Busca:

Fhernanda Fernandes

Miriam Tereza Meira Fernandes
13/5/1956 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

Iniciou sua carreira participando de festivais de música e cantando em casas noturnas, especialmente em bares de cidades do litoral fluminense, como Marica, Saquarema, Cabo Frio e arredores.

Em 1980, foi contemplada com o prêmio de Melhor Intérprete no Festival de Muriaé. Nesse mesmo ano, classificou “Devassa” (Solange Boeke e Wania Andrade) no festival MPB 80 (Rede Globo), o que lhe valeu a gravação da canção em um compacto simples lançado pela gravadora RGE, contendo também "Fato Consumado", de sua parceria com Ione Martins.

No ano seguinte, lançou, também pela RGE, o LP “Fera”, contendo “Príncipe encantado” e “Fato consumado” (c/ Ione Martins), além de “Golpe de amor” (Joyce e Ana Terra), “Fera” (Irinéa Maria), “De mão no bolso” (Paulo Jobim e Ronaldo Bastos), “Pessoas diversas” (Danilo Caymmi e Ana Terra), “O grande lance é fazer romance” (Caetano Veloso e Vinícius Cantuária), “Caso previsto” (Isolda e Milton Carlos) e “Palavras perdidas” (Mauro Marcondes e Caíto). O disco contou com a participação dos músicos Hélio Delmiro, Jamyl Jones e Mauro Senise, entre outros, e dos arranjadores Antonio Adolfo, Eduardo Souto Neto, João Donato e Perinho Santana.

Ainda na década de 1980, consolidou sua atividade de compositora, iniciando parcerias com Isolda, Sarah Benchimol, Fafy Siqueira e Irinéia Maria, tendo músicas gravadas por Nelson Gonçalves, Rosa Maria e Emílio Santiago.

Em 1989, apresentou, no Teatro Ipanema (RJ), o show "Gosto de hortelã", com direção musical de Irinéa Maria. O espetáculo foi gravado ao vivo e lançado inicialmente na Europa, em 1991, pelo selo francês Nocturne. Nessa época, a cantora vivia em Paris e passou a incorporar a letra “h” em seu nome, por sugestão de uma numeróloga. Sucesso de crítica e público, o disco levou a cantora a fazer shows em casas de espetáculos da Europa e a participar de festivais de jazz, ao lado de artistas internacionais, como Michel Legrand, Mercedes Sosa, Tuck and Patty e Winton Marsalis.

De volta ao Brasil em 1992, apresentou-se pelo país com o repertório do disco, que chegou ao mercado brasileiro no ano seguinte, pela Caju Music. No repertório, suas composições “Taquicardia”, “Marajó” e “Refil”, todas com Sarah Benchimol), “Afluentes” (c/ Guaracy Rodrigues e Sarah Benchimol), “Olhos de águia” (c/ Irinéa Maria) e a faixa-título (c/ Isolda), além de “Tele blue” (Irinéa Maria e Ney Leandro de Castro), “Dê um role” (Moraes e Galvão) e “Resgate” (Irinéa Maria e Paulo César Feital).

Em 2001, lançou o CD “Definitivamente”, produzido por Sarah Benchimol e Alceu Maia e contendo arranjos de Amadeu Signorelli, Pedro Braga, Alceu Maia e Darcy de Paulo. Registrou no disco suas canções “Procura-se”, “Dejá vu”, “Gosto de hortelã” e a faixa-título, todas com Isolda, “Louco querer” e “Tão simples”, ambas com Sarah Benchimol, “Tá pensando o que?” (c/ Jackie Silveira), “Parece um sonho”, “Me basta” e “Coração ascensorista”.

Constam da relação dos intérpretes de suas canções artistas como Nelson Gonçalves (“Conclusão”, com Isolda), Emílio Santiago (“Afluentes”, com Guaracy Rodrigues e Sarah Benchimol), Rosa Maria (“Blues da moto”, com Fafy Siqueira, e “Sai de mçim”, com Isolda), Wilma Nascimento (“Fato consumado” com Ione Martins), Luinha Araújo (“Coisa antiga”, com Fafy Siqueira) e Flávio Salles (“Dois caminhos”, com Sarah Benchimol).

Em 2012, lançou o CD “Passional”, contendo exclusivamente canções de Fátima Guedes: “É sério” (c/ Djavan), “Cara a máscara”, “Dor medonha”, “E agora?”, “Flor de ir embora”, “Tanto que aprendi de amor”, “Não te amo mais”, “Fraqueza”, “Paladar”, “Absinto”, “Desacostumei de carinho”, “Celeste” e a faixa-título.

Mais visitados
da semana

1 Creone e Barrerito
2 Trio Parada Dura
3 Caetano Veloso
4 Noel Rosa
5 Tiee
6 Gilberto e Gilmar
7 O Trio do Brasil
8 Samara
9 Zé Paulo
10 Bruno e Marrone