Busca:

Diana

Ana Maria Siqueira Iório
2/6/1954 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

Iniciou a carreira artística no final da década de 1960, seguindo os passos da jovem guarda que dominava o cenário musical brasileiro na época.Em 1969, gravou seu primeiro disco, um compacto simples, pela gravadora Caravelle. A música de trabalho "Menti pra você", ficou por mais de quarenta semanas em primeiro lugar na Rádio Globo. Em 1970, foi contratada pela gravadora CBS, e lançou, pelo selo EPIC, um novo compacto, com duas canções: "Não Chore Baby" e "Eu Gosto Dele". Nessa mesma época, passou a ser  produzida por Raulzito, que mais tarde seria o conhecido "Maluco Beleza" Raul Seixas. No mesmo ano, teve duas de suas composições gravadas pelos artistas Odair José e José Roberto, "Mundo Feito de Saudade" e "Que Tolo Fui". Logo em seguida, foi escolhida pela CBS para substituir a cantora Wanderléa que se transferira para a Phonogram. Lançou seu primeiro disco na CBS, com produção de Raulzito, e alcançou as paradas de sucesso com as músicas "Uma vez mais", "Fatalidade", "Um mundo só para nós dois", "Porque Brigamos", "Estou completamente apaixonada" e "Hoje Sonhei Com Você". Em 1971, fez sucesso com a canção "Ainda queima a esperança", de Raulzito e Mauro Motta, que alcançou o sétimo lugar entre as 50 mais, segundo o Nopem, orgão de pesquisa do mercado de discos. Nessa época a maioria dos sucessos de Diana eram compostos pela dupla Raul e Mauro Motta. Em 1972, destacou-se com as músicas "Estou completamente apaixonada" e "Hoje sonhei com você", ambas de Raulzito e Mauro Motta. Em 1973, lançou o LP "Uma vez mais", com destaque para a música título, uma versão de Rossini Pinto para a composição "One last time", de Dick e Don Adrisi. Também fez sucesso nesse ano com a música "Um mundo só para nós dois", de J. P. Cruz e Niquinho. Em 1974, Diana trocou de gravadora, passando da CBS para a Polydor/Polygram (atual Universal Music), através da qual gravou três discos, entre 1974 e 1976. Os maiores sucessos foram as músicas "Foi tudo culpa do amor", em parceria com Odair José; "Lero-Lero"; "Sem Barulho"; e "Uma Nova Vida", que, curiosamente, havia sido uma composição de Odair José para ser lançada com a cantora Rosemary. Nessa época fez constantes apresentações em programas de televisão, como "O cassino do Chacrinha". Em 1978, lançou disco pela RCA , nessa ocasião, já sem a produção de Raul Seixas. O LP contou com participação especial de artistas da época como grupo de Jazz brasileiro Azymuth, Maurício Einhorn, Hélio Delmiro, Nivaldo Ornelas, José Roberto Bertrami e Oberdan Magalhães. O destaque foi a faixa "Vida Que Não Pára", de Odair José. Nos anos 1980, gravou alguns compactos e um LP, além de participar de um tributo ao cantor Evaldo Braga, no disco "Eu Ainda Amo Vocês", no qual canta em dueto com Evaldo a música "Só Quero". Em 1999, a gravadora Universal, dentro da série "20 músicas do século XX", relançou no CD "Popular" sua interpretação para a música "Foi tudo culpa do amor", com Odair José. Em 2000, a música "Foi tudo culpa do amor", foi relançada no CD duplo "Popular", da EMI, na interpretação de Odair José. Por essa época passou a fazer shows pelo Brasil, principalmente no Nordeste, e modificou a grafia do seu nome artístico para Diannah.

Mais visitados
da semana

1 Isolda
2 Luiz Gonzaga
3 Noel Rosa
4 Eumir Deodato
5 Dorival Caymmi
6 Geraldo Pereira
7 Lupicínio Rodrigues
8 Chico Buarque
9 Pixinguinha
10 Música Sertaneja