Busca:

Carlos Senna



Dados Artísticos

Em 1979, Almir Guineto em seu LP "Jeito de amar", gravou duas composições suas: "Trabalho gigante" (c/ Almir Guineto e Adalto Magalha) e "Lindo requebrado" (c/ Beto Sem Braço, Adalto Magalha e Almir Guineto). No ano de 1989, Dominguinhos do Estácio no disco "Gosto de festa", pela RGE, interpretou de sua autoria "Gosto de Festa" (c/ Almir Guineto e Adalto Magalha). Neste mesmo ano, no disco "Saudades da Guanabara', Beth Carvalho gravou de sua autoria "Até quem não é", em parceria com Octacílio da Mangueira. Dois anos mais tarde, o parceiro Almir Guineto gravou cinco músicas de sua autoria com diversos parceiros em seu LP "De bem com a vida", pela gravadora RGE: "Mulher, sempre mulher" (c/ Almir Guineto, Lourenço, Teteu e J. Laureano); "Desencanto de cantar" (c/ Almir Guineto, Luiz Carlos da Portela e Luiz Carlos da Vila); "Sabor de jiló", "Salgueiro, divina magia" e "Vovó rezadeira" estas últimas, em parcerias com Almir Guineto.

No ano de 1992, no disco "Um dos poetas do samba", pela RCA, Zeca Pagodinho interpretou de sua autoria "Vê se me erra" (c/ Serginho Meriti e Octacílio da Mangueira). No ano seguinte, o mesmo cantor, gravou outro sucesso de sua autoria; "Mãos" (c/ Almir Guineto e Simões PQD).

No ano de 1995, o parceiro Luiz Carlos da Vila, no disco "Raças Brasil", gravou de autoria de ambos a música homônima que deu nome ao disco, lançado pela gravadora Velas. No ano seguinte, Zeca Pagodinho gravou em seu CD "Deixa clarear", pela PolyGram, mais uma composição de sua autoria; "Olhos" (c/ Almir Guineto e Luverci Ernesto).

Carlos Dafé, em 1997, no CD "O seu jeito de olhar", interpretou "Eu quero mais é sorrir" (c/ Carlos Dafé e Almir Guineto).

No ano de 1999, o Império Serrano desfilou com um samba de sua autoria, defendido por Jorginho do Império: "Uma rua chamada Brasil" (c/ Arlindo Cruz, Maurição e Elmo Caetano). No ano seguinte, com o samba-enredo "O rio corre para o mar", em parceria com Arlindo Cruz, Maurição e Elmo Caetano, O Império Serrano defilou no Grupo Especial.

Em 2002 a Império Serrano classificou-se em 9º lugar com um samba-enredo de sua autoria "Aclamação e coroação do Imperador da Pedra do Reino: Ariano Suassuna", em parceria com Maurição, Aluízio Machado, Lula e Elmo Caetano.

No ano de 2003, em parceria com Maurição, Elmo Caetano, Aluizio Machado e Arlindo Cruz, compôs o samba-enredo "E onde houver trevas... Que se faça a luz!" com o qual o Império Serrano desfilou no carnaval.

Mais visitados
da semana

1 Lupicínio Rodrigues
2 Garoto
3 Elza Soares
4 Pixinguinha
5 Assis Valente
6 Caetano Veloso
7 Tom Jobim
8 Dorival Caymmi
9 Luiz Gonzaga
10 Noel Rosa