Busca:

Cristovão Bastos

Cristovão da Silva Bastos Filho
3/12/1946 Rio de Janeiro, RJ

Dados Artísticos

Iniciou sua carreira profissional em 1961, tocando acordeom em uma casa noturna do Rio de Janeiro.

Assinou arranjos para shows e discos de seus parceiros Chico Buarque, Paulo César Pinheiro, Paulinho da Viola, Élton Medeiros, Aldir Blanc e Abel Silva, além de Nana Caymmi, Edu Lobo e Gal Costa.

Em 1992, lançou, com o violonista Marco Pereira, o CD "Bons encontros", contendo as canções de Ary Barroso "Na baixa do sapateiro", "Aquarela brasileira" "No rancho fundo" (c/ Lamartine Babo), "É luxo só", "No tabuleiro da baiana" e "Folhas mortas", além das músicas de Noel Rosa "Feitio de oração", "Conversa de botequim", "Pra que mentir" e Feitiço da Vila", todas com Vadico, "As pastorinhas" (c/ João de Barro) e "Três apitos". O disco foi contemplado com o Prêmio Sharp, na categoria Melhor Disco Instrumental.

Em 1995, gravou com Leny Andrade o CD "Antônio Carlos Jobim - Letra & música", contendo as canções "Vivo sonhando", "Olha pro céu", "Luíza", "As praias desertas", "Fotografia", "Ana Luíza", "Você vai ver", "Este seu olhar", "Lígia", "Samba do avião", "Esquecendo você", "Corcovado", "Wave", "Ângela", "Outra vez" e "Águas de março".

Em 1997, lançou seu primeiro disco solo, "Avenida Brasil", contendo suas composições "Os três chorões", "Mandacaru - Sertão do Caicó", "Um choro pro Valdir" (c/ Paulinho da Viola), "Rumo Zona este", "Todo sentimento" (c/ Chico Buarque) e "Avenida Brasil", além das canções "Tudo se transformou" (Paulinho da Viola), "Pianinho" (Edu Lobo e Aldir Blanc), "Round Midnight" (Williams e Monk-Hanighen) e "Mistura e manda" (Nelson Alves).

Em 1998, sua parceria com Aldir Blanc foi registrada no CD "Novos traços", de Clarisse Grova. Ainda nesse ano, destacou-se como compositor de "Resposta ao tempo" (c/ Aldir Blanc), tema de abertura da minissérie "Hilda Furacão" (Rede Globo), na interpretação de Nana Caymmi. A canção foi contemplada com o Prêmio Sharp, na categoria Melhor Música e encerrou a retrospectiva das Melhores Canções do Século, selecionadas por Ricardo Cravo Albin dentro do acervo fonográfico da EMI-Odeon.

Em 1999, foi responsável pela direção e arranjos do show e do CD duplo "Gal Costa canta Tom Jobim", gravado ao vivo, e teve sua canção "Raios de luz" (c/ Abel Silva) registrada por Barbra Streisand no disco "A Love Like Ours". Também nesse ano, sua música "Suave veneno" (c/ Aldir Blanc), gravada por Nana Caymmi, foi tema da novela de mesmo nome realizada pela Rede Globo.

No cinema, participou, como arranjador, das trilhas sonoras compostas por Edu Lobo para os filmes "Boca de ouro" e "Guerra de Canudos"; como instrumentista, da trilha sonora do filme "O homem nu"; e como compositor da música do filme "Mauá, o imperador e o rei".

Foi contemplado, como arranjador, com o Prêmio Sharp pelos discos "Paulinho da Viola" e "Parceria", de João Nogueira e Paulo César Pinheiro, na categoria Melhor Arranjo de Samba; "Disfarça e chora", de Zé Nogueira, na categoria Melhor Arranjo Instrumental; "Tantos caminhos", de Carmen Costa, e "Resposta ao tempo", de Nana Caymmi, na categoria Melhor Arranjo de MPB; e "Agnaldo Rayol", na categoria Melhor Arranjo de Canção Popular".

Em 2002, lançou, com o grupo Nó em Pingo D'Água, o CD "Domingo na Geral", contendo, de sua autoria, as canções "Perspectivo" e "Amigo bandolim", além da faixa-título.

Em 2006, compôs a trilha sonora do filme “Zuzu Angel”, de Sérgio Rezende, lançada em CD pela Universal.

Integrando o Quarteto Brasil, ao lado de Bororó (baixo), Zé Canuto (sax) e Jurim Moreira (bateria), em 2007 lançou no mercado europeu, pela gravadora suíça Kind of Blue, o CD “Bossa Nova – Delicado”.

Em 2008, gravou o CD “Curtindo a Gafieira”, contendo suas composições “Gafieira Suburbana”, “O galo fugiu”, “Fim de tarde - Posto 3”, “Maxixe, Quiabo e Jiló “, “Vai e volta”, “Rumo tranquilo”, “Pista cheia”, “Rosto colado”, “Partido da Canja” e “Outro verão”. O disco contou com a participação dos músicos Ricardo Pontes (flauta, picolo e sax alto), João Lyra (violão e guitarra), Celsinho Silva (pandeiro e tamborim), Henrique Band (sax tenor e sax barítono), Jorge Helder (contrabaixo acústico e contrabaixo elétrico), Roberto Marques (trombone), Dom Chacal (percussão), Zé Canuto (sax alto e sax soprano), Jessé Sadoc (trompete e flugelhorn), Dirceu Leite (clarineta), Ovídio Brito (tamborim, cuíca, reco e agogô) e Carlos Bala (bateria). Nesse mesmo ano, foi contemplado com o Prêmio Tim de Música, na categoria Melhor Arranjador, pelo CD “Acústico MTV”, de Paulinho da Viola. Em 2011, foi contemplado com o Prêmio da Música Popular Brasileira, na categoria Melhor Arranjador.

Em 2012, apresentou-se, ao lado do violonista João Lyra, no espaço Caixa Cultural (RJ), pela série “Maestros Populares”.

Constam da relação dos intérpretes de suas canções Paulinho da Viola, Márcia, Alaíde Costa, Nana Caymmi, Mauro Senise, Paulinho Trompete, Zé Nogueira, Luciana Rabello, João Nogueira, Banda Black Rio, Demônios da Garoa, Raphael Rabello, Simone, Água de Moringa, Chico Buarque, Verônica Sabino, Ney Matogrosso e Zezé Gonzaga, entre outros.

Mais visitados
da semana

1 Luiz Gonzaga
2 Noel Rosa
3 Eumir Deodato
4 Chico Buarque
5 Dorival Caymmi
6 Assis Valente
7 Lupicínio Rodrigues
8 Tom Jobim
9 Geraldo Pereira
10 Pixinguinha