Busca:

Elias Nogueira

Elias Lopes Nogueira
20/10 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

Trabalhou como crítico musical nos jornais Jornal do Brasil, Folha de São Paulo, Jornal do Commércio, Gazeta Mercantil, Tribuna da Imprensa, Jornal das Gravadoras, Gazeta do Paraná e Jornal do Oeste (PR). Em 1990 fundou, com Marcos Petrillo, o tabloide International Magazine, publicação especializada em música. Trabalhou como assessor de imprensa de vários artistas como Victor Biglione, Rui Motta, Big Gilson, Big Joe Manfra, Sérgio Benchimol, Jefferson Gonçalves, Vid Sangue Azul, Martha V, Six Foot Halo (grupo norte-americano), Charles Master, Baseado em Blues, Bebeco Garcia (ex- Garotos da Rua), entre outros. Fez a produção executiva do primeiro CD do Vid & Sangue Azul e ainda de Piu Piu e sua Banda, ambos no ano de 1997. Coproduziu o CD da banda de rock progressivo Semente, gravado ao vivo no MNBA (Museu Nacional de Belas Artes) no Rio de Janeiro, em 2001. Produziu shows de Big Gilson, Bebeco Garcia, Six Foot Hallo, True Illusion, além de shows e do primeiro disco da banda carioca Semente. Atuou em emissoras de rádio como apresentador de diversos programas, entre os quais "Beatles Forever", da Alvorada FM na década de 1990. Entre 2008 e 2009 atuou como co-produtor do programa "Só Sucessos", da Rádio Novas Ondas FM. Participou como ator em diversos curtas-metragens dirigidos por Primitivo Gonzales, entre os quais "Mais Velho" (2001) ao lado de Carol Castro e Rodrigo Amarante; "Tesão em Saquarema" (2001) com Chico Vila, Ericson Pires, Karen Black, Leo Ême, Paulo Tiefenthaler, Pedro Bronz, Pedro Martins, Rodrigo Amarante; "Idade da Pedra" (2002) com Felipe Scovino, Rodrigo Amarante e Carol Castro. Participou como jurado dos festivais de música "Fest Valda" (RJ), "Rock in Rio Verde", em Mato Grosso do Sul. No ano de 2013 escreveu a orelha do livro "Meteórico Fenômeno - Memórias de um ex-Secos & Molhados", de Gerson Conrad, ex-integrante do grupo Secos & Molhados. No ano seguinte, em 2014, lançou "Conversando com Elias" (Rio de Janeiro: Editora AMCGuedes), livro em que compilou entrevistas suas com vários artistas, publicadas em diversos periódicos nacionais. No volume, com prefácio de Sílvio Essinger e orelhas escritas por Euclides Amaral, foram incluídas entrevistas com Armandinho, Arnaldo Brandão, Autoramas, Barão Vermelho, Bezerra da Silva, Cachorro Grande, Dinho Leme, Erasmo Carlos, Fagner e Zeca Baleiro, Gerson Conrad, Hyldon, Jards Macalé, Jefferson Gonçalves, Marcelo D2, Marcelo Nova, Marcelo Yuka, Martinho da Vila, Ney Matogrosso, Rui Motta, Sandra de Sá, Titãs, Victor Biglione, Zé Ramalho e Zé Rodrix. Do prefácio, de Sílvio Essinger, destacamos o seguinte trecho:   "A música é um vírus. E todo mundo tem na família, ou pelo menos conhece, alguém que foi tomado por ela. O contágio se dá na infância, mas a febre quase sempre se manifesta na adolescência. O cara cresce, arruma emprego, constitui família, ganha os primeiros cabelos brancos (ou perde cabelos) e lá está a música: correndo no sangue, provocando espasmos e comportamentos censuráveis, revelando-se salvação e perdição na mesma medida. Não tem tratamento, muito menos cura: é uma condição com a qual ele terá que viver. Elias Nogueira é um desses portadores do vírus da música... Sem mais delongas, prepare-se para ter esse livro como companheiro pelas próximas horas, dias ou meses. E nunca é demais avisar: a paixão pela música é contagiosa. E se transmite, principalmente, pelo texto dos pacientes mais graves, como Elias Nogueira".   No ano de 2015 fez a assessoria de imprensa para o grupo de rock Magujam, trabalhando pro segundo CD da banda, disco com produção musical por Fernando Magalhães (Barão Vermelho). No ano posterior, em 2016, trabalhou como assessor de imprensa para o guitarrista, cantor e compositor André Gimaranz, sendo coprodutor do show "Andre Gimaranz convida Victor Biglione" na casa noturna Rock Experience, na Lapa, Rio de Janeiro. Neste mesmo ano, teve a primeira publicação sua no principal jornal de Belém do Pará, "O Liberal", e participou da produção, como jornalista e fotógrafo, do show do conjunto The Fevers, no Imperator -  Centro Cultural João Nogueira, no Rio de Janeiro. No ano posterior, em 2016, escreveu a orelha do livro do jornalista Antonio Braga, "Tombos & Sonhos". Em 2017 foi contratado pelo Selo Discobertas, do produtor Marcelo Fróes, para fotografar e reportar o lançamento do CD do ator e cantor Alexandre Nero "Vendo Amor",  na Livraria no Leblon; Zé Ramalho, "Box Zé Ramalho Voz e Violão - 40 anos de música - 3 CDs e 1 DVD) na Livraria Travessa, Shopping Leblon; "Box Jards Macalé - Anos 70", Livraria Travessa Ipanema; Joyce Moreno, CD "Joyce!" Livraria Bossa Nova e Companhia (Beco das Garrafas). Também em 2017 trabalhou como assessor de imprensa de Gerson Conrad. Neste mesmo ano trabalhou como jornalista e fotógrafo da produção do evento "MPB A Alma do Brasil', no BNDES, com direção de Ricardo Cravo Albin e dividindo cerimonial com Fernanda Montenegro - com apresentações ao vivo de Raimundo Fagner, Martinália, Márcio Gomes, Danilo Caymmi, Ellen de Lima, Marcos Sacramento, Luciene Franco, Doris Monteiro, Zezé Motta, entre outros.

Mais visitados
da semana

1 Luiz Gonzaga
2 Assis Valente
3 Chico Buarque
4 Eumir Deodato
5 Noel Rosa
6 Dorival Caymmi
7 Caetano Veloso
8 Tom Jobim
9 Festivais de Música Popular
10 Romildo