Busca:

G. R. E. S. Unidos de Padre Miguel



Dados Artísticos

A Escola foi fundada em 12 de novembro de 1957, com sede à Rua Mesquita 8, na comunidade da Vila Vintém, no subúrbio carioca de Padre Miguel. O primeiro símbolo da escola foi um boi vermelho, posteriormente substituído por um desenho de aperto de mão interracial. Desfilou pela primeira vez dois anos após a sua fundação, no carnaval de 1959, na Praça Onze, no centro do Rio de Janeiro, sagrando-se campeã neste mesmo ano, obtendo o direito de desfilar juntos às campeãs no ano seguinte, em 1960. Retornou ao grupo de acesso em 1961, desfilando ainda nos anos de 1964, 1971 e 1972. No ano de 2005, com o enredo "Abram alas que eu quero passar. Sou carnaval carioca sou Unidos de Padre Miguel" desfilou no Grupo D e no ano seguinte, em 2006, no Grupo C, quando retornou ao sambródromo para desfilar pelo Grupo B. Em 2007 desfilou na Marquês de Sapucaí com enredo contando os 50 anos da Escola. No ano posterior, em 2008, classificou-se em terceiro lugar no Grupo de Acesso A com o enredo "Olokum, Deus das Águas". No ano de 2013 apresentou o enredo "O Reencontro entre o Céu e a Terra no Reino de Alà Áfin Oyó". No ano seguinte, em 2014, passou a fazer parte da Série A, tendo como novo intérprete Marquinho Art'Samba obtendo o terceiro lugar no desfile com o enredo sobre os Mistérios da Humanidade. Em 2015 com enredo em homenagem ao escritor Ariano Suassuna a Escola classificou-se em segundo lugar do Grupo Série A. NO ano seguinte, em 2016, com o novo puxador Luizinho Andanças, desfilou com o enredo "O Quinto dos Infernos". Em 2017 apresentou o enredo "Ossain - O poder da cura", exaltando o orixá das folhas e da cura. Contudo, a Escola perdeu ponto por causa de um acidente com a porta-bandeira Jéssica Ferreira, que caiu durante sua apresentação, sendo diagnosticada como tendo uma entorse no joelho. O Mestre Sala Vinícius Antunes, seguiu desfilando sozinho até a chegada da chegada da segunda porta-bandeira da escola, Cássia Maria. Neste ano a Escola classificou-se em quarto lugar. No ano de 2018 classificou-se em segundo lugar no desfile do Grupo de Acesso A com o enredo, criado pelo carnavalesco João Vitor Araújo, baseado na obra de Milton Hatoum. No ano seguinte, em 2019, desenvolveu um enredo sobre a vida e a obra do escritor Dias Gomes, obtendo o sexto lugar no desfile dos Grupo de Acesso A. Em 2020 a Escola oficializou o retorno do símbolo "O Boi Vermelho", que voltou a estampar o pavilhão da agremiação. Neste ano com o enredo "Ginga" a Escola classificou-se em segundo lugar no desfile do Grupo de Acesso A, tendo como interprete Diego Nicolau, presidente Renato Maroto, presidência de honra Regina Celi, comissão de frente coordenada pelo coreógrafo David Lima, mestre-sala e porta-bandeira Vinícius Antunes e Jéssica Ferreira, diretores de carnaval Cícero Costa e Nana Costa, diretores de harmonia Alessandro Cobra e Carlos KZ, mestre de bateria Dinho e rainha de bateria Karina Costa. A Escola ganhou, através dos anos, seis campeonatos em grupos de acesso diferentes.

Mais visitados
da semana

1 Durval e Davi
2 Tiee
3 Gilberto Monteiro
4 Teresa Cristina
5 Alceu Valença
6 Creone e Barrerito
7 Festivais de Música Popular
8 Martha Rocha
9 Noel Rosa
10 Luiz Gonzaga