Busca:

Flor de Abacate



Dados Artísticos

Grupo de choro formado em 1989, na cidade de Belo Horizonte, por Sílvio Carlos (Itabira, MG - violão de sete cordas), Rubim do Bandolim (Timóteo, MG - bandolim), Zé Maria (Divinolândia, MG - clarinete), Jorge Souza (Itabirito, MG - cavaquinho), Oszenclever Camargo (Recreio, MG - percussão) e Ilideu Vilanova (Mateus Leme, MG - bandolim). O grupo desenvolvia um trabalho de pesquisa, estudo e divulgação da música instrumental brasileira, com destaque para o gênero choro. Composto por músicos mineiros com formação popular e acadêmica, o grupo se destacou pela interpretação e arranjos inusitados de composições próprias e de autores famosos, como Pixinguinha, Hermeto Pascoal, Astor Piazzolla e Villa-Lobos.   Sílvio Carlos iniciou o aprendizado de violão popular e clássico em 1975, dedicando-se a partir de 1977 ao estudo do violão de sete cordas e sua aplicação no choro brasileiro, ocasião em que participou da fundação do Grupo Flor de Abacate. Participou de vários programas e eventos culturais em Minas Gerais, em apresentações no Grande Teatro do Palácio das Artes, Teatro Francisco Nunes, Sala Ceschiatti, Teatro do MAI, programas de TV, rádios locais, além de acompanhar cantores da MPB tais como Paulinho da Viola, Pernambuco do Pandeiro, Paulinho Pedra Azul, Tino Gomes, entre outros. Atuou como diretor musical e arranjador do Grupo Flor de Abacate.   Rubim do Bandolim estudou teoria musical na Corporação Musical Santa Cecília. Executava vários instrumentos de cordas, atuando também com o professor de bandolim, cavaquinho, violão, guitarra, entre outros instrumentos; participou de vários festivais no interior de Minas Gerais como instrumentista e arranjador. Integrou o projeto "Rio Conection", fazendo apresentações no Canadá e EUA.   Zé Maria iniciou os estudos de clarinete e saxofone aos 14 anos de idade. Ingressou posteriormente na Polícia Militar de Minas Gerais, atuando como requintista da Academia de Música daquela corporação. Após o desligamento da Polícia Militar, dedicou-se ao estudo do clarinete e participou de várias apresentações em Minas Gerais e outros estados acompanhando músicos como Paulo Moura, Paulo Sérgio Santos, Grupo Época de Ouro, Izaías de Almeida.   Jorge Souza iniciou os estudos musicais na Escola de Música da UFMG. Além do cavaquinho de centro, executava também o bandolim. Passou a integrar o grupo Flor de Abacate a partir de 1992, e com ele participou de vários eventos culturais em Belo Horizonte, incluindo apresentações no Teatro de Contagem, Teatro do MAI, Show “Aqui-Ó” e “Programa Arrumação”.   Oszenclever Camargo, ritmista desde os 13 anos, participou de várias apresentações e gravações de discos, acompanhando cantores da MPB como Waldir Silva, de programas de TV e rádios, como Programa Arrumação, além de apresentações no Grande Teatro do Palácio das Artes, Minas Tênis Clube e Teatro Francisco Nunes. Passou a integrar o grupo a partir de 1989, como percussionista.   Ildeu Vilanova foi integrante do grupo Choro Chorado, como solista de bandolim, em várias apresentações em casas noturnas, TV's e rádios locais. Compositor de vários choros e valsas passou a integrar o grupo Flor de Abacate em 1998, como solista de bandolim.   Com essa formação o grupo lançou, em 1999, o primeiro CD com as faixas "Ainda me Recordo" (Pixinguinha), "Bachianas Brasileiras nº 5" (1a. Parte da ária - Cantilena) (Heitor Villa Lobos), "Bebê" (Hermeto Pascoal)," Adios Nonino" (Astor Piazzolla), "Saudade de Itabira" (Sílvio Carlos), "Mistura e Manda" (Nelson Alves), "Terna Saudade" (Anacleto de Medeiros), "O Gato e o Canário" (Pixinguinha), "Auto Plágio" (K-Ximbinho), "No Bar do Souza" (Ildeu Vilanova), "Tantos Anos sem Êle - Rafael" (Sílvio Carlos), "O Trenzinho do Caipira" (Heitor Villa Lobos) e "Remexendo", do maestro Radamés Gnattali. Na ocasião, participaram da gravação do disco os músicos Sílvio Carlos (violão 7 cordas), Rubim do Bandolim (bandolim), Zé Maria (clarinete), Jorge Souza (cavaquinho), Oszenclever Camargo (percussão), Ildeu Vila Nova ( bandolim), com produção, arranjos e direção musical Sílvio Carlos. No ano de 2002 o grupo lançou o CD "Batuque", gravado pelos integrantes Rubim do Bandolim (bandolim e cavaquinho), Marcos Freitas (trombone), Sílvio Carlos (produção, arranjos, direção musical e violão de 7 cordas), Oszenclever Camargo (percussão) e no bandolim Ildeu Vila Nova, em participação especial. No disco foram incluídas as faixas "Pula Sapo" (Pixinguinha), "Canto Triste" (Edu Lobo e Vinicius de Moraes), "Choro pra Cláudio" (Sílvio Carlos), "Chorinho pra ele" (Hermeto Pascoal), "Modinha" (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), "Turuna" (Ernesto Nazareth), "Vitória-Minas" (Rubens Miranda da Silva), "Beco do Choro" (Belini Andrade), "Anacleto de Medeiros" (3º Movimento da Suite Retratos) (Radamés Gnattali), "Oculto" (Pixinguinha), "Conceição" (Joaquim Antônio da Silva Callado), "Em ti Pensando" (Anacleto de Medeiros), "Epônina" (Ernesto Nazareth) e a faixa-título "Batuque", de autoria de Ernesto Nazareth. No ano de 2004 o grupo com a nova formação: Rubim do Bandolim (bandolim e cavaquinho tenor), Marcos Freitas (trombone), Sílvio Carlos (violão de 7 cordas, produção, arranjos e direção musical), Oszenclever Camargo (percussão) e Dudu Braga (cavaquinho) lançou o CD "Belini Andrade e Grupo Flor de Abacate", no qual foram incluída as composições "Beco do Choro", "Café Amargo", "Fim de Papo", "Gingando", "Tudo Errado", "Um Cavaquinho Legal", "Choramingando", "Sai de Baixo", "Juliana", "Língua de Cigano", "A Platibanda Verde", "Fusas nas Teclas", "Dadinho no Choro", "Ciceronando" e "Faceirinho", todas de autoria de Belini Andrade, que fez participação especial no trabalho executando sax soprano e sax tenor. O disco também contou com as participações especiais de Wagno Gomes (clarinete) e Cícero, no acordeom. Em 2005 o grupo fez os seguintes shows: "Projeto Música de Domingo - Teatro Francisco Nunes" (BH/MG); "Circuito Cultural Banco do Brasil - Palácio das Artes" (BH/MG); "Dia Nacional do Choro" em praça pública. No ano seguinte, apresentou-se nos projetos e espetáculos na Assembleia Legislativa do Espírito Santo e na Rádio Universitária de Fortaleza.  No ano de 2007 o grupo participou dos seguintes shows e projetos: "Projeto Domingo na Praça" (BH/MG); Bar Saideira, no projeto "Comida di Buteco" (BH/MG); "Mostra de Cinema / Itabira" (MG) e o show "Grupo Flor de Abacate e Carona Brasil" no Teatro da Prefeitura de Belo Horizonte. Em 2008 participou, como convidado especial, dos eventos "Semana Nacional do Choro de Uberaba"; show conjunto co o grupo Carona Brasil na Assembleia Legislativa de Belo Horizonte; "Projeto Quarto Inverno Cultural de Caxambu" (MG); "Projeto BH no Choro", com a pianista Maria Inês Guimarães no Teatro JK, em Belo Horizonte; "Festival Choro Livre de BH"; "Primeira Semana de Belo Horizonte em Buenos Aires", em Buenos Aires (Argentina), com o grupo Belo Choro. No ano posterior o grupo voltou a se apresentar no tradicional reduto do choro, o Bar Saideira, no projeto "Comida di Buteco". No ano de 2010 o grupo participou de diversos projetos musicais, destacando-se "Festa da Música - Feira Tom Jobim" (BH/MG); "Joel Nascimento e Grupo Flor de Abacate", no palco da Universidade Federal de Minas Gerais e no Teatro da Assembleia e no projeto "BH do Choro" com Joel Nascimento na "Feira Tom Jobim". No ano de 2011 o grupo participou do "Projeto Série BH Instrumental" na Praça da Saúde-Grajau (BH/MG); do projeto "Domingo no MHAB" (Museu Abílio Barreto, de Belo Horizonte); projeto "Minas ao Luar", no Teatro do SESC - Itabira, em Minas Gerais; projeto "Minas ao Luar", Teatro do SESC-Diamantina (MG); "Projeto Choro Livre - Mercado das Borboletas", em Belo Horizonte, e no projeto "Viver Minas - Mercado Central", em Belo Horizonte. No ano de 2012 o grupo apresentou-se no projeto "Minas ao Luar" no palco do SESC-Conselheiro Lafaiete; projeto "Ofício da Música", do Museu de Artes e Ofícios, de Belo Horizonte; projeto "Minas ao Luar", do SESC-Mateus Leme; projeto "BH Choro 3ª Edição", em comemoração do "Dia Nacional do Choro", em Belo Horizonte; "Projeto Minas ao Luar", do SESC-Lagoa Santa; projeto "Minas ao Luar", do SESC-Bom Despacho; projeto "Choro na Praça, Samba no Pé", do SESC/Parque das Mangabeiras; "Minas ao Luar", do SESC-Palladium, de Belo Horizonte; "Minas ao Luar", no palco do SESC-Barbacena; "Festa da Música 2012", na Praça Duque de Caxias, no Centro de Belo Horizonte; projeto "Minas ao Luar", do SESC-São João Del Rey; projeto "Domingo no MHAB", do Museu Abílio Barreto (BH/MG); "Projeto SESC no Parque", no Parque Municipal Américo Renné Giannetti, em Belo Horizonte; projeto "Minas ao Luar", do SESC-Contagem e projeto "Chorinho e Samba na Praça", do SESC/Parque JK, na cidade de Belo Horizonte. Passaram a integrar o grupo dois novos músicos:   Ramon Braga (pandeiro). Natural de Belo Horizonte. Multiinstrumentista e autodidata participou de vários eventos acompanhando artistas como Paulo Sérgio Santos, Cristina Buarque, entre outros.  Foi artista convidado no "VII Ipatinga Live Jazz, 9° Encontro da Associação Brasileira de Trombonistas" (Volta Redonda - RJ) e "XIII ABT/ITA South America", em Brasília, DF. Membro fundador do Clube do Choro de Betim, do qual também fez parte como pandeirista e diretor financeiro. Lançou em 2012 o CD instrumental de bateria intitulado "Mistura fina". Em 2015 atuava como pandeirista e baterista em diversos outros grupos de Minas Gerais.   Marcos Flávio Freitas (trombone). Nascido na cidade de Mateus Leme (MG) iniciou seus estudos musicais com os professores Adilson "Gato", José de Brito e Sílvio Carlos. Participou do Quarteto Trombominas, do grupo Choro de Minas e dos grupos de Samba Copo Lagoinha e Zé da Guiomar. Produziu e gravou em 2006 o CD "Chorobone", que contou com a participação especial do Grupo Flor de Abacate. Mestre em Música/Performance pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG); formado em "Música Brasileira pela Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG), Bacharel em Trombone pela UFMG. Em 2015 atuava como professor de trombone da Escola de Música da UFMG, onde desenvolveu atividades didáticas como Coordenador do Coral de Trombones da UFMG, lecionando, além do trombone, a disciplina Práticas Interpretativas no gênero choro.   No ano de 2015, com a seguinte formação: Silvio Carlos (violão de 7 cordas); Marcos Flávio Freitas (trombone); Rubim do Bandolim (bandolim) e Ramon Braga (pandeiro), o grupo apresentou-se em São Paulo, no palco do Sesc São José dos Campos, no bairro Jardim São Dimas, no projeto "Um chorinho a mais", projeto com apresentações musicais, intervenções e workshop.

Mais visitados
da semana

1 Adelmário Coelho
2 Mayck e Lyan
3 Gilberto e Gilmar
4 Aldir Blanc
5 Tiee
6 Rick e Renner
7 Música Sertaneja
8 Hermeto Pascoal
9 Noel Rosa
10 Dom Américo