Busca:

Dalton Vogeler

Dalton Vogeler Gomes
12/1/1926 Rio de Janeiro, RJ
8/12/2008 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

Em 1946, criou e dirigiu o Quinteto de Dalton, que atuou até 1949, na Rádio Club. De 1949 a 1959, o grupo apresentou-se na Rádio Tupi. A partir de 1950, participou, como saxofonista e contrabaixista, de diversas orquestras e conjuntos, como: Zingar, Waldir Calmon, Djalma Ferreira, Steve Bernard, Sachas, Copacabana Palace, Boite Vogue, Carlito e seu conjunto, Boite Au Bon Gourmet, Bob Fleming, Orquestra Tabajara e Waldir Azevedo.  Como compositor, teve seu primeiro trabalho registrado em 1959, com a gravação de "Balada triste", parceria com Esdras Silva, por Ângela Maria e, em seguida, Agostinho dos Santos. A canção conta, ainda, com mais de 100 regravações e versões para vários idiomas. Nesse ano, teve a balada "Viver em paz" gravada pela cantora Maysa no LP "Maysa é Maysa... É Maysa... É Maysa" da RGE. No ano seguinte, iniciou sua carreira de produtor de discos,tendo trabalhado em várias gravadoras, como: Copacabana, Odeon, RCA Victor, CID e Continental. Produziu, neste período, discos de instrumentistas como Altamiro Carrilho e Déo Rian. Como relações-públicas da Orquestra de Waldir Azevedo, contratou a cantora Jucila, com quem veio a casar-se em 1962, para participar como crooner na turnê da Orquestra em Buenos Aires. Em 1963, participou do Plano de Execução do Convênio entre o Ministério da Educação e Cultura (MEC) e a União Brasileira de Compositores (UBC), organizando caravanas de difusão da música popular brasileira no exterior. No mesmo ano, Hugo Santana gravou na Continental seu samba "Adeus à solidão". No ano seguinte, chefiou a VII Caravana Oficial da Música Popular Brasileira por nove países europeus, promovida pela Lei Humberto Teixeira, para divulgar a MPB no exterior. Em 1966, sua composição "Nem sempre", com Luiz Antônio foi gravada por Ellen de Lima na Odeon. Exerceu o cargo de primeiro secretário da Ordem dos Músicos do Brasil (OMB) entre 1964 e 1967. Em 1965, foi eleito para a presidência do Conselho Regional da OMB, sendo transferido, em 1968, para a presidência do Conselho Federal e retornando, em 1971, à presidência do Conselho Regional daquela entidade, cargo que exerceu até 1973. Foi eleito em 1968 para a presidência do Departamento de Direitos Nacionais da UBC. Em 1986, foi convidado pelo Conselho Nacional de Direito Autoral (CNDA) para participar de um grupo de revisão dos sistemas de arrecadação e distribuição do direito autoral. No mesmo ano, representou o Brasil no XXXV Congresso Mundial de Autores em Madri, na Espanha. Em 1997, sua toada "Andarilho", com Orlando Silveira, foi gravada por Antônio Nóbrega, no CD "Madeira que cupim não rói".

Mais visitados
da semana

1 Dona Ivone Lara
2 Luiz Gonzaga
3 Caetano Veloso
4 Hermeto Pascoal
5 Nelson Cavaquinho
6 Dorival Caymmi
7 Chico Buarque
8 Gilberto Gil
9 Nelson Gonçalves
10 Emilinha Borba