Busca:

Dona Inah

Ignez Francisco da Silva
17/5/1935 Araras, SP

Dados Artísticos

Começou a cantar profissionalmente na década de 1950, quando conquistou o concurso "Peneira Rodini", da Rádio Cultura, passando a se apresentar com várias orquestras, dentre as quais a do maestro Cyro Pereira e a do maestro André Beer. Nessa mesma época, também participou do programa "Só para Mulheres" da Rádio Record, realizando várias viagens para a cidade de São Paulo.
Cantou em bailes de gafieira de vários clubes e salões de São Paulo.
Gravou seu primeiro disco em 1958, pelo selo Trovador, mas todo material foi perdido.
Participou, ao lado de Nelson Gonçalves, da inauguração da casa de show Rádio Clube, em Santo André, onde atuou como cantora nos anos de 1972 a 1980.
Em 2002 participou, a convite do produtor Heron Coelho, do show em homenagem a Clementina de Jesus, "Rainha Quelé". Realizado no Sesc Ipiranga, em São Paulo, o show também contou com a participação das cantoras Marília Medalha e Fabiana Cozza.
Em 2004 se apresentou no Teatro Municipal de São Paulo, em show que fazia parte dos eventos dedicados ao Fórum Cultural Mundial. Nesse mesmo ano lançou o CD "Divino Samba Meu", produzido por Hermínio Bello de Carvalho, que incluiu as inéditas "Como é que eu posso" de Cartola e "Armadilhas" de Ataulfo Alves e Hermínio Bello de Carvalho.
Em 2005 viajou para a Europa realizando shows na Espanha e em Paris, no "Festival Imaginaire", que se incluía dentro do calendário das comemorações do "Ano do Brasil na França". Nesse mesmo ano viajou para o Marrocos, onde cantou para mais de 14 mil pessoas no "Festival Mawazine", em Rabat. Ainda em 2005 ganhou o "Prêmio Tim de Música" na categoria de "Revelação do ano", aos 70 anos de idade.
Em 2006 participou do projeto "Na Cadência Paulista do Samba", que reuniu a nova geração e a velha-guarda de sambistas, sob a direção do compositor Eduardo Gudin.
Em 2008 lançou, pelo selo Dabliu Discos, o CD "Olha quem chega", inteiramente dedicado à obra de Eduardo Gudin. O disco contou com a participação dos músicos dos grupos paulistas Samba Novo e Quinteto em Branco e Preto, do trompetista Silvério Pontes, dos cantores Oswaldinho da Cuíca e Juliana Amaral. O show de lançamento do disco ocorreu no Sesc Pompeia, em São Paulo.
Dividiu o palco com artistas como Dona Ivone Lara, Délcio Carvalho, Elton Medeiros, Jair Rodrigues, Raul de Barros, Eduardo Gudin, Germano Mathias, Maria Rita, Monarco, entre outros.
Em 2011 participou, ao lado das cantoras Fabiana Cozza, Tereza Gama, Graça Braga e Nilze Carvalho, do projeto “Damas do Samba”, em homenagem à Clara Nunes, Clementina de Jesus, Jovelina Pérola Negra e Dona Ivone Lara, apresentado no Sesc Vila Mariana, em São Paulo.
Em 2013 lançou o CD “Fonte de Emoção”, com o grupo Cadeira de Balanço. O disco, que se inicia com a música “Chorar jamais” de sua autoria, teve arranjos e direção musical de Zé Barbeiro e contou com as participações de Monarco e Delcio Carvalho.

Mais visitados
da semana

1 Luiz Gonzaga
2 Noel Rosa
3 Eumir Deodato
4 Chico Buarque
5 Dorival Caymmi
6 Assis Valente
7 Lupicínio Rodrigues
8 Tom Jobim
9 Geraldo Pereira
10 Romildo