Busca:

Fafá de Belém

Maria de Fátima Palha de Figueiredo
10/8/1956 Belém, PA

Dados Artísticos

Em 1973, fez sua estréia como cantora em um show no Iate Clube de Belém, incentivada por Roberto Santana, produtor musical da PolyGram. No ano seguinte, apresentou-se com Zé Rodrix na boate Pujol e no Teatro da Lagoa, no Rio de Janeiro. Nesse mesmo ano, participou, com Sérgio Ricardo, de um show realizado em Belém, e, no ano seguinte, apresentou-se, com este mesmo show, no Teatro Vila Velha de Salvador (BA).  Ainda em 1975, gravou "Filho da Bahia", de Walter Queirós, para a trilha sonora da novela "Gabriela", da TV Globo, atingindo as paradas de sucesso. Gravou, também neste ano, seu primeiro compacto, com as canções "Naturalmente", de João Donato e Caetano Veloso, e "Emoriô", de Gilberto Gil e João Donato. Foi contratada em 1976 pela gravadora PolyGram e gravou seu primeiro elepê, "Tamba Tajá", título de uma antiga composição do paraense Waldemar Henrique. Participou, ainda em 1976, do elepê "O dinheiro na MPB", gravando a faixa "Dinheiro não é tudo", de Roberto e Erasmo Carlos. O disco, produzido por Ricardo Cravo Albin, foi distribuído pelo Banco do Brasil, não chegando, contudo, a atingir as lojas especializadas. No ano seguinte lançou o LP "Água", que atingiu a vendagem de cerca de 95.000 cópias. Os discos seguintes lançados pela gravadora foram "Banho de cheiro", em 1978,  com produção musical de Sérgio de Carvalho, "Estrela radiante" (1979) e "Crença" (1980). Intérprete de vários estilos como a música regional, o rock, o bolero, ritmos caribenhos, guarânias, afoxés, lambadas, sambas-canções, forró e clássicos do cancioneiro popular e da MPB, destacou-se no cenário artístico com a gravação de "Bilhete", de Ivan Lins e Vítor Martins, faixa do elepê "Essencial", lançado pela PolyGram em 1982. No ano seguinte, gravou seu primeiro disco na gravadora Som Livre: "Salinas". Teve importante atuação no "Movimento das Diretas Já", em 1984, ao interpretar, para mais de um milhão de pessoas que lotavam o Comício da Candelária (RJ), a canção "Menestrel das Alagoas", de Milton Nascimento e Fernando Brant, uma homenagem ao então senador Teotônio Vilela.  Ainda contratada da Som Livre, gravou "Aprendizes da esperança" (1985), "Atrevida", premiado com o disco de platina pela vendagem de 500.000 cópias, "Grandes amores" (1987) e "Sozinha" (1988). Causou impacto com uma polêmica interpretação do "Hino Nacional", em gravação contestada pela justiça e bem recebida pelo público, no momento da transição democrática do país.
Em 1989, gravou "Fafá" e, dois anos depois, "Doces palavras", lançados pela BMG/Ariola. Em 1991, participou do CD da então iniciante dupla Zezé di Camargo e Luciano na faixa "Aguas passadas", de Paulo Debétio. Em 1992, seu CD "Meu fado", lançado pela Som Livre,  recebeu o disco de platina em Portugal, duas semanas após seu lançamento. A partir de então, passou a ser considerada uma legenda da MPB em Portugal, onde excursiona com regularidade, sempre com grande sucesso. No ano seguinte, novamente pela BMG/Ariola, gravou "Doces palavras". Em 1994 a Sony lançou o seu 16º disco, "Cantiga pra ninar meu namorado". Ainda contratada pela Sony, gravou os CDs "Fafá ao vivo" (1995), comemorando vinte anos de carreira, "Pássaro sonhador" (1996), que remete às origens nortistas da cantora, apresentando um repertório de toadas e carimbós da região amazônica, e "Ave Maria" (1997). Nesse ano foi escolhida para interpretar a canção homônima durante a festa religiosa em homenagem à vinda do Papa João Paulo II ao Brasil, realizada no Maracanãzinho (RJ). Em 1998, contratada da Warner, gravou o CD "Coração pirata". Em 2000 lançou o CD "Maria de Fátima Palha Figueiredo", no qual interpretou, entre outras, as músicas "Sob medida", de Chico Buarque,"Amor em paz", de Vinícius de Moraes e Tom Jobim e "Tortura de amor", de Waldick Soriano. O disco foi lançado em show no Canecão, Rio de Janeiro. Em 2001 apresentou no Teatro do Estoril em Portugal o espetáculo "Se o amor tivesse preço", baseado nas músicas de seu CD do ano anterior. Em 2002 apresentou no Garden Hall no Rio de Janeiro o espetáculo "Fafá in concert", ao lado do pianista João Rebouças. No mesmo ano, lançou dois Cds, "Piano e voz", gravado ao vivo no Teatro Rival no Rio de Janeiro, e "O canto das águas", somente com músicas de compositores paraense. Em "Piano e voz", de perfil mais jazzístico,  interpreta, entre outros, "Escândalo", de Caetano Veloso, "Bilhete", de Ivan Lins e Vitor Martins, "Devolvi", de Adelino Moreira e "Abandonada", de Paulo Sérgio Valle e Sullivan. Em "O canto das águas", que teve arranjos de Sérgio Souto e Luis Pardal, com texto introdutório do historiador Vicente Salles, interpretou, entre outras, "Uirapuru", de Waldemar Henrique, "Destino marajoara", de Nilson Chaves e "Sangue caliente", de Maria Lídia, além de pot-porris de carimbó e siriá. Também no mesmo ano, gravou, para registro seu primeiro DVD, dois shows apresentados no Teatro da Paz em Belém, com cenografia de Gringo Cardia e regência do maestro Luiz Pardal, paraense assim como todos os músicos, com repertório do CD "Canto das águas". Ainda  em 2002,  foi tema do enredo da Escola de Samba "Rancho não posso me amofinar", em Belém do Pará. Em 2003 recebeu a Comanda da Ordem do Mérito Infante D. Henrique , honraria outorgada a personalidades brasileiras que contribuem para a integração cultural entre Brasil e Portugal. Em 2004, fez o show "Com açúcar e com afeto", na inauguração da casa de espetáculos "Estrela da Lapa", no bairro carioca da Lapa interpretando apenas canções de Chico Buarque. Nesse período, Fafá fez um total de 16 apesentações pelo interior do Brasil e nas lonas culturais do Rio de Janeiro. O trabalho serviu de laboratório para a gravação, nesse mesmo ano, em plena fase vocal da cantora, de um CD  apenas com composições de Chico Buarque. O CD "Tanto Mar - Fafá de Belém canta Chico Buarque" contou com a participação de músicos como Ricardo Costa no pandeiro, "Raul Mascarenhas", no sax, o violonista português Pedro Jóia no alaúde e do norte americano Bruce Henry no contrabaixo. O disco, lançado em marco de 2005, foi o primeiro da carreira da cantora dedicado a um único compositor. Nele, Fafá interpreta, acompanhada do pianista João Rebouças, responsável pelos arranjos, canções como "Dans mon coeur", que abre o disco, uma versão da cantora Bia Krieger para "Terezinha", "Vitrines", "Olhos nos olhos", "Fado Tropical e "Tanto Mar", canção que, em 1975, homenageava a Revolução dos Cravos, e da qual a cantora registra as duas versões, a primeira daquele ano que foi censurada e a segunda de 1978, que foi gravada pelo próprio Chico Buarque. A faixa "Calabar" conta com participação do próprio Chico Buarque, que recita o poema escrito pelo parceiro Ruy Guerra, além do violonista português Pedro Jóia. Ainda no repertório do disco, destacam-se, entre outros, "Gota d'água", "Com açúcar e com afeto", apontada por alguns como o ponto alto da integração da cantora com os músicos, "Olha Maria", parceria com Tom Jobim e Vinícius de Moraes, "Mulheres de Atenas", "Desalento", parceria de Chico com Vinícius de Moraes e a versão blues para "Vida". Merecem também destaque  "Bastidores" , gravada por sugestão de Cauby Peixoto e o novo registro para "Sob medida", uma das canções marco na carreira da cantora, gravada por ela a 25 anos, em que a cantora deixa registrado seu amadurecimento e também seu natural e notável talento para interpretações eloquentes. O disco foi lançado simultaneamente no Brasil e em Portugal, onde Fafá possui grande prestígio de público. No mesmo ano, após longo tempo morando no Rio de Janeiro, mudou-se para São Paulo. Em 2005, participou da cerimônia do Círio de Nazaré, em Belém, sua cidade natal, cantando, durante a procissão que reuniu mais de 2 milhões de fiéis. Em abril de 2006, encerrou a turnê "Tanto Mar" com show no Canecão, no Teatro Rival BR, no Rio de Janeiro. Nesse mesmo ano, foi escolhida para cantar a mesma "Ave Maria" na Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro, para comemorar a 20ª passagem da imagem de Nossa Senhora de Fátima pelo Brasil. A canção interpretada pela cantora em homenagem à santa portuguesa, de autoria de Jaime Redondo e Vicente Paiva é a mesma cantada por ela em 1997 no Maracanazinho, para o papa João Paulo II, em sua visita ao Brasil.
Em 2007, comemorando 32 anos de carreira, lançou seu primeiro DVD;"Fafá em Belém", que reúne aspectos importantes de sua trajetória, como o romantismo, a alegria e a religiosidade, que aparece logo nos primeiros minutos, com cenas do Círio de Nazaré. O DVD foi  gravado no Theatro da Paz, em Belém, por escolha da cantora e teve lançamento no Canecão, no Rio de Janeiro, com temporada de shows de dois dias seguidos. No repertório, além de clássicos como "Vermelho", "Raça" e "Nuvem de lágrimas", foram incluídas três inéditas: a balada "História de amor"; "Aonde" e "Brilho dental", além da participação de Mariana Belém, filha de Fafá, que interpreta em dueto com a mãe "Maria Solidária", de Milton Nascimento e Fernando Brant, que na gravação original era dueto com Nana Caymmi. No periodo de lançamento, a cantora realizou uma série de shows também em Portugal, onde tem grande aceitação de público. Em 2008, apresentou show no Teatro Rival Petrobrás, cantando antigos fados, incluindo clássicos como "Só nós dois", "Sempre que Lisboa canta" e "Canção grata". No mesmo ano, realizou participação especial no CD/DVD "Fábio Júnior e elas", lançado pelo cantor Fábio Júnior, pela gravadora Sony&BMG. A gravação foi feita em apresentação ao vivo. Em 2009, participou da gravação do  show para o DVD "Um Barzinho, Um Violão-Sertanejo", lançado pela Sony Music, cantando a música "Saudade da minha terra". Do show, que foi gravado na Arena Country (SP), contou com artistas como Hugo & Tiago, Grupo Tradição, Cézar e Paulinho, João Bosco e Vinicius, Guilherme e Santiago e Gian e Giovani, entre outros. Em 2011, gravou duas músicas de protesto dos anos 1960: "Carcará, de João do Vale e J. Cândido,  e "Caminhando (Pra não dizer que não falei das flores)", de Geraldo Vandré, para a trilha sonora da novela "Amor e Revolução", exibida pelo SBT. Ainda em 2011, realizou participação especial no DVD "Chitãozinho & Xororó - Sinfônico", lançado pela Som Livre, em comemoração aos seus 40 anos de carreira, da dupla Chitãozinho e Xororó. A gravação,que ocorreu no Teatro Bradesco, em São Paulo (SP),  também contou com participação especial do maestro João Carlos Martins e a Orquestra Bachiana Filarmônica, além de inúmeros artistas renomados da música brasileira, como Maria Gadú, Fábio Júnior, Alexandre Pires, Sandy e Junior, Djavan, Jair Rodrigues e Caetano Veloso. Em 2013, lançou o EP "Amor e Fé", com quatro músicas de inspiração religiosa, "Nossa senhora", de Roberto Carlos, "Ave Maria", versão sua e de Dudu Falcão para a composição de Schubert, "Gracias a la vida", de Violeta Parra, e "Eu sou de lá", composição de Fábio de Melo em homenagem ao Círio de Nazaré. Em 2015, lançou o EP “Fafá, frevo e folia – Coração pernambucano”. O disco foi quase todo gravado durante o carnaval de 2013, com exceção frevo-canção “Beija-flor apaixonado”, gravada em 2014 junto com Alceu Valença.
No mesmo ano, lançou o disco "Do Tamanho Certo para o Meu Sorriso - O Coração É Brega", trazendo dez músicas, segundo a própria Fafá, cantando o "universo da mulher amazônica". O álbum comemorou 40 anos de sua estreia com a música "Filho da Bahia", que integrou a trilha sonora da novela "Gabriela", da Rede Globo de Televisão.
Em 2016, com o disco "Do tamanho certo para o meu sorriso", foi vencedora do Prêmio de Música Brasileira, nas categorias "Canção Popular - Melhor Álbum" e "Canção Popular - Melhor Cantora".
No mesmo ano, apresentou-se no Rio de Janeiro, como uma das atrações musical principais do “Boulervard Olímpico”, no 12º dia dos jogos Olímpicos de 2016.
Em 2017, apresentou-se na casa de espetáculos Imperator, no Rio de Janeiro (RJ), com o show “Guitarradas do Pará”. No repertório, trouxe sucessos antigos e do seu último disco, “Do tamanho certo para o meu sorriso”, que marcou a comemoração de seus 40 anos de carreira. O show aconteceu em formato diferenciado, com apenas dois músicos no palco e Fafá na voz.

Mais visitados
da semana

1 Paulinho da Viola
2 Festivais de Música Popular
3 Dorival Caymmi
4 Caetano Veloso
5 Beatriz Rabello
6 Tom Jobim
7 Noel Rosa
8 Vinicius de Moraes
9 Chico Buarque
10 Daniela Mercury