Busca:

Dolores Barrios

Maria Mancini
18/9/1926 Jurupema, SP

Dados Artísticos

Iniciou a carreira artística com apenas 11 anos de idade, cantando zambas e paso-dobles no circo Zaparolli, em São Paulo. Em 1938, aos 12 anos de idade, foi levada pela mãe para apresentar-se no programa "Clube Papai Noel", dirigido por Homero Silva, na Rádio Difusora, sendo, na ocasião, considerada uma menina prodígio. Pouco depois, participou do concurso "Estrelas do futuro", apresentado por Aurélio Campos na Rádio São Paulo. Posteriormente, atuou nas Rádios Cosmos, Record, Cruzeiro do Sul e Panamericana. Em meados da década de 1940, fez excursão de seis meses ao interior do Paraná. Em 1948, ingressou na Rádio América, sendo levada em seguida pelo jornalista e produtor Egas Muniz para a Rádio Excelsior. Estreou em discos em 1951, quando gravou pelo selo Carnaval o samba "Vai saudade", de Raguinho, Maria de Souza Toledo e Tobis, e a marcha "Maria maluca", de Melinho, Irineu Freire e Paulo Leonel. No mesmo ano, gravou o samba "Amor de vagabundo", de Antonio Bruno e Valter Melo, e as marchas "Sim...senhora", de Ercílio Bonsoni e Valberto Bastelões, e "Bananeiro", de Joca, G. Blota e Adoniran Barbosa. Em 1952, apresentou-se com frequencia no programa "Show de última hora", de grande audiência. Nesse ano, participou das festividades de inauguração da Rádio Nacional de São Paulo. Em 1952 e 1953, foi escolhida pelos fãs como princesa do carnaval paulista. Ainda em 1952, contratada pela gravadora Sinter, registrou, com acompanhamento do Conjunto Sinter, o samba-choro "Dizem por aí", de Hugo Silveira e José Assad, e, com acompanhamento de Lyrio Panicali e sua orquestra, o baião "Canarinho cantadô", de José Assad. Nessa época, apresentava-se em circos, pavilhões, teatros e espetáculos populares. Em 1953, com acompanhamento de orquestra e coro, gravou a marcha "Ari na China", de José Assad e Gentil Castro, e o samba "Já cansei de chorar", de José Roy, Francisco Carlos ne Roberto Fioravante. Em 1954, também com orquestra e coro, gravou o samba "Hei de vencer", de José Nunes e Vladimir de Melo, e a marcha "Lavadeira", de Alberto Roy e José Assad. No mesmo ano, participou do show comemorativo da inauguração do Parque do Ibirapuera. Nesse período, deixou a Rádio Nacional e ingressou na Rádio Piratininga. Em 1955, deixou a Rádio Piratininga e, em 1956, ingressou na Rádio Gazeta. Em 1957, foi contratada pela gravadora Copacabana e gravou, com acompanhamento de orquestra, o samba "Taça de fel", de Lino Todesco, e o bolero "Caminho verde", de Carmen Larrea e José Saccomani. Em 1958, foi contratada pela Rádio Bandeirantes, passando a atuar semanalmente no programa de Aérton Perlingeiro. Em 1960, com acompanhamento de orquestra, registrou os tangos "Fumando espero", de Juan Viladomat, Antônio José Gaya e Correia da Silva, e "Noite de Reis", de P. Maffia, J. Curi e Virgínia Amorim. Naquele ano, atuou na revista musical "Tem broto na praça", de Cunha Filho e Hamilton. No mesmo ano, sua gravação do tango "Fumando espero" foi incluída na coletânea "As mais famosas versões", da gravadora Copacabana, sendo ainda incluída, em 1962, na coletânea "Al compás de tangos y boleros", da Som/Copacabana. Por essa época, lançou em compacto simples as músicas "Recordações", de Mário Claveli, em versão de Genival Melo, e "Isto sim valeu a pena", de Oiram Santos e Emílio Saccomani. Ao longo da década de 1960 e começo dos anos 1970 apresentou-se constantemente em churrascarias e restaurantes paulistas.

Mais visitados
da semana

1 Tiee
2 Pixinguinha
3 Luiz Gonzaga
4 Eumir Deodato
5 Raul Seixas
6 Nelson Gonçalves
7 Garoto
8 Elza Soares
9 Dorival Caymmi
10 Caetano Veloso