Busca:

Fred Góes

Frederico Augusto Liberalli de Góes
3/2/1948 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

Na década de 1980, com Lauro Góes, fundou e dirigiu o Grupo Tule (Teatro Universitário de Letras/UFRJ). Na ocasião, escreveu e montou o espetáculo "K-ótico após-trópico romântico". Autor dos textos teatrais "Te vendo vivendo aos pedaços"; "A Luz de Andaluiza" (em parceria com Lauro Góes), "Mocreias e Jabiracas" (em parceria com Graça Coutinho) e "As decrépitas de Copacabana" (em parceria com Maria da Guia). Em 1980 o Trio Elétrico Armandinho, Dodô e Osmar gravou "Mandinga de pajé" (c/ Armandinho). No ano de 1982, com André Bueno, produziu, roteirizou e apresentou o programa "Tirando de letra", na rádio MEC/AM e FM, do Rio de Janeiro. Neste mesmo ano, dirigiu e roteirizou os shows "Pintando o oito", de Moraes Moreira, apresentado no Anhembi em São Paulo, e "Rafael Rabello e Armandinho", no Jazzmania, no Rio de Janeiro. Ainda neste ano, Moraes Moreira gravou "Cordão de ouro", parceria de ambos, e Ângela Maria interpretou "Sempre Ângela", em parceria com Moraes Moreira e Paulo Leminski. No ano seguinte, em 1983, Toni Costa gravou "Acho que ela gosta", parceria com Mú Carvalho. Em 1984 foram gravadas de sua autoria "Encabulado coração" (c/ Zeca Barreto) e "Dá um break", em parceria com Armandinho Macedo. No ano seguinte, em 1985, Luiz Gonzaga interpretou "Instrumento bom", feita em parceria com Moraes Moreira. No mesmo ano teve gravadas "Piano ex-cravo" (c/ Moraes Moreira e Aroldo Macedo) e "Mudou de cor", em parceria com Armandinho. No ano posterior, em 1986, foram gravadas "Boca de balão", "Segue o mantra" e "Sintonia", as três em parcerias com Moraes Moreira e Zeca Barreto. Ainda em 1986 teve registrada em disco, pelo grupo A Cor do Som, "Menina dos olhos de ameixa", em parceria com Mú Carvalho. No ano de 1987 foram gravadas as composições "Barato cucaracha" (c/ Zeca Barreto), "Calundu" e "Mais que palavras", ambas em parceria com Moraes Moreira. Posteriormente, em 1988, as composições "Dodói neném" e "Bola de cristal" (ambas em parceria com Guilherme Maia) e "Hoje é seu dia" (c/ Armandinho) foram registradas em LPs. Em televisão foi roteirista dos vídeos dirigidos por Graça Coutinho e Pedro Oliveira, "I'm Tupyniquim" e "I'm Tupyniquim Too", realizados nos anos de 1986 e 1987, respectivamente, e apresentados em diversos festivais, tais como "Festival de Cinema e Vídeo FestRio", "Festival de Cinema de Cuba" (Havana), "Festival de Cinema de Leipzig" (Alemanha). Adaptou para o teatro "I’m Tupiniquim Tree" (A Árvore Genealógica). Em 1989 atuou como roteirista do "Especial Moraes Moreira", para a TV Manchete e para o vídeo "I'm Tupyniquim tree, a árvore", com Graça Coutinho e Pedro Oliveira, indicado na categoria “Melhor Roteiro” do "Concurso do Programa Sinal de Vídeo", da TVE/RJ. No mesmo ano teve gravada "América do Sul", parceria com Géo Benjamim e Rogério Soares. Ainda em 1989 Elba Ramalho interpretou "Popular brasileira" (c/ Moraes Moreira), faixa-título do LP da cantora. No ano seguinte, em 1990, roteirizou o show de Eliane Ferraz, realizado no Vinicius Piano Bar, no Rio de Janeiro.  Na área de exposições, no mesmo ano de 1989, foi o curador da retrospectiva "40 anos de trio elétrico", realizada na Fundação Gregório de Matos. Ainda neste ano, teve de sua autoria gravadas três parcerias com Moraes Moreira: "Balança Rio", "Rádio coração" e ainda "É bom suar", esta última com Pepeu Gomes e Moraes Moreira. Em 1992, com Lauro Góes, dirigiu e roteirizou "A poesia vai à luta", coletânea de textos árcades e históricos. No mesmo ano, a música "Decisão", em parceria com Guilherme Maia, foi gravada. No ano seguinte, em 1993, seria a vez de "Vem de Obatalá", em parceria com Armandinho Macedo. No ano posterior, em 1994, Moraes Moreira interpretou "Palavra", parceria de ambos. Um ano depois, 1995, compôs com Guilherme Maia a trilha para o musical "Bumba - o menino e o pinto do menino", uma adaptação teatral de Graça Coutinho e Pedro Oliveira para o conto de Wander Piroli, encenado no teatro Villa Lobos. Neste mesmo ano sua parceria sua com Marcelo Sussekind "Esquizofrênica paixão", também foi gravada. No ano de 1996 compôs a trilha sonora do espetáculo "O pedido de casamento - causos & canções - uma comédia musicada", de Nélson Xavier e Via Negromonte. Ainda neste ano, de sua autoria em parceria com Moraes Moreira, foi gravada "Beber na fonte".  No ano seguinte, em 1997, teve registradas em CDs "Tremedeira" (c/ Guilherme Maia), "Aventura de Deus" (c/ Moraes Moreira) gravado por Moraes Moreira, e "Tecnologia tropical", em parceria com Armandinho Macedo, gravado pelo Trio Elétrico de Armandinho, Dodô e Osmar. Em 1998 "Própria lua" (c/ Rogério Soares) e "Saudades do Rio" (c/ Toni Costa) foram incluídas no CD "A sorte muda", de Toni Costa. Esta última interpretada por Luiz Melodia. Logo depois, em 1999, Armandinho Macedo gravou "Não vou calar", parceria de ambos, no CD "Retocando o Choro", de Armandinho. No ano 2000 foi o criador e roteirista dos clips comemorativos dos 50 anos do trio elétrico, produzidos para a TV Bahia. Atuou como curador do módulo "Carnaval", da exposição "500 Anos do Brasil", na Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro. Ainda no ano 2000, foram gravadas suas composições "Mandinga de pajé", por Luiz Caldas e "Corrente do amor", em parceria com Armandinho Macedo. No ano seguinte, em 2001, foi novamente realizada a exposição "500 Anos do Brasil", na Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro. No mesmo ano foram gravadas suas composições "Nordeste cosmopolita" (c/ Moraes Moreira) e "Liberdade americana", em parceria com Guilherme Maia. Ainda em 2001 foram gravadas no CD "Bahião com H", de Moraes Moreira, as faixas "Instrumento bom", "Nordeste Cosmopolita" e "Boca do balão", parcerias de ambos, além de "Sintonia", parceria com Moraes Moreira é Zeca Barreto, interpretada por o Moraes Moreira e Forróçacana. No ano de 2002 participou do livro "Brasiliana - Guia das Fontes do Brasil" editado pela Biblioteca Nacional, livro organizado por Paulo Roberto Pereira, que incluiu, entre outros escritores, Ricardo Cravo Albin, Ronaldo Rogério de Freitas Mourão, Vasco Mariz, Alexei Bueno, Beatriz Jaguaribe e Max Justo. Entre os anos de 2003 e 2008 presidiu o júri do "Prêmio Rival BR de Música", evento realizado no Teatro Rival BR, no Rio de Janeiro. Em 2012 lançou, no Palácio da Aclamação, em Belo Horizonte, o livro "O ABC de Jorge Amado", cordel escrito em parceria com Moraes Moreira, em homenagem ao centenário de Amado Jorge, com ilustrações de Bel Borba. No ano de 2015 ministrou a conferência "Marques Rebelo", pelo projeto "Construtores da Literatura Carioca nos 450 Anos do Rio", da FBN (Fundação Biblioteca Nacional) e Academia Carioca de Letras no Auditório Machado de Assis, da Biblioteca Nacional. No ano seguinte, em 2016, idealizou e produziu o projeto de registro sonoro de algumas de suas composições, trabalho intitulado "Cobertura 01", com direção musical de Fernando Moura, no qual recebeu os amigos músicos, parceiros e intérpretes para as gravações que aconteciam em sua residência, na Zona Sul do Rio de Janeiro. As 12 composições que fizeram parte deste registro foram "Ginger e Fred" (c/ Fernando Moura) Fernando Moura (piano) e Bia Sion (voz); "Jardim de pedra" (c/ Guilherme Maia) Fernando Moura (piano e teclados) e Verônica Sabino (voz); "Deu ruim" (c/ Moraes Moreira) Moraes Moreira (violão e voz); "Quando e se" (c/ Moraes Moreira) Fernando Moura (piano) e Moraes Moreira (violão e voz); "Eletro-doméstica" (c/ Moraes Moreira) Moraes Moreira (violão e voz); "Olhos da porta" (c/ Fernando Moura) Fernando Moura (piano), Carlos Malta (saxofone e flautas) e Andréa Monteiro (voz); "Chorinho no prato" (c/ Armandinho Macedo) Fernando Moura (piano), Armandinho (bandolim), Ary Dias (percussão) e Wladmir Pinheiro (voz); "Varal da vida" (c/ Bia Sion) Fernando Moura (piano), João Castilho (guitarra e violão) e Bia Sion (voz); "Ginga da gente" (c/ Guilherme Maia) Fernando Moura (piano), Jovi Joviniano (percussão), Henrique Cazes (violão e cavaquinho), Georgiana Góes (voz) e Pedro Miranda (voz); "Atrás da fantasia" (c/ Toni Costa) Fernando Moura (piano e teclados), Toni Costa (guitarra), João Viana (bateria) e Dadi Carvalho (contrabaixo); "Como reza" (c/ Toni Costa) Fernando Moura (piano), Toni Costa (violão), Carlos Malta (saxofone e flautas), Jamil Joanes (baixo), Oscar Bolão (percussão), Bernardo Bessler e Fernando Donato (violinos), Mari Christine Springuel (viola) e Emanuele Araújo (voz) e música "Final amor para sempre", parceria com Fernando Moura, que executou piano, melódica e teclado na faixa, que também contou com os músicos Carlos Malta (flautas e sax soprano), Bernardo Bessler e Fernando Donato (violinos), Marie Christine Springuel (viola), Marcos Ribeiro (violoncello),interpretada pela atriz e cantora Ângela Leal. O projeto foi finalizado e lançado no ano de 2017 pelo Selo Fernando Moura Produções Musicais e Artísticas. Como letrista, entre gravações e regravações, possui mais de 70 composições registradas por vários intérpretes, entre os quais Luiz Gonzaga, Elba Ramalho, Moraes Moreira, Maria Bethânia, A Cor do Som, Trio Elétrico de Armandinho, Dodô e Osmar, Ângela Maria, Mara Maravilha, Pepeu Gomes, Paulinho Boca de Cantor, Xuxa, Forróçacana, Luiz Melodia e Luiz Caldas.

Mais visitados
da semana

1 Nelson Cavaquinho
2 Noel Rosa
3 Tom Jobim
4 Gerlane Lops
5 Hermeto Pascoal
6 Dorival Caymmi
7 Elza Soares
8 Cat Dealers
9 Chitãozinho e Xororó
10 Luiz Gonzaga