Busca:

Boca Livre



Dados Artísticos

Grupo vocal e instrumental formado em 1978 por Maurício Maestro (contrabaixo e vocal), Zé Renato (violão e vocal), Cláudio Nucci (violão e vocal) e David Tygel (violão e vocal). Participou, nesse ano, do disco "Camaleão", de Edu Lobo, excursionando com o compositor através do Projeto Pixinguinha.

Lançou, no ano seguinte, o LP independente "Boca Livre", que ultrapassou a vendagem de 100.000 cópias, com destaque para as canções "Toada" (Zé Renato, Claudio Nucci e Juca Filho) e "Quem tem a viola" (Zé Renato, Claudio Nucci e Xico Chaves).

Participou, em 1980, do "Show do Primeiro de Maio", realizado no Riocentro (RJ).

Em 1981, Claudio Nucci desligou-se do conjunto, sendo substituído por Lourenço Baeta. Com essa nova formação, o grupo gravou "Bicicleta" (1981), LP independente que contou com as participações especiais de Tom Jobim e Naná Vasconcelos, "Folia" (PolyGram,1982) e "Boca Livre" (PolyGram, 1983).

Em 1989, o quarteto lançou pela Som Livre o LP "Boca Livre em concerto", gravado ao vivo durante temporada no Canecão (RJ).

Em 1992, David Tygel desligou-se do conjunto, sendo substituído por Fernando Gama. Nesse ano, o quarteto lançou "Dançando pelas sombras", pela MP,B/Warner.

Em 1994, após sucessivas turnês e participações em festivais de música nos Estados Unidos, Europa e Canadá, o grupo regravou a canção "Dança de ouro", para "Deseo", álbum solo de Jon Anderson, vocalista da banda Yes. Nesse ano, a gravadora Green Linnet lançou "Dançando pelas sombras" no mercado internacional.

Em 1995, o conjunto lançou "Song Boca", pela gravadora Velas. O disco, contemplado com o Prêmio Sharp, incluiu sucessos de sua carreira, além de um livro de partituras com arranjos vocais assinados por Maurício Maestro.

No ano seguinte, após mais uma turnê, o quarteto gravou em Nova York o CD "Americana", com a participação de Naná Vasconcelos e de músicos norte-americanos. O disco foi lançado pela gravadora Velas no Brasil e no exterior.

Em 1998, foi contemplado pela segunda vez com o Prêmio Sharp, como Melhor Grupo Brasileiro, com o CD comemorativo dos 20 anos de carreira "Boca Livre convida, 20 anos". O disco contou com participação especial de Claudio Nucci e David Tygel, integrantes da formação original do grupo, além de Djavan, Chico Buarque, Gal Costa, Milton Nascimento, Beto Guedes, Erasmo Carlos, Frejat, Ricardo Silveira, Sérgio Dias e Paulinho Moska. Apresentou-se em temporada no Teatro Rival (RJ) e nas principais capitais do país, além de participar do Summer Stage Festival de Nova York (EUA), dividir o palco em Miami (EUA) com João Gilberto e apresentar-se no Panamá (Panamá) e Caracas (Venezuela).

Em 2000, fez um espetáculo no Metropolitan (RJ), ao lado do conjunto 14 Bis. O show foi gravado ao vivo e lançado em CD. No final desse ano, Zé Renato desligou-se do grupo para dedicar-se exclusivamente à sua carreira solo, sendo substituído por Claudio Nucci, integrante da formação original do quarteto.

Em 2006, voltou a atuar com sua formação clássica, integrada por Maurício Maestro, Zé Renato, David Tygel e Maurício Maestro. Nesse ano, apresentou-se no Teatro Rival BR e no Canecão, no Rio de Janeiro. No repertório, "Trenzinho caipira” (Villa-Lobos e Ferreira Gullar), "Correnteza” (Tom Jobim e Luiz Bonfá), "Feito mistério” (Lourenço Baeta e Cacaso), "Caxangá” (Milton Nascimento e Fernando Brant), "Caravana” (Alceu Valença e Geraldo Azevedo), “Dança do ouro” (Lourenço Baeta e Zé Renato), “Al Outro Lado Del Rio” (Jorge Drexler), “Fazenda” (Nelson Angelo), "Mistérios” (Maurício Maestro e Joyce), "Eleonor Rigby” (Lennon e McCartney), "Não é céu” (Vitor Ramil), "Quando ela fala” (Carlos Lyra, sobre poema de Machado de Assis), "The first circle” (Lyle Mays e Pat Metheny), "“Desenredo” (Dori Caymmi e Paulo César Pinheiro), "Bicicleta” (Zé Renato), "Eu no futuro” (Lula Queiroga e Lulu Oliveira) e "Panis et circensis” (Caetano Veloso e Gilberto Gil), "Toada” (Zé Renato, Claudio Nucci e Juca Filho) e “Quem tem a viola” (Zé Renato, Claudio Nucci, Xico Chaves e Juca Filho), "Valsa de uma cidade” (Ismael Netto e Antônio Maria), “Diana” (Toninho Horta e Fernando Brant) e “Ponta de areia” (Milton Nascimento e Fernando Brant). O espetáculo apresentado no Teatro Rival BR contou com uma banda formada por João Carlos Coutinho (piano), Márcio Bahia (bateria), Marcelo Bernardes (sax e flauta) e Iura Ranevsky (violoncelo). No espetáculo do Canecão, Marcos Nimrichter assumiu o piano e o acordeom. O show contou ainda com a participação do ator Paulo José, que também assinou o roteiro.

Lançou, em 2007 o CD e o DVD "Boca Livre e ao vivo", em show no Canecão (RJ), com a participação de Roberta Sá, Rodrigo Maranhão, Renato Brás, Fred martins e Marcelo Mariano, além do grupo MPB-4.

Em 2008, foi contemplado com o Prêmio Tim de Música, na categoria Melhor Grupo/MPB, pelo disco “Boca Livre ao vivo”.

Em 2012, participou, ao lado do grupo Cobra Coral e dos cantores Claudio Nucci e Renato Braz, do espetáculo musical “Semente”, concebido e dirigido por Cáudia Brandão e Marcio Borges. Com arranjos assinados por Wagner Tiso, Maurício Maestro e Túlio Mourão, o espetáculo contou com a participação da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, sob a regência do Maestro Marcelo Ramos, da Companhia de Dança Palácio das Artes, de Helena Borges e do Coral Infanto-Juvenil Palácio das Artes.

Em 2013, lançou o CD “Amizade”, com as faixas “Baião do acordar” (Novelli), “Rio Amazonas” (Dori Caymmi e Paulo César Pinheiro), “Mistério do prazer” (Zé Renato, Claudio Nucci e Juca Filho), “Tempestade” (Chico Pinheiro e Chico César), “Terra do Nunca” (Edu Lobo e Paulo César Pinheiro), “Paixão e fé” (Tavinho Moura e Fernando Brant), “Água Clara” (Mauricio Maestro) e a canção-título (Marcos Valle e Mauricio Maestro). O disco contou com a participação de Marcos Valle (piano acústico), Cristovão Bastos (piano acústico), João Carlos Coutinho (piano acústico, piano elétrico e acordeom), Francisco Sartori (teclado), Jorge Helder (baixo acústico), Ricardo Silveira (guitarra), Jr Tostoi (guitarra FX), Danilo Caymmi (flauta), Iura Ranevsky (cello), Jaques Morelenbaum (cello), Zé Nogueira (duduk), Marcelo Costa (bateria e percussão), Renato Massa (bateria), Rafael Barata (bateria) e Armando Marçal (percussão), e arranjos vocais e instrumentais de Maurício Maestro. Em 2019 lançam o CD independente “Viola de bem-querer”, em comemoração aos 40 anos de carreira, em apresentação no Teatro Rival no Rio de Janeiro. Além da canção “Amor de Índio” (1978), música escolhida para iniciar os trabalhos de divulgação, releituras de clássicos como “Um violeiro toca” (Almir Sater\Renato Teixeira) e “Vida da minha vida” (Moacyr Luz\Sereno), também compuseram o CD as inéditas, “Um paraíso sem lugar” (Geraldo Azevedo\Fausto Nilo), “Viola de bem querer”, (Breno Ruiz\Paulo Cesar Pinheiro), “Santa Marina” (Lourenço Baeta\Cacaso), “Noite” (Zé Renato\Joyce), “Eternidade” (Maurício Maestro) e “O paciente” (David Tygel). 

Mais visitados
da semana

1 Durval e Davi
2 Tiee
3 Vinicius de Moraes
4 Martha Rocha
5 Creone e Barrerito
6 Gilberto Monteiro
7 Festivais de Música Popular
8 Alceu Valença
9 Mayck e Lyan
10 Luiz Gonzaga