Busca:

Geraldo Flach

Geraldo Flach
6/8/1945 Porto Alegre, RS
3/1/2011 Porto Alegre, RS

Dados Artísticos

Iniciou sua carreira profissional aos 14 anos de idade, tocando em conjuntos de baile.

Na década de 1960, formou um trio (piano, baixo e bateria), com o qual se apresentou em vários espaços. Nessa época, teve um programa próprio na Televisão Piratini (RS), apresentado aos sábados à tarde. Participou também do programa semanal "O Piano em Destaque" (Rádio Difusora), produzido por Carlos Alberto de Carvalho.

Em 1964, recebeu prêmio de Melhor Solista no II Festival de Jazz e Bossa Nova, evento de caráter nacional.

Como compositor, participou dos seguintes festivais: I Festival Universitário de MPB (Porto Alegre/1968); I Festival Universitário da Guanabara (Rio de Janeiro/1968), com sua canção "Um novo rumo" (c/ Arthur Verocai), interpretada por Elis Regina; II Festival Universitário da MPB (Porto Alegre/1969); III Festival Universitário da Guanabara (Rio de Janeiro/1970); VIII Califórnia da Canção Nativa (Uruguaiana/1978), com "Sementes de Pedra" (c/ Kenelmo Alves), vencedora do evento;
MPB 80 (Rede Globo/1981); Grito de Alerta (Porto Alegre/1982), com "Quintana" (c/ João Alberto Soares), vencedora do evento; Festival dos Festivais (Rede Globo/1985); e Musicanto (Santa Rosa/1986).

Atuou em vários movimentos musicais, entre os quais "Frente Popular Gaúcha de Música Popular" e "MusicaNossa", no Rio de Janeiro.

Foi diretor artístico da gravadora ISAEC em 1978 e 1979, período em que produziu cerca de 120 discos.

Em 1980, realizou seu primeiro espetáculo individual, "A voz do Brasil", cumprindo duas temporadas no Teatro Renascença (PA).

Gravou, no ano seguinte, o disco instrumental "Alma", contendo suas composições "Choro da alma", "Reencontro", "Parceira", "Fantasia", "Momento", "Vilarejo", "Último adeus", "Piano baião", "Solitude" e "C & B (Duas meninas)".

Em 1982, apresentou-se no Auditório Araújo Vianna, em show do CooJornal. Nesse mesmo ano, fez show de lançamento do disco "Alma", em temporada no Auditório Dante Barone, da Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul.

Em 1983, realizou temporada de sete semanas no Teatro Renascença (PA), com o espetáculo "RS-Brasil", seguindo em apresentações pelo interior do Rio Grande do Sul, e realizando show especial de encerramento da Califórnia da Canção Nativa, em Uruguaiana. Também nesse ano, participou, com trio (piano, baixo e bateria), do show "Nordeste Urgente", no Auditório Araújo Vianna, e montou o espetáculo "Bem de Bar", em  temporada no Espaço IAB. Ainda em 1983, apresentou-se, em duo piano e violão, ao lado de Rosinha de Valença, em Caxias do Sul. Assinou arranjos e direção musical para o musical "América Desperta", do diretor uruguaio Juan Carlos Sosa. Compôs, escreveu arranjos e gravou músicas para o álbum duplo "Antologia Poética de Mário Quintana", lançado pela Polygram. Participou do projeto "Seis e Meia", no Teatro João Caetano (RJ).

Em 1984, inaugurou, ao lado de Djalma Corrêa, a temporada de música popular do Theatro São Pedro (PA), com concerto de piano e percussão. Fez temporada com quarteto instrumental no Teatro Paiol, em Curitiba. Realizou recital no Instituto Goethe e apresentou-se no ginásio Gigantinho, em Porto Alegre, onde executou o Hino Nacional no show realizado pelo Sindicato dos Bancários.

No ano seguinte, realizou recitais com Djalma Corrêa. Também em 1985, lançou o disco instrumental, "Momento mágico", contendo suas composições "Abre almas", "Domingo", "Milonga vida", "Nana Rosa", "Sacudindo", "Chote da mudança", "Outubro", "Anja", "Rancheirinha" e "Sol da meia-noite", além da faixa-título.

Em 1986, atuou ao lado de Nana Caymmi, no Theatro São Pedro (PA). Participou, com seu grupo, do I MPB Jazz, realizado no Teatro da OSPA, ao lado de Wagner Tiso, Hélio Delmiro, Grupo D’Alma, Toninho Horta e Raiz de Pedra. Realizou recitais com o Coral da Unisinos, sob a regência do maestro José Pedro Boéssio, e recital de piano solo no Centro Municipal de Cultura de Santa Rosa e no Theatro São Pedro (PA). Fez show de encerramento  do Congresso AGERT/ABERT, em Canela.

Em 1987, cumpriu temporada do show "Coração brasileiro", acompanhado de Ayres Potthhoff, Amauri Coppetti, Everton Pires, Geraldo Schüller, Fernando do Ó e Toneco. Realizou recital comemorativo aos 85 Anos do Grêmio Futebol Portoalegrense. Atuou no espetáculo "Ménage à trois", com Fernando do Ó e Geraldo Schüller, em temporada no Teatro Renascença (PA). Compôs e gravou a trilha sonora do filme "Treiler", de Otto Guerra e Maia, contemplado com medalha do júri no Festival de Cinema de Gramado. Apresentou espetáculo com o flautista Ayres Potthoff e a soprano Lúcia Passos. Fez show de pré-inauguração do Salão de Atos da Reitoria da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Em 1988, realizou o concerto de abertura do Projeto Blue Jazz, no Theatro São Pedro (PA). Ao lado de Djalma Corrêa e Stênio Mendes, fez temporada de shows no Juan Sebastian Bar e no Teatro Mata de Côco, em Caracas, e também no Teatro da Caixa Econômica Federal, em Brasília. Compôs e gravou a trilha sonora do filme "Barbosa", de Jorge Furtado e Ana Azevedo, contemplado com o 1º Prêmio no Festival Internacional de Cuba.

Em 1989, realizou recital piano solo no evento "Medalha Cidade de Porto Alegre". Compôs e gravou trilha sonora para o balé "Ulisses", do coreógrafo argentino Valério Césio, e a trilha sonora do filme "Ilha das Flores", de Jorge Furtado, premiado nos festivais de cinema de Gramado, Berlim e outros. Juntamente com seu grupo, formado por Bebeto Mohr, Evaldo Guedes, Wenceslau Moreyra, Ayres Potthoff, Geraldo Schüller e Fernando do Ó, realizou o espetáculo "Suíte brasileira", apresentado no Theatro São Pedro (PA) e no encerramento do projeto "UniMúsica", da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Em 1990, foi contemplado com o prêmio Instrumentista da Década. Apresentou o espetáculo "Suíte Brasileira" na abertura do congresso da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). Gravou o especial "Geraldo Flach - Roteiro de uma paixão" (RBS TV). Fez temporada com Ivan Lins no Teatro da OSPA (PA), show com dois pianos e participação especial do percussionista Fernando do Ó. Produziu, escreveu arranjos e atuou como pianista no disco "Amor Febril", para o GBOEX, participando do espetáculo de lançamento. Ainda nesse ano, gravou, em Nova York, seu terceiro disco solo, "Piano", com produção de Ayres Potthoff e participação do violoncelista americano Erik Friedlander. Constam do repertório suas composições "Último set", "Mestre Pizindim", "Moça na janela", "Amorosa", "Bem bom", "Coração brasileiro", "Dona Margarida", "No Parking" e "Baiãozinho", além de "Joana Francesa" (Chico Buarque). Apresentou o espetáculo "Suíte brasileira nº 2", com grupo instrumental e vocal, cumprindo temporada no Theatro São Pedro e realizando apresentações na COPESUL (Pólo Petroquímico) e no encerramento do festival "Califórnia da Canção Nativa", em Uruguaiana.

Em 1991, fez recital com a Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro, dentro do projeto "Eventos Culturais Itaú". Apresentou o show "Suíte brasileira nº 2" no encerramento do festival "Coxilha Nativista", em Cruz Alta. Registrou o lançamento do disco "Piano" com o show "Piano & "Quarteto". Atuou com seu trio na reinauguração do Auditório da Assembléia Legislativa, em Porto Alegre, ao lado de Wagner Tiso e Márcio Montarroyos.

Em 1992 gravou, em parceria com Luiz Carlos Borges, o disco instrumental "Geraldo Flach & Luiz Carlos Borges", que incluiu no repertório suas composições "Velhos amigos", "Maxixorô" e "Milonga para Joe Girassol", além de "A dança do louco", "Canción de la pasión", "La rota del Nino" e "Prosa de galpão (para tio Bilia)", todas de Luiz Carlos Borges, "Fotografia" (Luiz Carlos Borges e Beto Bollo), e também "O milagre de Dorotéia", parceria dos dois artistas. Nesse ano, foi contemplado com o Prêmio Açorianos, na categoria Melhor Arranjador. Inaugurou, com piano solo, o projeto "Happy Hour", no Shopping Praia de Belas. Participou, com seu quarteto, do espetáculo "A cereja e o vermouth", ao lado da cantora Lúcia Helena, realizando temporadas no Teatro Renascença e no Auditório da Assembléia Legislativa, em Porto Alegre. Compôs e gravou a trilha sonora para o especial "Criança Esperança" (Rede Globo). Fez espetáculos de piano solo em Bagé, Pelotas e Rio Grande. Registrou o lançamento do disco com Luiz Carlos Borges na "Califórnia da Canção Nativa", em Uruguaiana, e no Theatro São Pedro, em Porto Alegre.

Em 1993, apresentou-se, com seu trio, no Solar da Câmara, em Porto Alegre. Participou do projeto "Pôr do Sol", realizado pela Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Nesse mesmo ano, gravou, com seu quarteto, integrado por Evaldo Guedes, Fernando do Ó e Ricardo Arenhaldt, o CD "Tom Brasileiro", registrando "O vôo da águia", "Vaivém", "Rancheirinha" e a canção-título, todas de sua autoria, além de "Asa branca" (Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira), "Encontros e despedidas" (Milton Nascimento e Fernando Brant), "Trenzinho caipira" (Heitor Villa Lobos), "Luar do sertão" (Catulo da Paixão Cearense), "Berimbau" (Baden Powel e Vinícius de Moraes) e "Imagem" (Luiz Eça e Aloysio de Oliveira). Fez recital de abertura da programação "Música ao Meio-Dia", do Theatro São Pedro (PA). Com seu quarteto, apresentou espetáculo de abertura do ano da Fundarte, em Montenegro. Recebeu o Prêmio Açorianos, nas categorias Melhor Compositor e Melhor Disco ("Geraldo Flach & Luiz Carlos Borges"). Apresentou-se, ao lado de Nana Caymmi, com o espetáculo "Nana Caymmi & Geraldo Flach Quarteto", em temporada no Theatro São Pedro (PA). Realizou concerto com a Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro, sob a regência do maestro Fredi Gerling. Fez show de abertura do festival "MusiCanto", em Santa Rosa. Ainda nesse ano, registrou o lançamento do disco "Tom Brasileiro" com show em Santa Cruz do Sul, seguindo em temporada no Theatro São Pedro.

Em 1994, realizou apresentações durante todas as quartas-feiras do mês de janeiro no projeto "Ribeiro Jung Música ao Meio-Dia", no Theatro São Pedro (PA). Excursionou com o show "Ivan Lins & Geraldo Flach Quarteto" pelo interior do Rio Grande do Sul e na capital do estado, com destaque para um espetáculo com a Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro e apresentação ao ar livre no Brique da Redenção para uma platéia de  20 mil pessoas. Apresentou-se, com seu grupo, no projeto "Diet Coke Jazz Brasil", ao lado de Mauro Senise, Gilson Peranzetta, Wagner Tiso, Nivaldo Ornellas, Renato Borghetti e Frank Solari.

Em 1995 recebeu o Prêmio Açorianos, na categoria Melhor Instrumentista. Nesse mesmo ano, gravou, com seu quarteto, o CD "Interiores", que contou com a participação de 39 músicos, entre instrumentistas e vocalistas, e da Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro. Constam do repertório do disco suas composições "Quintal", "Dois na gandaia", "Interiores (para Borghettinho)", "Domingo no Brique", "Pessoinha querida" e "Piano azul", além de "Coração vagabundo" (Caetano Veloso), "Tema de amor por Gabriela" (Tom Jobim), "Joana Francesa (Chico Buarque), "Fronteiras" (Leonardo Ribeiro), "Que nem jiló" (Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira), "Merceditas" (Ramon Sisto Rios), "Anos dourados" (Tom Jobim e Chico Buarque) e "Prenda minha" (folclore). Foi o representante gaúcho no Free Jazz Festival, realizado no Theatro São Pedro, onde se apresentou, com seu quarteto, ao lado de Tito Puente e Célia Cruz. Fez o show de encerramento do Congresso Mundial de Ginecologia e Obstetrícia, no Salão de Atos da Reitoria da Universidade Federal do Rop Grande do Sul, ao lado da Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro.

Em 1996, apresentou-se, com seu quarteto, em San Martin, em Buenos Aires, na primeira edição do Projeto "Porto Alegre em Buenos Aires". Participou, com seu quarteto e o grupo argentino Cuatro Vientos, do projeto "Cantamérica", no teatro Régio, em Buenos Aires. Realizou recital de piano solo na Sociedade Rio Branco, em Cachoeira do Sul. Com seu quarteto, fez o show de encerramento do festival "Ronco do Bugio", em São Francisco de Paula (RS). Apresentou-se no evento internacional Mercocidades, no Teatro da OSPA, em Porto Alegre, com a participação especial do grupo argentino Cuatro Vientos. Voltou a atuar no Free Jazz, dessa vez com seu grupo e Renato Borghetti. Fez show com seu quarteto no Teatro La Gaviota, em Montevidéu, com a participação especial da cantora uruguaia Laura Canoura, no projeto "Caminhos do Prata". Apresentou-se, com seu quarteto, encerramento do Congresso de Cardiologia, na UC-RS.

Em 1997, com seu quarteto, Renato Borghetti e a Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro, fez show de encerramento  do "World Association of Newspapers",  evento realizado pela FIEJ, no Theatro São Pedro (PA). Ao lado de Renato Borghetti e do argentino Guillermo Zarba, realizou o espetáculo "Piazzola y más acá", no Theatro São Pedro e em Buenos Aires. Participou, com seu quarteto, do "Projeto Pixinguinha", apresentando-se em João Pessoa, Aracajú, Recife, Fortaleza, Maceió e Natal, ao lado de Roberto Menescal e Wanda Sá.

Em 1998, gravou, com seu quartetp, o CD "Atitude", que contou com a participação especial de Bebeto Alves e dos argentinos Pablo Mainetti, Guillermo Mariconda e grupo Cuatro Vientos. Constam do repertório do disco suas composições "Kakáia", "O mapa da cidade", "Espelho d'água", "Para siempre (dedicada a Piazzolla)", "Reencontro", "Baiãozinho" e "Amor contente", além de "Desafinado" (Tom Jobim e Newton Mendonça), "Vidro dos olhos" (Luiz Carlos Borges e Aparício Silva Rillo) e "Años de Soledad" (Astor Piazzolla). Apresentou-se em temporada no Theatro São Pedro (PA) ao lado de Ivan Lins e da Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro, com o show "Ivan Lins & Geraldo Flach Quarteto". Também nesse espaço, fez show de lançamento do CD "Atitude".

No ano seguinte, foi novamente contemplado com o Prêmio Açorianos, na categoria Melhor Arranjador, e fez turnê de shows pelo interior do Rio Grande do Sul.

Em 2000, fez nova turnê estadual com seu quarteto. Assinou a direção musical do espetáculo de dança "Das Tripas Sentimento", homenagem à cantora Elis Regina, pelo qual foi novamente contemplado com o Prêmio Açorianos, na categoria Melhor Trilha Sonora para Dança. Realizou o show de inauguração do Anfiteatro Pôr-do-Sol, em Porto Alegre, com Renato Borghetti e o grupo Titãs. Compôs e gravou a trilha sonora do filme "Disparos", de Tarcísio Puiatti. Produziu e gravou o CD "Nosso Natal", para Cia. Zaffari. Compôs, escreveu os arranjos e gravou a trilha original para a série "20 Gaúchos que marcaram o século XX" (RBS TV), apresentada em 20 episódios. Fez nova turnê de shows, dessa vez com Renato Borghetti e o grupo Ultramen.

Em 2001, produziu e gravou o CD "Coração Farroupilha", registro de poemas de Luiz Coronel. Apresentou-se com Renato Borghetti na "Jornada de Literatura em Passo Fundo". Fez temporada de shows no Mistura Fina (RJ) com seu  quarteto e a participação especial de Ivan Lins e Leila Pinheiro. Compôs, escreveu os arranjos e gravou a trilha original da série "Mundo Grande do Sul" (RBS TV), apresentada em 14 episódios. Produziu e gravou o CD "Música dos Gaúchos - Clássicos do Regionalismo", para a Cia. Zaffari. Compôs, escreveu arranjos e gravou a trilha oficial do "Natal Luz - As Canções de Natal de Gramado", com desfile realizado por Joãozinho Trinta. Ainda nesse ano, lançou o CD "Piano azul", contendo suas composições "Coração brasileiro", "Baiãozinho", "Moça na janela", "Mestre Pizindim", "Dona Margarida", "Último set", "Paixão", "No Parking", "Amorosa" e "Rancheirinha", além de "Prenda minha" (folclore). Realizou espetáculo de piano solo no reveillon do hotel Casa da Montanha, em Gramado.

Em 2002, fez espetáculo de abertura do projeto "UniMúsica", da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, ao lado do saxofonista Juarez Araújo. Compôs, escreveu arranjos e gravou a trilha sonora original da série "Continente de São Pedro" (RBS TV), apresentada em 13 capítulos. Fez o circuito universitário do Rio Grande do Sul, apresentando-se em 15 cidades com o show "Geraldo Flach Trio - Jazz Brasil". Apresentou-se com seu quarteto, ao lado de Ivan Lins, no show de encerramento da "Moenda da Canção Nativa", em Santo Antônio da Patrulha (RS). Compôs, escreveu os arranjos e gravou a trilha sonora do especial "As Parceiras", de Lya Luft, com direção de Marta Biavaschi para a TVE RS. Apresentou-se no Supremo Musical (SP), em duo piano e voz, ao lado de Lucinha Lins, no espetáculo "Canção brasileira". Ao lado de Ivan Lins, participou do "Projeto Baleia Franca", em Imbituba (SC), com o show "Ivan Lins & Geraldo Flach Trio". Compôs, escreveu arranjos e gravou a trilha sonora do episódio "Identidade”, da série "Histórias Curtas" (RBS TV). Ao lado de Lucinha Lins, fez turnê do espetáculo "Canção brasileira", apresentando-se no Theatro São Pedro (PA), Crowne Plaza (SP) e Bar do Tom (RJ). Realizou o show de encerramento da temporada com seu trio e Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro. Compôs, escreveu arranjos e gravou nova trilha para o "Natal Luz" (Gramado/RS).

Em 2003, gravou, com Lucinha Lins, o CD "Mãe", projeto especial para a Cia. Zaffari. Abriu, com seu trio, a temporada do projeto "Música no Solar". Dividiu o palco do Mistura Fina (RJ) com Lucinha Lins, no show "Canção Brasileira". Compôs, escreveu arranjos e gravou a trilha oficial do evento "Top of Mind". Apresentou-se nos "Concertos Comunitários Zaffari", em homenagem ao Dia das Mães, ao lado de Lucinha Lins. Compôs, escreveu arranjos e gravou a trilha sonora da série "A Ferro e Fogo" (RBS TV), apresentada em 13 episódios. Excursionou ao lado de Lucinha Lins com o show "Canção Brasileira", apresentando-se em Caxias do Sul (Casa de Cultura Percy Vargas), Santa Maria (Theatro Treze de Maio), Pelotas (Theatro Sete de Abril), Cachoeira do Sul (Sociedade Rio Branco), Canoas (Unilasalle) e Rio de Janeiro (Teatro Rival-BR). Executou o Hino Nacional, junto com Renato Borghetti, em rede nacional, com as presenças do Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva e seu ministério, por ocasião do lançamento do projeto de incentivo à agricultura familiar. Ao lado de Lucinha Lins, apresento-se com o show "Canção brasileira" em Brasília (Feitiço Mineiro), Santa Cruz do Sul (Unisc) e Porto Alegre (Santander Cultural). Recebeu do Sesc-RS, através do "I Vitrine de Música Independente", homenagem em reconhecimento de suas importantes contribuições para o desenvolvimento da cultura local. Participou do espetáculo "Tributo a Carlinhos Hartlieb", junto com Fernando do Ó, no Teatro Renascença (PA). Foi contemplado com o Troféu Guri, tradicional premiação homenageando personalidades que se destacam na divulgação e na defesa das tradições do Rio Grande do Sul. Atuou no projeto infantil "A Pandorga e a Lua", de Jayme Vaz Brasil e Ricardo Freire. Ao lado de Renato Borghetti, participou dos Concertos Comunitários Zaffari. Compôs, escreveu os arranjos e gravou a trilha do "Natal Luz 2003" de Gramado. Fez o show de encerramento do projeto "Palco do Praia de Belas", com Renato Borghetti. Participou, com o ator e diretor Celso Frateschi, de sarau realizado na 49ª Feira do Livro, em Porto Alegre. Fez, ao lado de Lucinha Lins, show na entrega do prêmio Líderes e Vencedores, da Federasul (PA). Participou com seu trio no sarau "Natal dos Povos", no Auditório Dante Barone da Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul. Apresentou-se em duo piano e voz com Lucinha Lins, no show do Natal Luz, na igreja São Pedro, em Gramado.

Em 2004, compôs mesa redonda sobre música e cultura, ao lado dos trombonistas Raul de Souza e Júlio Rizzo, tendo como mediador o jornalista Roger Lerina, no Santander Cultural (PA). Apresentou-se no projeto "Concertos Moinhos", abrindo a Série Pianistas. Realizou participação especial no show de lançamento do CD "Cordas do Sul", de Maurício Marques, em Porto Alegre, e no show "Somos Todos Iguais Nessa Noite", espetáculo em homenagem a Ivan Lins, em Santa Maria. Fez apresentação solo na entrega do 32º Prêmio Exportação da ADVB e, com seu trio, no Instrumental Sesc Brasil, no Sesc Paulista, no Sesc Santo André e no Supremo Musical (SP), neste último espaço com a participação especial da cantora Virgínia Rosa. Compôs, escreveu arranjos e gravou música original para o documentário "Coberta d’Alma", de Hique Montanari. Ao lado de Luiz Carlos Borges, fez o show de lançamento do espaço cultural da Associação do Palacinho (PA). Compôs, escreveu os arranjos e gravou a trilha sonora do filme "O Gato", dirigido por Saturnino Rocha. Realizou participação especial no show de gravação do DVD de Renato Borghetti Quarteto, no Theatro São Pedro (PA). Participou do projeto "Piano e Voz", da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com a cantora Virgínia Rosa. Ao lado de Renato Borghetti, fez o show de encerramento do projeto "Brasil dos Gaúchos", no Auditório do Centro Cultural dos Correios (RJ). Assinou a produção musical do CD "Música dos Gaúchos 2", para a Cia. Zaffari. Ao lado de Lucinha Lins, apresentou-se no segundo aniversário do Porto de Ama (Centro Petrobrás de Cultura), em Macau (RN). Compôs, escreveu arranjos e gravou a trilha sonora do "Natal Luz 2004", em Gramado. Participou da abertura oficial da Casa Cor 2004 e do sarau "Corredores da Alma", realizado no espaço da arquiteta Liana Timm. Ao lado de Lucinha Lins, fez o show em comemoração aos 63 anos da Associação do Ministério Público do Rio Grande do Sul, o show comemorativo do primeiro aniversário do Mercato Jazz (PA), e participou do sarau realizado na 50ª Feira do Livro, em Porto Alegre. Compôs, escreveu arranjos e gravou a trilha de encerramento do espetáculo de fim-de-ano do ballet Chemale, em Porto Alegre. Fez show com Lúcia Helena, no revéillon do hotel Casa da Montanha, em Gramado. Ainda em 2004, finalizou o CD "Meu piano".

Além de sua atividade musical, foi sócio da Plug Produções Fonográficas, empresa de criação e produção de jingles e trilhas publicitárias, contemplada, em 2004, com o prêmio Produtora de Áudio do Ano, no 30º Salão da Propaganda (ARP) do Rio Grande do Sul.

Como arranjador e músico, além dos próprios trabalhos, participou de projetos coletivos, como os discos "Paralelo 30", "Música Popular Gaúcha", "Porto Alegre 83" e "Unimúsica", e de trabalhos de outros artistas, como Fernando Ribeiro ("O Coro dos Perdidos"), Jerônimo Jardim ("Louca lucidez" e Terceiro sinal"), Paulinho Tapajós ("A história se repete"), Lomma ("Momento"), Maurício Tapajós e Aldir Blanc ("Maurício Tapajós & Aldir Blanc"), Sá Brito ("Ar de afronta"), Victor Hugo ("Cada vez mais"), Luiz Carlos Borges, Lúcia Helena, João Pernambuco, Tambo do Bando, Cláudio Levitan e Vinícius Brum, entre outros.

Em 2010, participou do I Festival de Jazz de Pelotas. Nesse mesmo ano, lançou o CD "Vivências", em parceria com o cantor Victor Hugo, com obras de Mario Barbará e Sergio Napp. Ainda em 2010, foi convidado especial de um show de Ivan Lins em Porto Alegre.

Constam da relação dos intérpretes de suas canções vários artistas, como Elis Regina, Taiguara, Berê, Emílio Santiago, Eduardo Conde, Jerônimo Jardim, Lomma, Lúcia Helena, Suzana Bello, Clóviz Bonfim e Renato Borghetti.

Faleceu no dia 3 de Janeiro de 2011, em Porto Alegre. Nesse mesmo ano, foi lançado o CD “Virginia Rosa & Geraldo Flach – Voz e Piano”, gravado ao lado da cantora paulistana. No repertório, “O meu amor chorou” (Luiz Marçal Neto), esta interpretada à capella, “Amor de índio” (Beto Guedes e Ronaldo Bastos), “Pressentimento” (Elton Medeiros e Hermínio Bello de Carvalho), “O Morro não tem vez” (Tom Jobim e Vinícius de Moraes), “Que nem jiló” (Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira), “A flor” (Fernando Figueiredo), “A voz do coração” (Celso Fonseca e Ronaldo Bastos), “Kalu” (Humberto Teixeira), “Dindi” (Tom e Aloysio de Oliveira), “Cacilda” (José Miguel Wisnik), “Maria, Maria” (Milton Nascimento e Fernando Brant), “Upa, Neguinho” (Edu Lobo e Gianfrancesco Guarnieri), “Mercedita” (Ramón Sixto Rios) e ainda “Choro amoroso” (Geraldo Flach), em solo de piano, além de duas faixas bônus: “Ta-hi – Pra você gostar de mim” (Joubert de Carvalho), com participação especial do pianista Ogair Jr., e “Prenda minha” (domínio público), com a participação de Lucinha Lins.

Mais visitados
da semana

1 Gabriela Machado
2 Leo Canhoto e Robertinho
3 Festivais de Música Popular
4 Hermeto Pascoal
5 Lupicínio Rodrigues
6 João do Vale
7 Música Sertaneja
8 Dona Ivone Lara
9 Dorival Caymmi
10 Geraldo Vandré