Busca:

Gadé

Osvaldo Chaves Ribeiro
23/7/1904 Niterói, RJ
27/10/1969 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

Sua carreira artística iniciou-se em 1926, quando, ao largar o Lóide,  foi para a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, na qual atuou por cerca de seis meses. Em seguida, transferiu-se para a Rádio Ipanema (PRH-8), onde permaneceu por 6 meses, passando, desde então, por várias emissoras, como a  Rádio Clube,  Mayrink, Tupi, Nacional e Inconfidência Mineira, da qual participou da inauguração, ao lado de Herivelto Martins e Dalva de Oliveira. Trabalhou alguns anos na Rádio Carioca ao lado do bateirista Valfrido Silva, seu parceiro em diversas músicas. Em 1932, lançou o samba-choro  "Amor em excesso", gravado por Almirante. Em 1933, compôs com Valfrido Silva "Escuta aqui", samba gravado por Jaime Vogeler. No mesmo ano, Francisco Alves gravou o samba "Vai cavar a nota", outra parceria com Valfrido Silva. Com "Estão batendo", iniciou uma série de grandes sucessos, muitos dos quais em parceria com Valfrido Silva, como "Vou me casar no Uruguai" e "Que barulho é esse ?" gravados por Almirante em 1935. No mesmo ano, Carmen Miranda gravou o choro "Roseira branca"; Aurora Miranda, o samba choro "Fiz castelos de amores", um de seus sucessos e Mário Reis, o samba "Meu consolo", parcerias com Valfrido Silva. Considera-se que a dupla tenha sido responsável  pela fixação do gênero samba-choro. De sua produção destacam,-se ainda, "Quem é que paga a gasolina?", registrada por Odete Amaral , e "Honrando um nome de mulher", gravado por Carmen Miranda, em 1936. No mesmo ano, Carmen Miranda gravou os choros "Honrando um nome de mulher", parceria com Valfrido Silva e "Polichinelo", parceria com Almanir Grego. O compositor dedicava-se também a fazer caricaturas, o que levou Lamartine Babo a chamá-lo de La Fontaine do rádio. Em 1937, Aurora Miranda gravou o choro "Noivado desfeito", parceria com Almanir Grego e Almirante, o choro "Faustina (Encrencas de família)" e o samba choro "Olha o grude formado". Em 1938, as Irmãs Pagãs lançaram na Odeon, o choro "Tia camarada (Filha do senador)" e Dircinha Batista e Castro Barbosa gravaram em dueto pela Columbia, a valsa "Estrada do passado", parceria com Arlindo Marques Junior e o fox canção "Meu grande amor", parceria com Armando Régis. Em 1959 gravou na Musidisc um LP no qual toca piano acompanhado pela bateria de seu parceiro Valfrido Silva. Nesse LP, foram interpretadas as músicas "Na Cadência do Tambor", "Vou Casar no Uruguai", "Cem Anos De Perdão", "Tudo Agora É Sonho", "Vai Cavar a Nota", "O Feitiço Virou", "Perdi a Aposta" e "Meu Consolo", todas em parceria com Valfrido Silva.

Mais visitados
da semana

1 Hermeto Pascoal
2 Caetano Veloso
3 Elton Medeiros
4 Joaquim Calado
5 Festivais de Música Popular
6 Noel Rosa
7 Tom Jobim
8 Música Sertaneja
9 Dorival Caymmi
10 Irmãs Galvão