Quand Une Fille Aime Um Garçon)", de C. Carrere, J. Plante e G. Aber, versão de Fred Jorge; "Alcance as Minhas Palavras", de Daniel Júnior e Romeu Trolezi; "Boa Noite Meu Anjo Querido", de Ângelo Apolônio, o ''Poly'; "Pra Sorrir Outra Vez (The World Will Smile Again)", de Howard Greenfield e Maurice Jarre, versão de Luiz Keller; "Canção do Novo Amor", de Fernando Lona, e "Cortejo", de Luiz Vieira. Já no segundo LP, intitulado "O Importante É A Rosa", gravou as músicas "Meu Bem Não Vá (Mais Tu Tem Vas)", de J. L. Chauby e B. Du Pac, versão de Rossini Pinto; "Estarei Ao Seu Lado (Beach Out I'll Be There)", de Brian Holland, Eddie Holland e Lamont Dozier, versão de Alf Soares; "Volta Amanhã", de Fernando César e Mariah Brito; "O Homem do Coração de Ouro", de Alberto Calçada e Antônio Queiroz; "Onde Vais", de Reginaldo Rossi; "Poeira", de Luis Bonan e Serafim Colombo Gomes, um clássico da música sertaneja; "O Importante É a Rosa (L'important c'est La Rose)", de Gilbert Bécaud e L. Amade, versão de Geraldo Figueiredo; "Agora Sou Imensamente Feliz (Salute De Amore)", de Jack Seymour, versão de Antônio Queiroz; "Ontem e Hoje", de Reginaldo Rossi; "E Por Isso Estou Aqui", de Roberto Carlos; "Esse Amor Que Eu Não Queria (A Whiter Shade Of Pale)", de Gary Brooker e Keith Reid, versão de Geraldo Figueiredo, e "Esta É A Minha Canção (This Is My Song)", de Charles Chaplin, versão de Alexandre Cirus. Em 1969, gravou o LP "Nós Somos Iguais", música título de Martinha, que incluiu ainda "Sonho de Verão (Fuiste Mia Um Verano)", de L. Favio e V. Berti, versão de João Borges; "Canto Triste", de Reginaldo Rossi; "Tão Só Também", de Severino Filho e Tomca; "Les Ballons (Little Arrows)", de A. Hammond, M. Hazlewood e R. Anthony, versão de Fred Jorge; "Gosto de Você", de Cláudia e Warderly Cristina; "Tempo de Brinquedo", de Naire e Carlos Vogt; "Viva A Vida (The Red Baloon)", de Raymond Froggatt, versão de Miguel Vaccaro Netto; "Como Dizer Adeus (Comment Te Dire Adieu) (It Hurts To Say Goodbye)", de Gold, Goland e Gainsbourg, versão de Fred Jorge; "Nosso Canto", de Naire e Carlos Vogt; "Um Novo Amor (Come Uma Rondine)", de E. Parazzini e G. Logiri, versão de Antônio Queiroz, e "Sempre Estarei Perto de Ti (Johnny One Time)", de A. L. Ownes e D. Frazier, versão de Telé Villela. Em 1972, venceu o Festival de San Remo, na Itália, interpretando a canção "Estrada do sol (Alle Porte Del Sole)", de Mario Panzeri, Corrado Conti,  L. Pilat e Daniele Pace. Em 1973, transferiu-se para a gravadora  Continental, e gravou, em dueto com o cantor Francisco Petrônio, um compacto com as músicas "Meu Primeiro Amor (Lejania)", de Hermínio Gimenez, e versão de José Fortuna e Pinheirinho Jr., e "Índia", de José Asunción Flores e Manuel Ortiz Guerrero, versão de José Fortuna. No mesmo ano, gravou outro compacto simples com as músicas "Estou Triste (Estoy Triste)", de M. Alejandro e Ana Magdalena, versão de Kátia Maria, e "A Mais Amada", de Martinha. Em 1974, lançou novo compacto pela Continental, que acabaria sendo sua última gravação, com as músicas "Estrada Do Sol (Alle Porte Del Sole)", de Mario Panzeri, Corrado Conti, L. Pilat e Daniele Pace, versão de Tito, e "Proposta", de Roberto Carlos e Erasmo Carlos. Em 2006, reapareceu na televisão, participando do programa "Rei Majestade", apresentado por Sílvio Santos, no SBT, programa que trazia de volta ídolos esquecidos da grande mídia. Ao longo da carreira, quase toda na Chantecler, gravou 5 discos em 78 rpm, 5 compactos duplos, 10 compactos simples e 7 LPs, além de três compactos simples pela Continental.

Mais visitados
da semana

1 Chico Buarque
2 João Gilberto
3 Geraldo Pereira
4 Tom Jobim
5 Caetano Veloso
6 Pixinguinha
7 Música Sertaneja
8 Noel Rosa
9 Jackson do Pandeiro
10 Chitãozinho e Xororó