Busca:

Benjamim Taubkin

Benjamim Rafael Taubkin
31/8/1956 São Paulo, SP

Não deixe de ver:

Dados Artísticos

Ingressou no cenário artístico como produtor musical, tendo realizado, entre 1975 e 1977, projetos como "Música no Parque", série de concertos no Bosque do Morumbi e no Jardim da Luz, em São Paulo, além de "Música nos Museus" e "Sessão Coruja", série de música instrumental apresentada no Teatro Municipal de São Paulo.

Em 1979, iniciou sua carreira como pianista, tendo atuado, ao longo de sua trajetória, com vários artistas, como Banda Savana, Rafael Rabelo, Moacir Santos, Arismar do Espírito Santo, Nenê, Marluí Miranda, Zizi Possi, Paulo Moura, Madup Mudgal, Orquestra Sinfônica de Recife, Mônica Salmaso, Elza Soares e Ivaldo Bertazzo, entre outros.

Em 1985, fundou, com Guilherme Vergueiro e Myriam Taubkin, a Vergueiro & Taubkin Projetos Culturais.

Criou, em 1987, com a participação da Crescente Produções, o projeto "Memória Brasileira", dentro do qual realizou as séries “Violões” (1989) e “Arranjadores” (1992), apresentadas no Teatro Cultura Artística e posteriormente transformadas em programas transmitidos pela TV Cultura (SP). Também pelo projeto "Memória Brasileira", lançou os CDs “Violões”, contendo obras de violonistas brasileiros, e “Viva Garoto”, contendo gravações inéditas do violonista.

Foi um dos idealizadores da Associação Brasileira da Música Independente (ABMI).

Participou de festivais de jazz e música brasileira na Europa e nos Estados Unidos.

Atuou, entre 1993 e 1994, como co-assessor de música da Secretaria Estadual de Cultura, junto com Rodolfo Stroeter, na gestão Ricardo Othake, criando e participando de vários projetos, como o Fórum da Música Independente e Semana Guiomar Novaes, entre outros.

Em 1997, criou, com Mané Silveira, Teco Cardoso e Toninho Ferragutti, a Produtora Gravadora Núcleo Contemporâneo. Nesse mesmo ano, lançou o CD "A Terra e o Espaço Aberto", com suas composições “Quarta-Feira 1:00” (c/ Lui Coimbra, Marcos Suzano e Toninho Carrasqueira), “O passeio dos elefantes” (c/ Lui Coimbra e Toninho Carrasqueira), “Improviso” (c/ Caíto Marcondes), “Domingo no sítio dos Nakashima”, “A Terra e o Espaço Aberto”, “Maracatu do João”, “Pena que a vovó não está aqui” e “54 West 16th Street”, além de “Ternura” (K-Ximbinho). O disco contou com a participação de Lui Coimbra (violoncelo, violão e charango), Toninho Carrasqueira (flautas), Teco Cardoso (saxofone barítono), Marcos Suzano (percussão) e Caíto Marcondes (percussão no piano, na faixa “Improviso”). Por este trabalho, recebeu o Prêmio Movimento e foi indicado para o XI Prêmio Sharp, na categoria Revelação Instrumental.

Foi coordenador dos programas musicais do Instituto Itaú Cultural, em 1999, idealizando o projeto “Rumos Musicais”, um mapeamento da música brasileira.

Vem sendo constantemente requisitado para curadoria e seleção de concursos musicais, como Prêmio Visa Instrumental, Prêmio Sérgio Mota e Mercado Cultural da Bahia.

Em 2002, participou, como pianista, do projeto "Jobim Sinfônico" (espetáculo registrado em CD e DVD), além de ter realizado eventos como "A Arte do Centro", com o Centro Cultural Banco do Brasil, e “A Música Vai às Universidades".

Sua discografia com outros artistas inclui os seguintes CDs: "Sax sob as árvores" (1992), indicado ao Prêmio Sharp, na categoria Revelação Música Instrumental; "Um piano ao cair da tarde" (Eldorado/1985); Banda Savana (1991); "Valsa Brasileira" (1993), de Zizi Possi, disco contemplado com o Prêmio Sharp, na categoria Melhor Disco de MPB; “Paulo Moura” (Série Tom Brasil/1994); Toninho Carrasqueira (1996); Quinteto Lea Freire e Teco Cardoso; "Arranjadores" e "Voadeira", de Mônica Salmaso; “Jobim Sinfônico” (2002).

Em 2004, lançou, com Nailor Proveta (clarinete e saxofone soprano), Guello (pandeiro), Izaías de Almeida (bandolim) e Israel de Almeida (violão 7 cordas), o CD “Moderna Tradição”, com as faixas “Proezas de Solón” e “Cheguei”, ambas de Pixinguinha e Benedito Lacerda, “Vibrações” e “Pérolas”, ambas de Jacob do Bandolim, “Sonoroso” (Del Loro e K-Ximbinho), “Lamentos do Morro” (Garoto), “Gotas de ouro” (Ernesto Nazareth), “Cochichando” (Alberto Ribeiro, Braguinha e Pixinguinha), “Lamentos” (Pixinguinha e Vinicius de Moraes). O disco contou com a participação especial de Teco Cardoxo (saxofone barítono), na faixa “Cheguei”.

Ainda dentro do projeto "Memória Brasileira", iniciado em 1987, lançou, em 2005, "Violões do Brasil", contendo um livro com perfis de grandes violonistas, como Meira, Raphael Rabello e Rosinha de Valença, entre outros, um CD com gravações a cargo de Guinga, Lula Galvão, Paulo Bellinati, Zé Menezes, Marco Pereira e Quarteto Maogani, e ainda de um DVD com depoimentos de Mauricio Carrilho, Sérgio Abreu e Turíbio Santos, além de Ronoel Simões e Jairo Severiano.

Fez parte da Orquestra Popular de Câmera.

Em 2006, gravou, com o Núcleo de Música do Abaçaíou, o CD “Cantos do nosso chão”. Nesse mesmo ano, lançou o CD “América contemporânea – Um outro centro”, gravado ao vivo em estúdio, no segundo semestre de 2005, ao lado dos músicos Aquiles Baez (violão), Carlos Aguirre (acordeom, violão e voz),  Christian Galvez (contrabaixo e baixo elétrico), Alvaro Montenegro (flauta e saxofone alto), Siba (rabeca e voz), Lucho Solar (percussão e cajón), Ari Colares (percussão) e Lucia Pulido (voz). O disco é fruto do projeto “Encontro Latino”, idealizado pelo pianista, que encerrou o festival “Todos os Cantos do Mundo”, realizado no SESC-Pompéia (SP), em 2005. No repertório, “Carmelita, adiós”, “Panguito Lando” e “Cantos de Vaqueria”, todas de domínio público, “La Musica Y La Palabra” (Carlos Aguirre), “Misterios de Mayo” (Alvaro Montenegro), “A Mis Hermanos” (Aquiles Baez), “El Gavilán” (Angel Custodio Loyola), “Vale do Jucá” (Siba - Sérgio Roberto Veloso de Oliveira), “Cajoneando” (Lucho Solar), “Tonada Para Mi Niña” (Christian Galvez) e ainda “Primavera” (José Miguel Wisnik), esta última com a participação (piano e voz) do autor.

Em 2008, lançou o CD “MPBaby – Chico Buarque”, com “A banda”, “Terezinha”, “Carolina”, “Morena de Angola”, “Noite dos mascarados” e outras canções de Chico Buarque em arranjos próprios.

Em parceria com o contrabaixista Zeca Assumpção, o trompetista Joatan Nascimento e o baterista Sérgio Reze, lançou, em 2009, o CD “Trio + 1”, contendo suas composições “O deserto é aqui”, “O sabiá voou” e “O circo chegou”, além de “Pérolas” (Jacob do Bandolim), “Baianinho” (Joatan Nascimento) e “Consolação” (Baden Powell e Vinicius de Moraes). O disco foi produzido em parceria com Richard Zirinsky.

Lançou, em 2010, o CD piano solo “A pequena loja da Rua 57”, gravado na loja dos Pianos Fazioli, em Nova York, 2007. No repertório, “Caipira”, “A melodia e a semente”, “Pro Frank”, “Em torno de vibrações”, “O coração e o rio”, “Em torno de influências”, “Meu outono em NY” e “Em torno de Estácio de Amado Maita”, todas de sua autoria, além de “O Morro não tem vez” (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), “Proezas de Sólon” (Pixinguinha e Benedito Lacerda) e “Giant Steps” (John Coltrane). O disco foi produzido em parceria com Richard Zirinsky e Jim Luce. Ainda em 2010, lançou o CD “Chico Buarque por Benjamim Taubkin”, pela série “Solo Lounge”, com as faixas “Sabiá” (c/ Tom Jobim), “Gente humilde” (c/ Vinicius de Moraes sobre música de Garoto), “Samba de Orly” (c/ Toquinho e Vinicius de Moraes), “A banda”, “Carolina”, “A Rita”, “Quem te viu quem te vê”, “Morena de Angola” e “Noite dos mascarados”.

Em 2012, lançou, em parceria com o percussionista Adriano Adewale, o CD “The Vortex Sessions”, gravado no The Vortex Jazz Club, em Londres, em novembro de 2010. No repertório, suas composições “Blue In Green In Yellow”, “Samba” e “Berimbau”, todas com Adriano Adewale, e ainda “Paisagens - Impressões da Irlanda”. Em 2012, apresentou-se, ao lado do cantor e compositor Rodrigo Campos, na Casa do Núcleo, em São Paulo.

Mais visitados
da semana

1 Isolda
2 Noel Rosa
3 Luiz Gonzaga
4 Eumir Deodato
5 Dorival Caymmi
6 Geraldo Pereira
7 Lupicínio Rodrigues
8 Pixinguinha
9 Chico Buarque
10 Roberto Carlos