Busca:

Benedito Costa


Circa 1920 São Paulo

Dados Artísticos

Em 1940, teve sua primeira composição gravada, a valsa "Supremo Adeus", com Belmacio Pousa Godinho, registrada por  Arnaldo Meirelles e Mariano da Silva. Em 1948, o cantor Pedro Celestino, irmão de Vicente Celestino, gravou a valsa "Supremo Adeus", em disco da Odeon. Em 1965, o seresteiro Roberto Fioravanti gravou "Supremo Adeus" no LP "Uma saudade a mais", da Continental. Em 1966, sua valsa "Supremo Adeus", com Belmacio Pousa Godinho, deu título ao LP lançado por Alberto Calçada pela Chantecler em homenagem ao músico Belmacio Pousa Godinho. Em 1968, integrando um conjunto que, além dele no cavaquinho, tinha os músicos Manoel Gomes (Flauta), Geraldo Cunha e Adauto Santos (Violões) e Fritz (Pandeiro), gravou pelo selo O Jogral de Marcus Pereira o  LP "Brasil, flauta, cavaquinho e violão", com os choros "Carinhoso", de Pixinguinha e João de Barro, "Flamengo", de Bonfíglio de Oliveira, "Gosto Que Me Enrosco", de J. B. da Silva, o Sinhô, "Brasileirinho", de Waldir Azevedo, "Camundongo", de Waldir Azevedo e Risadinha do Pandeiro, "Bem-Te-Vi Atrevido", de Lina Pesce, "Chiquita", de Waldir Azevedo, "Tico-Tico No Fubá", de Zequinha de Abreu, "Brejeiro" e "Apanhei-te Cavaquinho", de Ernesto Nazareth, "André de Sapato Novo", de André Victor Correia, "Flor do Mal", de Anacleto de Medeiros, e "Lamentos", de Pixinguinha, além de "Primeiro Estudo", de sua autoria. No mesmo ano, lançou pelo selo Rosicler/Chantecler, como solista de cavaquinho, o LP "Delicado", com as músicas "Delicado", de Waldir Azevedo, "Carinhoso", de  Pixinguinha e João de Barro, "Boogie Woogie do Rato", de Denis Brean, "Quem Te Viu, Quem Te Vê", de Chico Buarque, "O Sol Nasceu Pra Todos", de Lamartine Babo e Noel Rosa, "Ponteio", de Edu Lobo e Capinan, e "Caprichoso", de Julião Amâncio da Silva, além de "Meu Plangente Madrigal", "Protofonia do Baião", "Cavalgada Ligeira", "Indeciso" e "Tema Volúvel", de sua autoria. Em 1969, a valsa "Supremo adeus" recebeu mais duas gravações, a de  Carlinhos Mafasoli no LP "Ontem ao luar - Carlinhos Mafasoli e Seu Regional", da gravadora Som Maior, e a de  Francisco Petrônio, no LP "Chico saudade", da RCA Victor. No mesmo ano, sua "Canção do Retirante" foi gravada pelo  Duo Brasil Moreno, no LP "Chalana", lançado pelo selo Sabiá/Copacabana. Em 1974, a valsa "Supremo adeus", foi gravada por Raul Marques, no LP "Minha serenata", do selo Rosicler/Chantecler. Em 1982, pelo selo Marcus Pereira, gravou o LP "Um cavaquinho no sertão" com as músicas "Cavaquinho Fronteriço", "Na Base do Arrasta-pé", "Fandanguinho Chorado", "O Sorriso do Bebê", "Rancheira Para Eliana" e "Por Você Meu Sentimento", todas de sua autoria, além de "Fuscão Preto", de Atílio Versuti e Jeca Mineiro, "Saudade", de Meirinho e Nenete, "Moreninha Linda", de Tonico, Priminho e Maninho, "Não Vá Embora", de Everaldo Ferraz e Neusinha, "Estrada da Vida", de José Rico, e "O Fole do Zé", de Zé do Fole e Zé Maringá. Em 1990, teve o xote "O Que Marido Não Usa a Vizinha Dá", com Aparecido N. B. Moda e Carlão Bueno, gravado pela dupla sertaneja  Carlão Bueno e Zé Marcos, na gravadora Copacabana. Em 1993, teve a toada "Vale Verde", com Marcos Branco, gravada pela dupla sertaneja Marcos Branco e Marquinhos, no LP "A Virgem de Nazaré", do selo Trolei. Atuou como músico de estúdio e participou de rodas de choro, tendo gravado dois LPs solo.

Mais visitados
da semana

1 Luiz Gonzaga
2 Assis Valente
3 Festivais de Música Popular
4 Chico Buarque
5 Caetano Veloso
6 Tom Jobim
7 Hermeto Pascoal
8 Nelson Cavaquinho
9 Dorival Caymmi
10 Romildo