Busca:

Emicida

Leandro Roque de Oliveira
17/8/1985 São Paulo, SP

Dados Artísticos

Considerado um dos expoentes da nova geração do rap brasileiro, ao lado de Nave, Rincon Sapiciência, Parteum, Lurdez da Luz, Rashid e Flora Matos, o rapper tem um estilo menos compromissado com os dogmas e sectarismos traçados por grupos e artistas da cena paulistana de hip hop. Participou de várias "Batalhas de Rap" (disputas entre MCs na base do improviso) do eixo Rio-São Paulo e pela habilidade de seus improvisos passou a ser conhecido como o "Matador de MCs". Em 2009 lançou o single "Pra quem já mordeu um cachorro por comida, até que cheguei longe". Da faixa "Triunfo" foi gerado o clipe homônimo, muito veiculado na emissora MTV e muito assistido no canal Youtube, na internet, chegando à marca de quase um milhão de visualizações. No ano de 2010 lançou mais um single intitulado "Emicídio", também por seu selo musical Laboratório Fantasma. Neste mesmo ano apresentou-se na "Festa LUV", evento da casa de show carioca Cinematheque, do bairro de Botafogo, Zona Sul do Rio de Janeiro, no qual foi acompanhado pelo músico paulista Curumim. Com esse trabalho recebeu diversas indicações para várias categorias do prêmio "Video Music Brasil". Foi uma das principais atrações do festival pop-music "Coachella", nos Estados Unidos. Participou do programa "Altas Horas", apresentado por Serginho Groisman, da Rede Globo, o que lhe valeu acirradas críticas da ala mais sectária do hip hop paulistano, as mesmas pessoas que lhe criticaram por ter participado do disco do grupo NX Zero e por ter elogiado o rapper carioca Gabriel, O Pensador. Ainda em 2010 lançou o EP “Sua mina ouve meu rep também”, pelo selo Laboratório Fantasma, com seis faixas e participações de Fióti, Xenia França, Nave, DJ Nyack, I Jay e DJ Soares. No ano de 2011 lançou o CD "Doozicabra e a revolução silenciosa", no pavilhão da "Creators Project - Bienal da Feira de Tecnologia de São Paulo". O disco, uma seleção de sete faixas compostas em parceria com a dupla americana K-Salaam e Beatnick, foi gravado em estúdios de Nova York e São Paulo, com participações de Fabiana Cozza, Rael, Fóti, Don Pixote e MV Bill. O CD foi patrocinado pela empresa Intel e a revista "Vice", organizadoras do evento "Creators Project. Neste mesmo ano foi uma das atrações do "Rock In Rio IV", apresentando-se com grande sucesso de público e crítica no Palco Sunset, no qual dividiu a noite com Martinho da Vila e a banda carioca Cidade Negra. Foi um dos principais artistas consagrados no VMB (Video Music Brasil 2011 - MTV) em que ganhou na categoria "Melhor Clipe" com "Então, toma", de faixa homônima do seu CD. No ano de 2012 ao lado do também rapper paulista Criolo, fez o show de abertura do festival "Sonoridades", criado e apresentado por Nelson Motta no Espaço Oi Futuro de Ipanema, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Neste mesmo ano fez diversas apresentações e shows nacionais e internacionais, destacando-se Circo Voador e Studio RJ, ambos no Rio de Janeiro; "Festival Black2Black", na Inglaterra; "Festival de Montreux", na Suíça; "Festival SWU"; "Festival Sonar" e o programa "Som Brasil", no qual se apresentou ao lado de Toni Tornado. Também em 2012 fez show em Belo Horizonte, onde foi preso e acusado de "apologia à violência", por ter cantado a sua composição "Dedo na ferida", na qual a letra faz referência à polícia paulistana e à desocupação, à força, dos moradores da favela do Pinheirinho. De seu disco "Doozicabra e a revolução silenciosa", destacam-se as faixas "Zica vai lá", transformada em clipe com a participação especial do jogador Neymar e ainda a música "Dedo na ferida", que lhe causou problemas com a polícia militar de vários estados. Por seu selo musical Laboratório Fantasma lançou seus discos e ainda a nova geração do hip hop, tais como o grupo Mão de Oito e o MC Rael da Rima. Ao lado de Gilberto Gil, Arnaldo Antunes, Edgard Scandurra, Marcelo D2, Criolo, Luiz Melodia, Flávio Renegado, Jorge Benjor e Mart'nália, foi uma das atrações brasileiras no "Festival Black2Black", em Londres, evento que contou com curadoria brasileira de Gilberto Gil. Ainda em 2012 com os rapperes Rashid e Projota, formou o coletivo Na Humilde Crew, com o qual fez apresentação na Fundição Progresso, na Lapa, centro do Rio de Janeiro. Neste mesmo ano de 2012 lançou, pelo selo musical Laboratório Fantasma, o CD "Um dia que já vem", do grupo paulistano Mão de Oito. Neste mesmo ano fez, com o rapper Criolo,  cinco shows no palco do Sesc Pompeia e logo depois no Espaço das Américas; Em 2013, em dupla com o rapper Criolo, fez show na Fundição Progresso, na Lapa, bairro do centro do Rio de Janeiro, lançando o DVD "Criolo e Emicida - Ao Vivo", gravado pela dupla em São Paulo, produzido por Paula Lavigne, dirigido por Andrucha Waddington e Ricardo Della Rosa. No DVD foram incluídos sucessos de carreira de ambos os compositores, destacando-se as faixas "Não existe amor em SP", "Bogotá" e "Subirusdoistiuzin", as três de autoria de Criolo e ainda "Zica, vai lá", "Triunfo", "A cada vento" e "Dedo na ferida", todas as quatro de sua autoria. Entre os convidados especiais da dupla estiveram Rodrigo Campos (cavaco), MC Evandro Fióti e o rapper Mano Brown (do grupo Racionais MCs), nas faixas "Capítulo 4, versículo 3" e "Vida Loka I", ambas de sua autoria. Neste mesmo ano de 2013 a dupla fez shows de lançamento do DVD em Curitiba, Florianópolis e São Paulo e ainda foi considerado uma das principais atrações do "Festival Central Park SummerStage - Brasil Summerfest", no qual se apresentou acompanhado pelos americanos do grupo Meta & The Cornerstones e pelo rapper brasileiro Rael. No mesmo festival também participaram Gaby Amarantos, Seu Jorge, Casuarina, Tulipa Ruiz, Toninho Hora, Marcelo D2 & Planet Hemp, além da cantora Alexia Bomtempo. Ainda no ano de 2013 lançou o CD "O glorioso retorno de quem nunca esteve aqui", por seu selo musical Laboratório Fantasma. No disco, produzido por Felipe Vassão, contou com vários convidados especiais, tais como a poeta Elisa Lucinda na faixa "Intro"; Tulipa Ruiz em "Sol de giz e cera"; Wilson das Neves na faixa "Trepadeira"; a roqueira baiana Pitty em "Hoje cedo" e ainda a composição "Crisântemo", em homenagem a seu pai, já falecido, além da composição "Zoião", incluída na trilha sonora da novela "Sangue Bom", da Rede Globo, e ainda suas composições, anteriormente lançadas em singles individuais,"Noiz" e "Levanta e anda", entre outras. Em 2015 lançou, pelos selos Laboratório Fantasma/ Sony Music, o CD “Sobre crianças, quadris, pesadelos e lições de casa”, viabilizado pelo projeto “Natura Musical”, com a participação dos músicos africanos Kadu Alves (guitarra), de Cabo Verde; Ndu Carlos (bateria) e João Morgado (percussão), de Angola; e da cantora Neusa Semedo. O disco, de repertório inédito e autoral, contou com produção de Xuxa Levy, com quem dividiu a parceria de músicas como “Amoras”, “Chapa”, “Madagascar”, “Mufete” e “Passarinhos”, que contou com a participação da cantora mato-grossense Vanessa da Mata. Também participou do disco o cantor e compositor baiano Caetano Veloso, na faixa “Baiana” (Emicida e DJ Dhu); o poeta pernambucano Marcelino Freire, que recitou o poema  “Trabalhadores do Brasil”, de sua autoria; e sua mãe, Dona Jacira, em “Mãe” (Emicida, DJ Dhu, Renan Inquérito e Dona Jacira). Conquistou o “Prêmio Multishow” na categoria “Melhor Clipe” com a música “Boa esperança”. Saiu em turnê pelo país, com a show do seu mais recente disco “Sobre crianças, quadris, pesadelos e lições de casa”, apresentando-se em grandes palcos como Circo Voador (RJ); Praia de Copacabana (RJ), no festival “Natura Musical”; entre outros. Foi capa da edição 109 da revista Rolling Stone. Apresentou show com repertório do disco “Cartola 1974”, em homenagem ao compositor carioca, no Imperator – Centro Cultural João Nogueira (RJ), para comemorar os 15 anos da rádio MPB FM. O CD “Sobre crianças, quadris, pesadelos e lições de casa”, foi eleito pela crítica do Jornal O Globo como um dos dez melhores álbuns de 2015. Compôs e interpretou a música “Aos olhos de uma criança”, tema do filme “O menino e o mundo”, único filme brasileiro indicado ao Oscar de melhor filme de animação no ano de 2016. A gravação foi feita com a participação da rapper paulistana Drik Barbosa. Em 2016 gravou a música “Moleque atrevido” (Jorge Aragão, Flávio Cardoso e Paulinho Resende) no Sambabook em homenagem a Jorge Aragão. Nesse mesmo ano estreou o documentário “Sobre Noiz”, que mostra o processo de gravação do disco “Sobre crianças, quadris, pesadelos e lições de casa”, suas passagens por Luanda (Angola), Praia (Cabo Verde) e São Paulo, incluindo também as gravações de músicas como “Baiana”, com Caetano Veloso e “Passarinhos”, com Vanessa da Mata. O longa, que dirigiu ao lado de Evandro Fióti e Ênio César, teve sua primeira exibição no CEU Jaçanã, na periferia de São Paulo. Ao lado de seu irmão Fióti, criou a grife de roupas LAB, com roupas assinadas pelo estilista João Pimenta, que participou pela primeira vez do São Paulo Fashion Week, a semana de moda mais badalada do país, no ano de 2016, com a participação de Seu Jorge, como modelo. Em 2017 o desfile da grife foi inspirado na mescla dos gêneros samba e hip-hop. Ao lado de seu irmão Fióti, criou a grife de roupas LAB, com roupas assinadas pelo estilista João Pimenta, que participou pela primeira vez do São Paulo Fashion Week, a semana de moda mais badalada do país, no ano de 2016, com a participação de Seu Jorge, como modelo. Em 2017 o desfile da grife foi inspirado na mescla dos gêneros samba e hip-hop. Em 2017 apresentou-se no festival “Rock in Rio”, no Rio de Janeiro, como convidado do rapper norte-americano Miguel, em show realizado no Palco Sunset. Em 2018 realizou o show “Obrigado, Clementina”, dedicado ao repertório da intérprete Clementina de Jesus, dividindo o palco do SESC Santana, em São Paulo, com a dupla Prettos, formada pelos irmãos Magnu Sousá (pandeiro e voz) e Maurílio de Oliveira (cavaco e voz), e também Carlos Café (percussão), Edy Trombone (trombone), Gabriel Borges (violão de sete cordas) e Douglas Alonso (bateria). Compôs, em parceria com Felipe Vassão, a música-tema do filme “Pantera Negra”, dirigido por Ryan Coogler, inspirado no super-herói homônimo. Nesse mesmo ano lançou o DVD “10 anos de triunfo ao vivo”, cujo título remeteu ao primeiro single que lançou em 2008 chamado “Triunfo”. A gravação foi realizada na casa de shows Audio, em São Paulo, no Dia da Consciência Negra. O registro ao vivo incluiu a inédita “Todos os olhos em nóiz”, em que dividiu os vocais com a rapper Karol Conka. Também participaram do disco, produzido por Dudu Marote, os artistas Caetano Veloso, Pitty, Drik Barbosa, Fióti, Vanessa da Mata, Rael, Prettos, MC Guimê, Raphão Alaafin, Rashid, entre outros. Gravou o single trilíngue “Hacia el amor”, ao lado de dupla franco-cubana Ibeyi, formada pelas gêmeas Lisa-Kaindé e Naomi Díaz. Regravou a música “Nosso sonho” (Claudinho e Buchecha) para a compilação “Torcida Brasil”, criada especialmente para a Copa do Mundo de 2018. Publicou o livro infantil “Amoras”, pelo selo Companhia das Letrinhas, da editora Companhia das Letras. O livro, inspirado na letra da música homônima lançada no CD “Sobre crianças, quadris, pesadelos e lições de casa” (Laboratório Fantasma/ Sony Music, 2015), em que versou sobre o orgulho negro, contou com ilustrações do artista Aldo Fabrini.

Mais visitados
da semana

1 Geraldo Pereira
2 Dorival Caymmi
3 Caetano Veloso
4 Noel Rosa
5 Tom Jobim
6 Hermeto Pascoal
7 Francisco Mignone
8 Roberto Luna
9 Jorge Goulart
10 Pixinguinha