Busca:

Fundo de Quintal



Dados Artísticos

O grupo surgiu em 1980, dentro do Bloco Carnavalesco Cacique de Ramos, em Ramos, subúrbio da região da Leopoldina, no Rio de Janeiro. Era formado inicialmente por Almir Guineto, Jorge Aragão, Neoci, Sereno, Sombrinha, Bira Presidente, Ubirany, Arlindo Cruz e Valter Sete Cordas. Tocava às quartas-feiras, fazendo um som que começou a atrair a atenção de gente importante do mundo do samba. Considerado como um dos criadores de um estilo que influenciou praticamente todas as bandas de pagode posteriormente, o grupo tocava músicas de grandes sambistas e composições próprias, sempre um ritmo diferente, uma nova maneira de falar do cotidiano, utilizando instrumentos até então incomuns nas rodas de samba, como o banjo com braço de cavaquinho (criado por Almir Guineto), o tantã (criado por Sereno), o repique-de-mão e o repique-de-anel. Beth Carvalho convidou o grupo para participar de seu disco "Pé no chão", produzido por Rildo Hora, que mais tarde viria a produzir vários trabalhos do grupo. Em 1980, pela gravadora RGE, o grupo lançou o primeiro disco, muito bem aceito pela crítica. No ano seguinte, gravou "Samba é no fundo do quintal Volume 2", disco no qual interpretou "Você quer voltar" (Pedrinho da Flor e Gelcy do Cavaco), "Sou Flamengo, Cacique e Mangueira" (Luiz Carlos), "Prazer da Serrinha" (Hélio dos Santos e Rubens da Silva), "Zé da ralé" (Almir Baixinho e Diogo) e "Gamação danada", de Almir e Neguinho da Beija-Flor. No ano de 1983, no disco "Nos pagodes da vida", destacaram-se os sucessos "Caciqueando" (Noca da Portela), "Encrespou o mar, Clementina" (Walmir Lima e Roque Ferreira), "Enredo do meu samba" (Dona Ivone Lara e Jorge Aragão) e "Te gosto", de Mauro Diniz e Adilson Victor. No ano posterior, obteve sucesso com a composição "Castelo e cera", de Arlindo Cruz e Zeca Pagodinho, faixa do LP "Seja sambista também". Ainda deste disco, outras músicas viriam a se destacar: "Cabeça fria" (Sereno), "Cantei pra distrair" (Tio Hélio), "Toda minha verdade" (Wilson Moreira) e "Canto maior" (Arlindo Cruz, Sombrinha e Dedé da Portela). No ano de  1985, o grupo lançou o LP "Divina luz". No disco, além de várias faixas de componentes do grupo, foram incluídas "Minha alegria" (Luiz Grande), "Chega de padecer" (Mijinha), "Parabéns pra você" (Mauro Diniz, Sereno e Ratinho) e o sucesso "Eu não fui convidado", de Zé Luiz e Nei Lopes. Em 1987, Beth Carvalho fez uma participação especial na faixa "Pra que viver assim" (Sombrinha e Adilson Victor), do LP "Do fundo do nosso quintal". Ainda neste disco, Martinho da Vila participou nas faixas "Mama lala" (cantiga popular de Angola) e "Clube marítimo africano", dos angolanos Felipe Mukenga e Felipe Zau. No ano de 1989, com "Ciranda do povo", LP lançado pela RGE, o grupo, bastante conhecido no mercado musical, obteve vários sucessos, entre eles: "Miudinho, meu bem, miudinho" (Franco e Arlindo Cruz), "Não valeu" (Franco, Arlindo Cruz e Marquinhos PQD), "Coração andorinha" (Beto Sem Braço e Luiz Carlos da Vila) e "Folha de zinco" (Jurandir da Mangueira e Ratinho). No ano de 1995, o grupo fez um disco de retrospectiva da carreira e regravou vários de seus sucessos e algumas inéditas: "Juras" (Noca da Portela, Darcy de Paulo e Toninho Nascimento), "Mistura de pele" (Sereno), "Amor dos deuses" (Ronaldinho do Banjo e Mário Sérgio), "Por todos os santos" (Nélson Rufino e Carlinhos Santana) e "Palco iluminado" (Cléber Augusto e Djalma Falcão), faixa que deu nome ao disco.  No ano 2000, lançou pela gravadora BMG o primeiro disco ao vivo. No CD "Simplicidade" o grupo interpretou vários de seus sucessos. Neste mesmo ano, a gravadora RGE relançou em CD todos os LPs editados anteriormente. Participou do CD "'Os melhores do ano II", pela Indie Records, interpretando "Rosalina" (Serginho Meriti e Luizinho) e "Romance dos astros" (Luiz Carlos da Vila, Cléber Augusto e Jorge Carioca), esta última ao lado de Beth Carvalho. Ainda em 2000 a Som Livre lançou o CD “Nosso Grito”, com os maiores sucessos do grupo. Em 2001, pela gravadora BMG e com produção de Rildo Hora, o grupo lançou o disco "Papo de samba". No CD, o 21º da carreira, foram incluídas músicas de participantes do grupo, como "Numa casa véia" (Mário Sérghio, Sereno e Ronaldinho), assim como outras de compositores importantes, como Monarco e Mauro Diniz em "Peregrinação".  Em 2002, lançou o CD "Fundo de Quintal - Cacique de Ramos". Gravado ao vivo na quadra do Bloco Carnavalesco Cacique de Ramos e produzido por Rildo Hora, o CD contou com várias participações especiais, entre elas, Almir Guineto, Sombrinha, Arlindo Cruz e Jorge Aragão (ex-integrantes), Zeca Pagodinho e Beth Carvalho. Neste mesmo ano o grupo participou do CD e DVD "Jorge Aragão ao vivo convida", lançado pela gravadora Indie Records. Em 2003, ao lado de Beth Carvalho, Zeca Pagodinho e Dudu Nobre, o grupo foi uma das atrações especiais do "Festival Fábrica do Samba", apresentado no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. Neste mesmo ano, lançou pela gravadora BMG o CD "Festa pra comunidade" e o violonista Cléber Augusto afastou-se do grupo para seguir carreira solo. Sua formação ficou então da seguinte maneira: Ademir Batera (batera), Mário Sérghio (cavaquinho e voz), Ronaldinho (cavaquinho e banjo), Sereno (voz e tan-tan), Bira Presidente (pandeiro e voz) e Ubirany (voz, repique e caixinha). No ano de 2004 gravou o primeiro DVD em show no Olimpo, no Rio de Janeiro, e no qual recebeu como convidados Jorge Aragão, Alcione, Leci Brandão, Zeca Pagodinho, Nei Lopes, Almir Guineto, Dona Ivone Lara, Luiz Carlos da Vila, Dudu Nobre, Arlindo Cruz, Sombrinha, Beth Carvalho e Demônios da Garoa. O disco foi lançado em março do mesmo ano em três show no Canecão, nos quais o grupo recebeu diversos convidados, entre eles, Alcione, Dudu Nobre, Revelação, Exaltasamba, Jorge Aragão e Arlindo Cruz, ambos ex-integrantes do grupo. No DVD, dirigido pela cantora Karla Sabah, foram incluídas cenas de gravações antigas, do tempo do pagode da tamarineira, no Bloco Carnavalesco Cacique de Ramos, nos quais aparecem Dida e Neoci Dias, ambos já falecidos. O Fundo de Quintal recebeu o "Prêmio Sharp de Música" nove vezes, sendo sete consecutivas, como "Melhor Grupo de Samba". O DVD vendeu 120 mil cópias e o CD 85 mil cópias. Ainda em 2004 recebeu o "O Prêmio Tim" na categoria "Melhor Grupo de Samba".  No ano de 2005 recebeu outra vez o "Prêmio Tim" na categoria "Melho Grupo de Samba". Nesse mesmo ano lançou, pela Som Livre, o CD “Samba quente”, com músicas que marcaram a carreira do grupo, dentre as quais “A batucada dos nossos tantãs”, “Enredo do meu samba”, “Caciqueando”. Em 2006 lançou o CD "Pela hora", faixa-título de Adriano Ribeiro e Carlos Caetano. Com arranjo e produção do maestro Rildo Hora, o CD foi lançado pela gravadora Indie Records e nele constaram várias composições inéditas, entre as quais "Madame" (Zeca Pagodinho e Ratinho), "Benza eu" (Mário Sérgio e Sombrinha) e "Vivo pra você", de André Renato, Ronaldinho e Sereno.  No ano de 2007 gravou em show no Canecão o CD e DVD "Os grandes sucessos do samba" (gravadora LGK) do qual participaram Almir Guineto e Zeca Pagodinho, entre outros, com arranjos e produção musical de Rildo Hora. Neste mesmo ano participou da gravação do CD e DVD do selo Zecapagodisco, para o qual gravou a faixa "Boca sem dente" em dueto com o rapper Gabriel, O Pensador, em espetáculo na Cidade do Samba, com produção de Rildo Hora, Max Pierre e Zeca Pagodinho, apresentado por Ricardo Cravo Albin. Neste mesmo ano fez show de lançamento do disco e comemoração dos 27 anos de carreira do grupo no Teatro Rival BR e no Clube Tamoio, em São Gonçalo. Na ocasião, apresentou diversas composições novas e sucesos de carreira.  Em 2008 lançou o DVD "O quintal do samba", no qual foram incluídas diversos sucessos de várias fases da carreira do grupo. Também foram incluídas as faixas "Ela só quer saber de sambar" (Carlos Caetano, Moisés Santiago e Flavinho Silva) e "Ex-amor", de Martinho da Vila. O DVD foi lançado em show no Canecão neste mesmo ano. Ainda em 2008 o grupo lançou o CD/ DVD “Samba de todos os tempos”, de cujo repertório foi escolhido por votação popular promovida pelo programa “Domingão do Faustão”, da Rede Globo. Dentre as músicas elegidas pelo público e formadores de opinião incluiram-se “Ai, que saudades da Amélia” (Ataulpho Alves a Mário Lago) e “Foi um rio que passou em minha vida” (Paulinho da Viola). O grupo ainda gravou quatro sambas inéditos nesse disco, “Mulher valente” (André Renato e Tonaldo Barcelos), “Pra alegria peço bis” (Schiavon e Luciana Cardoso), “Tesouro de um povo” (Mário Sérgio e Ronaldo) e “A força do samba” (Sereno, Adilson Gavião e roberto Lopes). Em 2009 lançou, pela Som Livre, o CD/ DVD “Vou festejar”, que contou com as participações especiais de Beth Carvalho em “Vou festejar”, Zeca Pagodinho, e Almir Guineto em “Mole que nem manteiga”. Em 2011 o cantor e cavaquinhista Flavinho Silva entrou para grupo no lugar de Mário Sérgio. Nesse mesmo ano lançou, pelo selo Biscoito Fino, o CD Nossa Verdade, primeiro disco de inéditas do grupo em cinco anos. O disco, produzido por Rildo Hora e Paulão Sete Cordas, contou com as faixas "Luz da alvorada" (Dona Ivone Lara, Délcio Carvalho e Paulinho Carvalho), "Nossa verdade" (Sereno e André Renato), "O poder de curar" (Arlindo Cruz, Sombrinha e André Rocha), "Cacique - A Consagração" (Sereno), "Subtração" (Sereno), "Coisa da Raça" (Sereno, Flavinho Silva e Ronaldinho), "Amor proibido" (Ubirany, Serginho Madureira e Capri), "Passou da hora" (André Renato), "Fera no cio" (Cléber Augusto, Djalma Falcão e Bicudo). Participou da gravação do “Samba Book - João Nogueira”, lançado em CD, DVD e Blu Ray pela Musickeria em 2012, no qual interpretou as faixas “Chinelo novo” (João Nogueira e Niltinho Tristeza) e “Clube do samba”. Em 2012 o cantor e compositor Délcio Luiz passou a integrar o grupo. Nesse mesmo ano o grupo se apresentou no palco do Vivo Rio, no Rio de Janeiro, em show de encerramento da turnê “Nossa Verdade”, que contou com a participação do cantor e compositor Seu Jorge. Foi uma das atrações do evento “Verão do Rio”, realizado na Marina da Glória, no Rio de Janeiro, do qual participaram artistas como Beth Carvalho, Diogo Nogueira, Mart’nália e Preta Gil. Ainda em 2012 conquistou o prêmio de “Melhor Grupo de Samba” na 23ª edição do “Prêmio da Música Brasileira”, realizada no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Participou do show realizado no Teatro Carlos Gomes, no Rio de Janeiro, para a gravação do CD “Homenagens Vol. 1”, da Velha Guarda da Mangueira. Interpretando, na ocasião, a faixa “Escurinha”, de Arnaldo Passos e Geraldo Pereira. Em 2013 realizou uma pequena temporada do show no “No compasso do samba”, no Teatro Rival, no Rio de Janeiro, uma prévia do CD homônimo. Em 2014 lançou o CD de inéditas “Só felicidade”, que incluiu as músicas “Deita que eu vou pro samba” (Ronaldinho e Zeca do Cavaco), “Esqueço da hora” (Fred Camacho, Pretinho da Serrinha e Almir Guineto) e “Som Brasil” (Sereno e Moacyr Luz), entre outras. Em 2015 foi premiado com o “Grammy Latino” na categoria “Melhor Álbum de Samba/Pagode”, com o disco “Só felicidade”. Nesse mesmo ano apresentou-se pela primeira vez no palco do Imperator – Centro Cultural João Nogueira, no Rio de Janeiro, para lançamento do CD “Só felicidade”, realizado no Dia Nacional do Samba. Em 2016 lançou o CD/ DVD “Fundo de Quintal 40 Anos no Circo Voador”, que contou com participações especiais de Xande de Pilares, Cléber Augusto, Zélia Duncan e Monobloco.

Mais visitados
da semana

1 Caetano Veloso
2 Chitãozinho e Xororó
3 Elis Regina
4 Noel Rosa
5 Isolda
6 Tom Jobim
7 Bezerra da Silva
8 Bloco Carnavalesco Concentra Mas Não Sai
9 As Marcianas
10 Luiz Gonzaga