Busca:

Elba Ramalho

Elba Maria Nunes Ramalho
17/8/1951 Conceição de Piancó, PB

Dados Artísticos

Em 1966, participou, pela primeira vez, de uma apresentação no palco, no Coral da Fundação Artística e Cultural Manuel Bandeira, do qual fazia parte, com "Evocação do Recife". Os Corais Falados Manuel Bandeira e Cecília Meireles ganharam fama e passaram a ser vistos por todo o Nordeste, com destaque  para as apresentações da futura cantora. Protagonizou as montagens poéticas de Castro Alves, Thiago de Mello, Lindolfo Bell, Carlos Pena Filho e Figueiredo Agra. Participou das montagens das peças "Ministro do Supremo" e "Diálogo das Carmelitas".  Durante o período em que esteve na Universidade Federal da Paraíba, criou o conjunto feminino "As Brasas". Suas atuações no conjunto lhe valeram um convite de Roberto Santana, produtor de Chico Buarque e Caetano Veloso, para integrar como crooner o Quinteto Violado, para uma temporada no Rio de Janeiro. Em 1971, participou da remontagem de "Morte e Vida Severina", com desempenho marcante na interpretação das composições "Severino", "A mulher da janela", "Viagem a São Saruê", "Chegada de Lampião no inferno", "Catimbó", "Episódio sinistro de Virgulino Ferreira", "Desafio de Romano da Mãe-d'água e Ignácio da Catingueira" e "Brasil caboclo".  Em 1972, teve uma atuação histórica no espetáculo "Uma cena para dois povos". Nesse período, abandonou a faculdade no último ano e mudou-se para o Rio de Janeiro. Passando a freqüentar o Baixo Leblon, conheceu Alceu Valença e Carlos Vereza. Atuou como vocalista em shows de Alceu Valença e, de 1974 a 1979, fez parte do grupo teatral "Junho Chegança", dirigido por Luís Mendonça, tendo participado de diversos espetáculos, entre os quais "Canção de fogo", "Viva o cordão encarnado" e "A incrível história de Pedro Bacamarte". Atuou, ainda, nas montagens infantis "Dorotéia a bruxinha rebelde" e "D. Pixote de La Pancha". Em 1979, foi selecionada para participar do musical "A ópera do malandro", de Chico Buarque e Rui Guerra. Destacou-se com a interpretação de "O meu amor", em dueto com Marieta Severo, que se tornou um grande sucesso naquele ano. No mesmo ano, atuou em "Teatro do Ornitorrinco canta Brecht e Weill", no Tablado; substituiu, por algum tempo, a atriz Tânia Alves na peça "O fado e a sina de Mateus e Catirina", no Teatro Gláucio Gil; lançou ainda seu primeiro disco, "Ave de prata", pela Epic, contando com a participação especial de Dominguinhos, Zé Ramalho, Geraldo Azevedo, Novelli, Vinícius Cantuária, Sivuca, Robertinho do Recife, Nivaldo Ornellas e Jackson do Pandeiro. Neste primeiro disco destacaram-se as composições "Canta coração", de Geraldo Azevedo e Carlos Fernando, que foi um grande sucesso, "Não sonho mais", de Chico Buarque, e "Ave de prata", de Zé Ramalho, que deu nome ao disco. Do disco saiu o show "Ave de prata", montado no Teatro Alaska, com o qual viajou em seguida por diversas capitais brasileiras e por cidades do interior, num total de 180 apresentações. Ainda no mesmo ano, participou, ao lado de Sivuca, Dominguinhos e Lulu Santos, entre outros, do LP "Vinte palavras girando ao redor do Sol", da cantora, compositora e escritora Cátia de França. Em 1980, lançou seu segundo disco, "Capim do vale", com destaque para "Caldeirão dos mitos", de Bráulio Tavares, "Porto da saudade", de Alceu Valença, e "Veja (margarida)", de Vital Farias, além das regravações de "Légua tirana", de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, e "Imbalança", de Luiz Gonzaga e Zé Dantas. No mesmo ano, montou um show no Teatro Ipanema e realizou uma turnê pelo país. Ainda nesse ano, apresentou-se no Festival de Arte Negra realizado na Ilha da Martinica. Viajou com vários artistas para a África e lá realizou três shows. Em 1981, lançou o LP "Elba", o último gravado pela CBS. Participou também do Festival de Jazz de Montreaux, na Suíça, na "Noite do Brasil", cantando ao lado de Moraes Moreira e Toquinho, em show que seria lançado depois em disco. No mesmo ano, estourou nas paradas de sucesso com o xote "Bate coração", de Antônio Barros e Cecéu. Em 1982, lançou o disco "Alegria", que vendeu mais de 300 mil cópias, embalado pelo sucesso de "Banho de cheiro", de Carlos Fernando, o que lhe rendeu disco de ouro e de platina. No mesmo ano, apresentou-se em Berlim, na Alemanha, no Festival de Cultura Latino-americana, juntamente com Sivuca, Hermeto Pascoal e Clara Nunes. Atuou ainda em um especial de fim de ano na TV Globo. Percorreu o Brasil com o show "Alegria", que estreou com grande êxito no Teatro Casa Grande(RJ). No início de 1983, em Israel, dividiu o palco com Caetano Veloso, Ney Matogrosso e Djavan, cantando nas cidades de Tel-Aviv, Haifa e Cesarea. Em agosto, retornou sozinha a Israel, realizando um show para 120 mil pessoas. Apresentou-se, em seguida, em um show em Portugal na companhia de Luiz Gonzaga, com a presença de 100 mil pessoas. No mesmo ano, seu disco "Coração brasileiro" ganhou disco de ouro. Em 1984, lançou o disco "Do jeito que a gente gosta" e voltou a se apresentar no exterior, principalmente em Cuba e no Japão. Em 1986, voltou ao Festival de Jazz de Montreaux, na Suíça. Em 1987, lançou o disco "Elba", e excursionou pelo Brasil com o show do mesmo nome, mantendo intensa atividade artística, mesmo grávida de seu primeiro filho. Em 1988, lançou o LP "Fruto", apresentando-se em Portugal e na Argentina. No ano seguinte, lançou o disco "Popular brasileira" e realizou sua primeira excursão aos Estados Unidos, tendo passado por Miami e Nova Jersey. Em 1990, retornou aos Estados Unidos, realizando shows nas cidades de Nova York, Boston e Miami. Lançou, no mesmo ano, um LP gravado ao vivo. Voltou aos Estados Unidos em 1991, realizando shows nas casas de espetáculos "The Ballroom" e "The Blue Note", em Nova York. Lançou, ainda, o disco "Felicidade urgente". Em 1992, fez sua maior excursão à Europa, realizando shows em sete cidades de Portugal, oito da Itália, além dos realizados na Expo/92, em Sevilha, na Espanha, e ainda na Inglaterra, Suíça e França. No mesmo ano, lançou o LP "Encanto". No ano seguinte, retornou aos Estados Unidos, realizando shows em companhia de Margareth Menezes. Lançou também o LP "Devora-me". Em 1994, apresentou-se no "Madison Square Garden", um das mais tradicionais e requisitados locais de grandes espetáculos esportivos e artísticos dos Estados Unidos. Em 1996, foi a Angola e cantou no "Lincoln Center", nos Estados Unidos. Lançou dois discos naquele ano: o solo "Leão do Norte" e "O grande encontro", gravado ao vivo em show realizado por ela, Geraldo Azevedo, Zé Ramalho e Alceu Valença, no palco do Canecão, no Rio de Janeiro. Neste CD, interpretou "Dia branco", de Geraldo Azevedo e Renato Rocha, "Veja (Margarida)", de Vital Farias, "A rosa impúrpura do Caicó", de Chico César, "Banho de cheiro", de Carlos Fernando, e "Frevo mulher", de Zé Ramalho. Em 1997, tornou a lançar dois discos, o solo "Baioque", título da música de Chico Buarque, que consta do CD, juntamente com "Pavão misterioso", de Ednardo, e "Paralelas", de Belchior. O outro disco foi "O grande encontro volume II", desta vez sem a presença de Alceu Valença, disco no qual ela interpretou, entre outras canções, "Pedras e moças", de Geraldo Azevedo e Zé Ramalho, "Canta coração", de Geraldo Azevedo e Carlos Fernando, "Canção da despedida", de Geraldo Azevedo e Geraldo Vandré, e "Ai, que saudade de ocê", de Vital Farias. Ainda em 1997, lançou sua cinebiografia pela BMG Vídeo, "Elba inédito". Em 1999, realizou shows na Alemanha, França, Itália e no Festival de Montreaux na Suíça. Lançou o CD duplo "Solar", comemorativo dos vinte anos de carreira. Um dos discos foi gravado em estúdio e o outro ao vivo durante shows em Salvador e no Festival de Montreaux. No disco de estúdio gravou, entre outras, "Palavra de mulher", "O meu amor" e "Não sonho mais", todas de Chico Buarque, e "Trem das ilusões", canção inédita de Alceu Valença. O disco conta ainda com diversas participações especiais, entre as quais a de Nana Caymmi, em "Imaculada", com arranjo de Wagner Tiso; Lenine, em "Nó cego", de Pedro Osmar; Dominguinhos, em "Retrato da vida", e Margareth Menezes, em "Quem é muito querido a mim". Em 2000, lançou o CD "O Grande encontro 3", com Zé Ramalho, Geraldo Azevedo e Alceu Valença com uma série de shows. O CD deu origem ao DVD ao vivo com o mesmo nome, que foi lançado logo em seguida, pela BMG.  Em 2001, realizou na feira de São Cristovão, tradicional reduto da cultura nordestina no Rio de Janeiro, o show "Cirandeiro", lançando o CD com o mesmo nome, que contou com a participação do forrozeiro Fuba de Taperoá e do grupo de forró Forroçacana. O show contou com a presença de aproximadamente 80 mil pessoas e nele a cantora interpretou cirandas, baiões, xotes, forrós e cocos. No mesmo ano realizou show no Canecão, também no Rio de Janeiro, onde interpretou as músicas "José", do grupo pernambucano Mestre Ambrósio, "Forró do Surubim", gravada anteriormente por Jackson do Pandeiro, "Monte Castelo", de Renato Russo, "Homem com H", "Banho de cheiro" e "Chão de giz". Ainda em 2001, lançou o CD "Cirandeira", faixa título de autoria do compositor Lenine, e que contou ainda com as músicas "Alma nua", de Zeca Baleiro, "Nego forró" e "Coco sem ganzá", as duas de Chico César, "Se eu tivesse asas", de Geraldo Azevedo, "Querendo mais", de Nando Cordel, e a clássica "Patativa", de Vicente Celestino. Inaugurou seu próprio selo, Ramax, pelo qual lançou o CD "Coração de mãe", um tributo a Nossa Senhora, com a participação de Ney Matogrosso. No mesmo ano, apresentou-se com sucesso no Canecão, um de seus 160 shows daquele ano. Em 2002, lançou o CD "Elba canta Luiz", no qual interpreta composições de Luiz Gonzaga como "Xamego", com Miguel Lima, "Vem morena", com Zé Dantas e "Danado de bom", com João Silva, ou gravadas por ele, como "O cheiro da Carolina", de Zé Gonzaga e Amorim Roxo, e "Sorriso cativante", de Dominguinhos e Anastácia. O disco foi co-produzido por ela e Dominguinhos, que também fez os arranjos e contou com a participação especial de Zeca Pagodinho na faixa "O xamego da Guiomar". No mesmo ano, apresentou show no ATL Hall com o repertório do CD "Canta Luiz", gravado ao vivo para o seu primeiro DVD. Na primeira metade de 2003, lançou o CD "Elba ao vivo", em que continua o projeto do CD anterior, ao relembrar Luiz Gonzaga. Sem repetir nenhuma música, incluiu o clássico "Asa branca", do rei do baião, em parceria com Humberto Teixeira. Nesse trabalho, também lançado em DVD, a cantora articula sua experiência com os recursos teatrais, enriquecendo faixas como "Assum Preto", "Qui nem jiló" e "A vida do viajante". Ainda nesse ano, participou, na Fundição Progresso, no Rio de Janeiro, do show comemorativo dos 45 anos do Trio Nordestino. No mesmo ano, participou do projeto "Todos cantam Zé Dantas & Luiz Gonzaga", um CD lançado pela Som Livre, em que grandes nomes da música brasileira interpretaram as principais obras que Luiz e Zé compuseram juntos. No disco, interpretou "Vem morena" e realizou participação especial na faixa "Farinhada". Do projeto, também participaram artistas como Chico Buarque, Gilberto Gil, Gonzaguinha, Sérgio Reis, Alceu Valença e Dominguinhos. Em 2004, apresentou, com Dominguinhos, "De volta para o aconchego", temporada de shows no Canecão, (RJ). O repertório contou com sucessos de carreira da cantora e do compositor como "De volta para o aconchego", parceria de Dominguinhos com Nando Cordel,  além de levar ao palco surpresas como a composição "Xote da navegação", de Dominguinhos e Chico Buarque. Ainda no mesmo ano, entre outras apresentações, lotou o Espaço Cultural Cândido Mendes no talk show com Ricardo Cravo Albin, em que falou um pouco de sua vida, sua carreira e interpretou vários sucessosde sua trajetória. Em 2005, enquanto preparava disco produzido por Lenine, lançou CD gravado ao vivo na temporada de shows que apresentou com Dominguinhos no ano anterior. A não ser a música  "Chama" de Tato, vocalista do grupo Falamansa, o repertório é composto por regravações de sucessos de autoria de Dominguinhos, como "Isso aqui tá bom demais", "Pedras que cantam" e "De volta pro aconchego", clássico da carreira da cantora. Em junho desse mesmo ano, entre outros, fez show, com casa lotada,na Fundição Progresso, no Rio de Janeiro e participou, como atração consagrada, do circuito tradicional dos festejos juninos que engloba cidades nordestinas como Caruaru, Campina Grande e Recife. Em março de 2006, apresentou-se, não pela primeira vez, no Teatro Municipal de Niterói, privilegiando, dessa vez, um repertório romântico e fazendo uma homenagem a Chico Buarque, com interpretações de grandes sucessos do compositor. Fez ainda show na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a UERJ. Em junho do mesmo ano, integrando o projeto São João do Rio, apresentou show no Canecão, em que recebeu convidados como o grupo Forroçacana e o Trio Virgulino, além de Toni Garrido. No início de 2007, participou das comemorações dos 100 anos do frevo, gravando a faixa "Frevo Rasgado", de Gilberto Gil e Bruno Ferreira, no CD  "100 anos de frevo - É de perder o sapato", uma coletânea com dois CDs, da qual participaram vários artistas consagrados da MPB, como Gilberto Gil, Caetano Veloso, Alceu Valença, Maria Bethânia, Geraldo Azevedo, Silvério Pessoa, Geraldo Azevedo e Chico Buarque, entre outros. Em outubro do mesmo ano, após cinco anos sem gravar um disco solo, lançou o CD "Qual o assunto que mais lhe interessa", trazendo compositores de diferentes gerações, como Carlinhos Brown, Geraldo Azevedo, Alceu Valença, Chico César, Jorge Benjor, Zé Ramalho, Gabriel, o Pensador, Pedro Luis, Capinam, Lula Quiroga e Arnaldo Antunes e Lenine, entre outros. O CD foi gravado e lançado pelo selo Ramax, de propriedade da cantora, que também assumiu a direção artística do álbum. São várias também as participações especiais, entre elas, Geraldo Azevedo, na última faixa e Paulão Sete Cordas, na primeira, seguido por Hamilton Holanda, no bandolim, Pedro Osmar, na viola caipira, Frejat, na guitarra e nos teclados e pelos metais de Spok., Por ocasião do lançamento, a cantora ratificou a tendência do CD em mostrar linhas diversas e ritmos existentes na musicalidade brasileira, descolando-se da aura estrita de cantora regional nordestina. No CD, o seguinte repertório: "Qual o assunto que mais lhe interessa? (Tempos quase modernos)", de Roberto Mendes e Capinam; "Aves anjos angeli", de Jorge Bem Jor; "Rua da Passagem (Trânsito)", de Lenine e Arnaldo Antunes; As forças da natureza", de João Nogueira e Paulo César Pinheiro; "A natureza das coisas", de Acioly Neto; "Dois para sempre", de Lula Queiroga; "Amplidão", de Chico César; "Boi cavalo de Tróia", de Pedro Osmar e Paulo Ró; "Argila", de Carlinhos Brown; "Novena", de Geraldo Azevedo, e "Último minuto", de Lula Queiroga. Também em 2007, realizou na casa de espetáculos Canecão Petrobras, no Rio de Janeiro, o show "Raízes e antenas" que marcou o lançamento do CD "Qual o assunto que mais lhe interessa?". Com 25 músicas o show teve como destaque a apresentação das 16 músicas gravadas no CD. Em março de 2008, foi atração principal no show realizado nos Arcos da Lapa, região boêmia do Rio de Janeiro, na festa de comemoração dos 443 anos da cidade. O show, feito para dançar, teve seu repertório composto com base no CD "Qual o assunto que mais lhe interessa?", incluindo também antigos sucessos como "Banho de cheiro" e "Bate coração". No mesmo ano, teve participação especial no CD e DVD "Fábio Júnior & elas", do cantor Fábio Júnior, cantando na faixa "Ai que Saudade d´ocê". Em 2009, foi convidada a participar do album "Iluminar",  do Padre Fábio de Melo, na faixa "Maria e o anjo", de autoria de Dalvimar Gallo. No mesmo ano, já iniciando a comemorar seus 30 anos de carreira, lançou o CD "Balaio de Amor", produzido por Cezinha. O álbum, que é uma mistura de xote, baião e choro, contém as seguintes faixas: "Fuxico" , de Flávio Leandro; "Um baião chamado saudade", de Petrúcio Amorim e Rogério Rangel; "Riso cristalino", de Dominguinhos e Climério Oliveira; "Não lhe solto mais", de Antonio Barros e Ceceu; "Me dá meu coração", de Accioly Neto; "Oferendar", de Xico Bezerra e Flávio Leandro; "É só você querer", de Nando Cordel; "Recado", de Cezinha e Fábio Simões; "D’estar", de Eliezer Setton; "Ilusão nada mais", de Dominguinhos e Fausto Nilo; "Se tu quiser", de Xico Bezerra; "Seu aconchego" de Terezinha do Acordeom e Júnior Vieira; "Bebedouro", de Maciel Melo e Anchieta Dali;  e "Quem é você?" de Jorge de Altinho. No mesmo ano, participou da gravação do CD/DVD "Simplesmente Assim", do cantor, compositor e sanfoneiro Targino Gondim, nas músicas "Boato Ribeirinho", "Esperando na janela" e "Deixe Estar". O álbum, lançado pelo selo Atração, foi gravado ao vivo no Centro de Cultura João Gilberto, em Juazeiro (BA), durante o Festival Internacional da Sanfona. Em março de 2010, participou do programa "Emoções Sertanejas", da Rede Globo de Televisão, que teve como objetivo homenagear o cantor e compositor Roberto Carlos. O programa, recebeu como convidados, em um mega-show, no ginásio do Ibirapuera em São Paulo, grandes nomes da música brasileira como Almir Sater, Bruno & Marrone, César Menotti & Fabiano, Chitãozinho & Xororó, Daniel, Daniel, Gian & Giovani, Leonardo, Martinha, Milionário & José Rico, Nalva Aguiar, Paula Fernandes, Rio Negro & Solimões, Roberta Miranda, Sérgio Reis, Victor & Léo e Zezé di Camargo & Luciano. No mesmo ano, foi vencedora do "21º Prêmio de Música Brasileira", na categoria Melhor Cantora Regional.  Em 2010, celebrou 30 anos de carreira, gravando DVD em show ao vivo na festa de comemoração de 473 anos da cidade de Recife. O álbum, "Marco Zero", que também foi lançado em CD, reuniu um repertório com grandes sucessos, como "De volta pro aconchego", de Dominguinhos e Nando Cordel; "Banquete dos signos", de Zé Ramalho; e "Canta Coração", de Geraldo Azevedo e Carlos Fernando. Ainda no mesmo ano, participou do CD "Asas do frevo - O carnaval de J. Michiles", cantando o frevo "Roda e Avisa". O CD consistiu em uma coletãnia com as principais sucesso do compositor J. Michiles no carnaval pernambucano.  No início de 2011, realizou show de divulgação do DVD na casa de shows Vivo Rio, no Rio de Janeiro, incluindo no repertório músicas de Chico Buarque, como "Folhetim", "Palavra de Mulher" e "Meu amor". A apresentação contou com a participação especial de Cristina Amaral e André Rio. No mesmo ano, participou do evento "São João carioca", apresentando, ao lado de Gilberto Gil, o show realizado pela prefeitura do Rio de Janeiro, na Quinta da Boa Vista, comomorando a passagem dos festejos juninos. O evento levou ao palco montado naquele parque artistas como Caetano Veloso, Dominguinhos, Geraldo Azevedo e Alcione, Trio Virgulino, Gusttavo Lima, entre outros. No mesmo ano, genhou o o 22o Prêmio da Música Brasileira, na categoria melhor álbum de música regional, com o CD "Marco Zero". Ainda em 2011, seu CD "marco zero - ao vivo" foi indicado ao prêmio Grammy Latino, na categoria “Melhor Álbum de Raízes Brasileiras”. Em 2012, realizou participação na coleção tripla de CDs "Pernambuco forrozando para o mundo - Viva Dominguinhos!!!", produzida por Fábio Cabral, cantando as músicas "A dança do dia a dia", de Flávio Leandro, ao lado de Santanna, e “Se tu quiser”, de Xico Bizerra.  A coletânea trouxe forrós diversos, interpretados por 48 artistas, e que fazem referência aos 50 anos de carreira do seu inspirador: Dominguinhos.  Interpretando músicas de compositores em sua grande maioria pernambucanos, fizeram parte do projeto também artistas como Acioly Neto, Adeolzon Viana, Anchieta Dali, Dudu do Acordeon, Geraldo Maia, Hebert Lucena, Irah Caldeira, Jorge de Altinho, Petrúcio Amorim, Liv Morais, Sandro Haick, Spok, Jefferson Gonçalves, Chambinho, Joquinha Gonzaga, Maciel Melo, Luizinho Calixto, Silvério Pessoa, Walmir Silva, entre outros, além do próprio Dominguinhos. Nessa mesma época, foi condecorada com a Ordem do Mérito Cultural, em cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília (DF). Também em 2012, participou do disco "Luiz Gonzaga - Baião de dois", lançado pela Sony Music e produzido por Fagner, em homenagem ao centenário do nascimento do Rei do baião. O CD apresentou quinze obras interpretadas por Luiz Gonzaga, remasterizadas digitalmente, em duetos virtuais com nomes como, além dela própria, Zélia Duncan, Amelinha, Zeca Pagodinho, Alcione, Alceu Valença, Chico César, Zeca Baleiro, Ivete Sangalo, Fagner e Jorge de Altinho. Ainda em 2012, participou do disco "Luas do Gonzaga", produzido por Gereba, e que trouxe letras inéditas de artistas como Gilberto Gil, Abel Silva, Fernando Brant e Zeca Baleiro para choros e valsas que Luiz Gonzaga havia composto nos anos 1940. No CD, interpretou a faixa “Passeando em Paris”, de Luiz Gonzaga, Gereba e Bene Fonteles.  Em 2013, lançou seu 31o álbum de carreira, "Vambora lá dançar", pela Saladesom Records. Para o lançamento, realizou noite de autógrafos em livrarias de Rio de Janeiro e Recife. Em ocasião do lançamento álbum, realizou a turnê “Vambora lá cantar”, apresentando-se em vários estados, mesclando um repertório romântico com outro mais festivo, incluindo as três principais faixas de trabalho do disco: “Embolar na areira”, de Hebert Azul, “Deitar e rolar”, de Antonio Barros e Cecéu, e “Frevo meio envergonhado”, de Monique Kesous. No mesmo ano, apresentou-se no festival internacional Rock in Rio, juntamente com Fernanda Abreu e Ivo Meirelles. Na ocasião, mesmo em um festival de rock, interpretou músicas típicas nordestinas, como "frevo emulher" e "Qui nem jiló". Na celebração do ano novo de 2013 para 2014, em Recife (PE), na praia de Boa Viagem, apresentou-se como a principal atração da festa, comandando a contagem regressiva para a virada do ano. Na virada de 2015 para 2016, apresentou-se como a principal atração da festa de réveillon oficial da cidade de João Pessoa (PB), a que compareceram mais de 250 mil pessoas no Busto de Tamandaré.
Em 2016, apresentou-se como uma das principais atrações do maior palco da festa de São João de Campina Grande, na Paraíba. “O maior São João do mundo”, como é conhecida a festa, recebeu, nesta edição, uma média de 100 mil pessoas por dia.
No mesmo ano, realizou participação especial no disco “Cordel Feliz – edição especial”, de Del Feliz, ao lado de diversos nomes da música brasileira. Na ocasião, cantou a música “Campina Grande”, de Xico Bizerra, Adail Ferreira e Del Feliz.
No mesmo ano, com o disco "Cordas, Gonzaga e Afins (Sagrama e Encore)", produzido por Sergio Campello e Tostão Queiroga, foi vencedora do Prêmio de Música Brasileira, na categoria "Regional - Melhor Cantora".
Ainda em 2016, lançou um frevo inédito para o carnaval, “Frevo paixão e zoeira”, composto por Rannieri Oliveira e André Rio. O música ganhou um vídeo, que fez menção a outros frevos gravados por Elba anteriormente, como “Banho de cheiro” e “Energia”.
No mesmo ano, apresentou o show considerado “ambicioso” pela crítica especializada, ao trazer uma releitura do repertório de Luiz Gonzaga.
Ainda nesse ano, apresentou-se no Rio de Janeiro, como atração musical principal do “Boulervard Olímpico”, no 11º dia dos jogos Olímpicos de 2016. Em palco montado na região da Praça Mauá, recebeu participação especial de Morais Moreira.
Na virada de ano de 2016 para 2017, realizou a apresentação “O grande encontro”, na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro (RJ), ao lado de Geraldo Azevedo e Alceu Valença. O show foi considerado principal atração da festa carioca, e aconteceu por ocasião do lançamento do DVD “O grande encontro”, lançado pela Sony Music, apresentando novidades em relação a edições anteriores, como a harmonização das três vozes nas músicas “Anunciação”, “Caravana”, “Sabiá”, “Frevo Mulher”, “Táxi Lunar”, “Banho de Cheiro”, e “Me Dá Um Beijo”; os duetos entre Elba e Geraldo em “Bicho de 7 Cabeças” e “Chorando e cantando”, Geraldo e Alceu em “Moça Bonita” e “Papagaio do Futuro, e Alceu e Elba em “Tesoura do Desejo” e “Ciranda da Rosa Vermelha”; além de uma música especialmente preparada para o Réveillon do Rio: “Chega de Saudade”, de Antonio Tom Jobim e Vinicius de Moraes.   

Mais visitados
da semana

1 Isolda
2 Noel Rosa
3 Luiz Gonzaga
4 Eumir Deodato
5 Dorival Caymmi
6 Geraldo Pereira
7 Lupicínio Rodrigues
8 Pixinguinha
9 Chico Buarque
10 Roberto Carlos