Busca:

Cristina Latini

Maria Cristina Xavier Latini
29/4/1954 São Gonçalo, RJ

Dados Artísticos

Em 1979, compôs a sua primeira música "Seca do sertão", em parceria com Alexandre de la Peña. No ano seguinte, como iluminadora e cenógrafa, passou a trabalhar com o Grupo Tucunaré. No ano de 1982, após trabalhar com Claudio Latini, fundador do Grupo Tucunaré, em shows na Bolívia e na Casa do Estudante do Brasil, montou dupla com o então marido. A dupla  transferiu-se para a Noruega a convite da SAS (Linha Aérea Escandinava) para tocar em hotéis da empresa. No ano seguinte, em 1983, a dupla lançou um compacto pela gravadora Snowflack Records, no qual a música "Samban er los", se tornou um sucesso nacional, sendo o primeiro samba cantado em norueguês, inclusive fazendo parte do currículo escolar norueguês. Por essa época, participaram do programa "Sommer Directe", na TV norueguesa. Em 1985, gravaram o compacto "Ali og ole og salle sammem", com crianças de 15 países, fazendo parte de um projeto contra o racismo. Neste mesmo ano, participaram do "Molde Jazz International Festival", já com a própria banda da dupla, a Bossa 4, composta por músicos noruegueses. Ainda em 1985, começou a trabalhar como professora, responsável pela integração escolar das crianças de língua portuguesa nas escolas de Oslo. No ano posterior, em 1986, voltaram ao Brasil e apresentaram-se no Bar People, no Rio de Janeiro. Por essa época, participaram do disco do pianista Hakon Graf pela gravadora Uniton Records de Oslo, no qual foi incluída "Sommer talkings" (Claudio Latini e Hakon Graf). Passou a desenvolver um trabalho solo em paralelo ao trabalho da dupla que mantinha com o marido Claudio Latini, trabalho este de cantora e compositora, passando a integrar algumas bandas como Desafinado, Trio de Janeiro e Urban Native, além de compor com outros parceiros como  José Manuel Martins, Oivind Madsen, Hakon Graf, Aage Rother e Julinho Martins. No ano de 1987, em dupla com Claudio Latini, fez turnê em Portugal e apresentou-se em cidades do norte da Suécia. No ano seguinte, em 1988, a dupla lançou o LP "Sol e cachaça", pelo selo Ipê Records, com distribuição na Noruega, Inglaterra e Portugal. Em 1989, a dupla fez turnê divulgando o disco por cidades da Noruega, participou do Programa de Gala da TV Estatal (NRK) no "Dia Nacional da Noruega", apresentando-se com a Orquestra da Rádio e Televisão Norueguesa. Neste mesmo ano, a dupla fez turnê em cidades portuguesas durante dois meses. No ano seguinte, fazem show no Clube de Jazz Nerfertiti, em Gotemburgo e nesse mesmo ano, a dupla participou do "Festival de Música Étnica", de Trondheim, na Noruega. Ainda neste ano, lançaram o disco "Cor de dendê", pela gravadora dinamarquesa Bums Records. Dois anos depois, em 1991, Claudio e Cristina Latini participaram dos programas "Tro Og Livet" e "Motested", ambos da TV Estatal NRK. No ano seguinte, a dupla participou do disco de Glória Latini, pela gravadora Niterói Discos, gravando "Feeling tonight", em parceria com Claudio Latini. Entre 1993 e 1997, gravaram o CD "Angels from Brasil - Anjos do Brasil", pelo selo Ipê Records. O disco contou com a participação especial de Arthur Maia e foi distribuído em vários países como Noruega, China, Japão, Estados Unidos e Brasil. Ainda neste disco, Cristina Latini interpretou "Prêt à porter de tafetá", de autoria de João Bosco e Aldir Blanc. A dupla fez turnê por escolas norueguesas à convite do Rikskonsertene (Projeto Concertos pelo Reino) do Departamento Cultural do Governo, realizando mais de 400 apresentações. A banda portuguesa Kalulu gravou "Magia de Luanda e Bahia", (c/ José Manuel Martins e Cláudio Latini) pelo selo Movieplay. Viajam à Suíça a convite do pianista e produtor Julinho Martins para a gravação do CD "Mala e cuia", na cidade de Zurique. Em 1998, lançaram o disco "Mala e cuia", distribuído na Noruega, Brasil e Japão. Neste mesmo ano, ao lado de Claudio Latini, fundou a Associação dos Músicos Estrangeiros da Noruega (Samspill) e foi convidada a participar do Conselho de Cultura de Oslo para o "Projeto Mosaikk", que trata de assuntos relacionados à produção cultural de artistas estrangeiros na Noruega. No ano seguinte, em 1999, a dupla retornou ao  Brasil. Em 2001 a dupla lançou o CD "Claudio & Cristina Latini sol e cachaça & cor de dendê", trabalho no qual foram compilados os dois discos anteriormente gravados em 1988 e 1990. Neste mesmo ano, a dupla gravou com J. Carlos o programa "Ao Vivo Entre Amigos", na Rádio MEC AM, no Rio de Janeiro. No ano posterior, em 2002, Claudio e Cristina Latini, ao lado de Carlos Dafé, Eliane Faria, Rubens Cardoso, Marko Andrade e Lúcio Sheman, entre outros, participaram do CD "Conexão carioca 3", produzido por Euclides Amaral, com apresentação do poeta e letrista Sergio Natureza.  Neste CD interpretaram "Fora do ar" (Claudio Latini e Cristina Latini). Em 2004, na Noruega, lançou o CD "Cacau", pelo Selo Ipê Records. Sexto disco lançado em dupla com Claudio Latini, desta vez, produzido pelo arranjador norueguês Svein Hansen. No CD foram incluída 15 composições, das quais 13 de autoria da dupla. A dupla também interpretou "Modinha", de Villa-Lobos e Mauel Bandeira e ainda "Jabuti", de Helio Latini e Murillo Latini, composição que faz parte da "Sinfonia Amazônica", de 1953, primeiro desenho animado de longa-metragem produzido no Brasil. No ano de 2006 suas composições "Web site",  "Hemisfério direito" e "Eunice", todas em parceria com Claudio Latini e ainda "Contra-argumento opus 2" (c/ Paolo Vinaccia, Cláudio de Morais e Claudio Latini), foram incluídas no CD "Receita para a vida", de Claudio Latini, produzido pelo percussionista italiano Paolo Vinaccia e lançando na Noruega, país em que está radicada desde a década de 1980. Em 2012 Claudio Latini incluiu "Feito Xadrez" (c/ Claudio Latini e Euclides Amaral) e "Caminhos" (c/ Claudio Latini e Euclides Amaral) no CD "Vira Mundo", de Claudio Latini, lançado pelo selo Ipê Mundi Records, na Noruega, onde a composiotra é radicada. No ano de 2014 o parceiro Claudio Latini lançou o CD "Revivendo" (Selo Ipê Mundi Records), no qual interpretou de ambos as parcerias "Estrela do meu show" e a faixa-título "Revivendo". No ano seguinte, em 2015, em duo com Claudio Latini, lançou o CD "Nossa bossa", no qual a dupla interpretou as faixas "Kari e Christian" (Claudio Latini e Cristina Latini), "Maria de mel" (Cristina Latini), "Alma gêmea" (Claudio Latini e Cristina Latini), "Seus trilhos" (Claudio Latini e Cristina Latini), "O lobo continua bobo" (Pery Pereira), "Vou voltar" (Claudio Latini e Cristina Latini), "Por que está tão longe para o Rio de Janeiro" (Claudio Latini e Jon Michelet), "Samba show" (Claudio Latini e Cristina Latini), "Feeling tonight" (Claudio Latini e Cristina Latini), "Cor de dendê" (Claudio Latini e Cristina Latini), "Fiord" (Zé Neto), "Noruega" (Claudio Latini e Cristina Latini) e "Fim da história" (Claudio Latini, Cristina Latini e Fernando Pires-Alves). O disco foi gravado no Rio de Janeiro e em estúdios da Noruega, com músicos brasileiros e noruegueses, entre os quais Zé Neto (Acustics guitar e teclados), Rogério Fernandes (Bass), Flavinho Santos (Drums), Julinho Martins (Keyboards and vocals), Dudu Penz (bass), Niwton Paixão (drums), Eduardo Nascimento (Percussão), Mazinho Ventura (bass), Otávio Castro (drums), Julinho Martins (Keyboards e vocals), Dudu Penz (bass), Célio de Carvalho (percussão), OLE Henrik Giørtz (teclados), Ola Hamre (drums), Sveinung Hovensjø (baixo), Niwton Paixão (Drums), Guilherme Farias (percussão), Mauro Braga (percussão), Rogério Fernandes (bass),  Marcelo Martins (sax) e Svein Hansen (Arranjos), além da dupla, Claudio Latini (Vocal e guitarra acústica) e Cristina Latini (Vocais).

Mais visitados
da semana

1 Chico Buarque
2 João Gilberto
3 Geraldo Pereira
4 Tom Jobim
5 Caetano Veloso
6 Pixinguinha
7 Música Sertaneja
8 Noel Rosa
9 Nelson Cavaquinho
10 João Bosco