Busca:

Banda Black Rio



Dados Artísticos

Grupo carioca de soul-music formado em meados da década de 1970 com a junção de alguns integrantes dos conjuntos Impacto 8, Grupo Senzala e Don Salvador e Grupo Abolição, misturando funk a elementos da música de gafieira, resultando um som mais balançado e dançante. Teve basicamente duas formações das quais participaram na primeira Oberdan P. Magalhães (sax soprano, alto e tenor), Cristóvão Bastos (piano e teclados), José Carlos Barroso (trompete), Lúcio J. da Silva (trombone), Jamil Joanes (baixo), Cláudio Stevenson (guitarra) e Luiz Carlos dos Santos (bateria, percussão e voz). Na segunda formação constavam Jorge Barreto (teclados e voz), Cláudio Jorge (guitarra e voz), Valdecir Machado (baixo), Luiz Carlos dos Santos (bateria e voz), José Carlos Barroso (trompete) e Oberdan Magalhães (saxofone e flauta). Antes de gravar o primeiro disco, fazendo parte do Movimento Black Rio, a banda se apresentava em vários clubes suburbanos. Nestes bailes, contava com dois cantores: Sandra de Sá e Carlos Dafé (na época, desconhecidos). Desse movimento de black music, faziam parte Tony Tornado, Carlos Dafé, Sandra de Sá, Don Salvador, Tim Maia, Tony Bizarro, Lady Zú, Gérson King Combo, Cassiano e Os Diagonais. No ano de 1977, lançou o primeiro disco "Maria fumaça". Seu maior sucesso foi a música "Maria Fumaça" (Oberdan Magalhães e Luiz Carlos Batera), que fez parte da trilha sonora da novela "Loco-motivas", da Rede Globo. Deste mesmo LP, destacaram-se outras composições que fizeram sucesso: "Na Baixa do Sapateiro" (Ari Barroso), "Casa forte" (Edu Lobo), "Baião" (Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira) e "Urubu malandro", de Louro e João de Barro. Ainda neste ano, a convite de Caetano Veloso, a banda fez temporada de sucesso no teatro Carlos Gomes acompanhando o cantor e seus convidados. No ano seguinte, gravou o disco "Gafieira universal", do qual se destacaram "Chega mais" (Luiz Carlos Batera e Valdecir Nei) e a faixa-título "Gafieira universal", de autoria de Barrosinho e Cláudio Steverson. Em 1980, lançou seu último LP "Saci Pererê", cujo título foi retirado da faixa homônima "Saci Pererê", de Gilberto Gil. Neste mesmo ano, a banda se dissipou. No final da década de 1990, as músicas da banda foram bastante executadas nas pistas de dança da Inglaterra. Em 2000, William Magalhães, filho de Oberdan, retomou as atividades do grupo, que voltou a se apresentar em maio na casa de espetáculos carioca Giraldia Upjazz. No ano de 2001, a BMG Brasil lançou a série "2 LPs em 1 CD", disco no qual compilou os LPs "Gosto do prazer" (A Cor do Som) e "Saci Pererê" (Banda Black Rio). Neste mesmo ano, pela gravadora Regata, foi lançado o CD "Movimento", que trazia a nova formação da banda, desta vez, reunindo músicos jovens tendo como líder o pianista e tecladista William Magalhães, filho de Oberdan Magalhães. Ainda neste ano, a gravadora BMG relançou individualmente os três discos da banda. No ano de 2002, a banda fez o show de lançamento do CD "Movimento", no Canecão, no Rio de Janeiro. O show contou com as participações especiais de Luiz Melodia, Sandra de Sá, Luiz Carlos Batera e Cidade Negra. Neste mesmo ano, apresentou-se em show no Ballroom, no Rio de Janeiro, ao lado de Ed Motta. Em 2003 foi lançado pela primeira vez em disco a gravação do show "Bicho baile show", de Caetano Veloso. O show foi gravado ao vivo no ano de 1978, quando a banda (1ª formação) que acompanhava Caetano Veloso, iniciou a turnê desse show no teatro Carlos Gomes, no Rio de Janeiro. O CD foi incluído em uma caixa intitulada "Todo Caetano". Em 2005, com a nova formação, a banda apresentou-se no Teatro Odisséia, show no qual contou com a participação especial de Mariana de Moraes e Gérson King Combo. Em 2011 lançou o CD "Super nova samba funk", pelo selo inglês Far Out, do qual destacaram-se as faixas "Isabela" e "Nossa jornada", além das participações especiais de Caetano Velso, Elza Soares, Gilberto Gil, Seu Jorge e César Camargo Mariano. Neste mesmo ano a banda fez o show "Black Rio Baile" no Teatro Rival BR, na Cinelândia, centro do Rio de Janeiro, recebendo como convidados o baixista Arthur Maia e o rapper Black Alien. Em 2012 a banda fez outra vez temporada no Teatro Rival BR com o show "Black Rio baile show & convidados". No ano de 2013, radicada em São Paulo, apresentou-se no palco da Praça das Artes, na Estação República, do Metrô, no centro de São Paulo, com o show "Banda Black Rio e Convidados", no qual recebeu Carlos Dafé, Gérson King Combo, Hyldon, Paulo Diniz, Tony Tornado, Lady Zú, Luís Vagner e Di Melo. No ano de 2019 a banda lançou um novo trabalho, desta vez nas plataformas digitais, em LP e CD intitulado "O Som das Américas", pela gravadora Universal Music, no qual contou com participações especiais de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Elza Soares, César Camargo Mariano, Chico César, Leo Gandelman, Hadrien Ferraud, Thalles Roberto, Marquinho Osócio, Daniel Novato, Jadiel (da banda BBR) e Heidi Vogel (cantor da Cinematique Orquestra). Com produção executiva do DJ Zé Octávio, arte de Luiz Fernando e apresentação de Armando Pitigliani, no disco foram interpretadas composições de William Magalhães e Augusto Bapt, entre outras.

Mais visitados
da semana

1 Lupicínio Rodrigues
2 Garoto
3 Elza Soares
4 Pixinguinha
5 Tom Jobim
6 Assis Valente
7 Nalva Aguiar
8 Caetano Veloso
9 Dorival Caymmi
10 Luiz Gonzaga