Busca:

Arismar do Espírito Santo



Dados Artísticos

Iniciou a carreira na década de 1970, tendo atuado, em shows e gravações, com com vários artistas e grupos brasileiros, como Hermeto Pascoal, Toninho Horta, César Camargo Mariano, Sebastião Tapajós, Jane Duboc, Raul de Souza, Maurício Einhorn, Hélio Delmiro, Roberto Sion, Dominguinhos, Luís Eça, Dori Caymmi, Heraldo do Monte, Lenine, Joyce, Paquito D’Rivera, Lisa Ono, João Donato, Leny Andrade, Maurício Carrilho, Paulo Moura, Yuka Kido, Borguetinho, Naná Vasconcelos, Roberto Menescal, Banda Mantiqueira, Liliana Herrero, Trio Fattoruso, Henrique "Zurdo" Roizner, e ainda com os internacionais Lucho Gonzales, Nat Reeves e George Benson, entre outros.

Em 1993, lançou o LP "Arismar do Espírito Santo", contendo suas composições "Neguinha", "Fulô", "Seu Zezinho", "Breve encontro", "Dos dois (c/ Silvia Goes), "Biabilo" e "Velho Bahia", além de "Samba novo" (Durval Ferreira e Newton Chaves), "Thiago" (Silvia Goes), "Carismando" (Hermeto Pascoal), "Linda flor (Yaya)" (Henrique Vogeler, Luis Peixoto e Marques Porto), "Lamento" (Pixinguinha e Vinicius de Moraes) e "Luz negra" (Nelson Cavaquinho e Amâncio Cardoso). O disco, relançado também em CD, foi contemplado com o Prêmio Sharp de Música, na categoria Instrumental.

Em 1998, foi eleito, pela revista "Guitar Player", um dos dez melhores guitarristas/violonistas do Brasil.

Lançou, em 2002, o CD "Estação Brasil", registrando exclusivamente músicas próprias: "Messejana", "Cupim de sol" (c/ Silvia Goes), "Jogo novo", "Gravidez" (c/ Paulo César Pinheiro), "Vila Belmiro" (c/ Maurício Carrilho), "Turma toda", "Enimaria", "Três amores", "Ao luar do Uruaú", "Helô chegou", "A gota", "Jujú" e "O mouro".

No ano seguinte, seu primeiro disco teve nova edição, sob o título "Arismar do Espírito Santo: 10 anos".

Vem coordenando e ministrando cursos e workshops de Contrabaixo, de Criação Musical e Prática de Conjunto, e de Conjuntos de Jazz, Choro e Samba pelo Brasil e também em Isla Del Cerrito (Argentina), Copenhague (Dinamarca) e nos Estados Unidos.

Ao longo de sua carreira, apresentou-se diversas vezes no exterior. Com o Hermeto Pascoal Trio esteve em sete países da Europa. Tocou no Japão, no Blue Note de Tokio e Fokuoka. Participou do Umbria Jazz Festival e de shows durante a Expo 98, em Portugal, apresentou-se, como solista brasileiro, do Projeto Veredas Del Sur, com representantes da Argentina e Uruguai, e apresentou-se na Dinamarca e nos Estados Unidos.

Assinou e dirigiu os projetos "Cordas à Solta", com destacados representantes das cordas brasileiras, "Alô Bateria", ressaltando a bateria harmônica brasileira, "Canção sem Fronteiras", com artistas argentinos e brasileiros, "O Samba Mandou me Chamar", homenageando grandes compositores do gênero, "Música do Estado de Tocantins", show apresentado em Paris na mostra Ano do Brasil na França, entre outros.

Em 2006, lançou os CDs "Glow", em parceria com Jane Duboc e Vinícius Dorin, e "América", em parceria com o pianista porto-riquenho Edsel Gomes. Tocando violão 7 cordas, violão 12 cordas, guitarra, baixo, piano e bateria, lançou, nesse mesmo ano, o CD "Foto do satélite", contendo suas composições "Vestido longo (Samba donateado)", "Luizinha", "Brincadeira de criança", "Tidinho (Samba de santista)", "Cadê a Marreca", "Mana (Tema espontâneo)", "Tira a mão de mim (Ô sorte!)", "O filme", "Serena", "Conversa de músico", "Caiçara", "Peixada da Lola", "Varandão", "Terça às treze", "A gueixa (Clima de Canal 100)" e a faixa título. O disco contou com a participação dos músicos Alex Buck (bateria), Pepe Rodrigues (piano), Dominguinhos (acordeom), Léa Freire (flauta), Michel Leme (guitarra), Daniel D’Alcantara (trumpete e flugelhorn), Edu Ribeiro (bateria), Léa Freire (flauta), lex Buck (bateria), Lito Robledom (baixo acústico), Nailor "Proveta" (clarinete e sax alto), Silvia Góes (piano), Thiago Espirito Santo (baixo e craviola), Vinicius Dorin (sax soprano, sax tenor e sax barítono) e Zezinho Pitoco (zabumba, triângulo e caxixi), e das cantoras Jane Duboc e Bia Góes.

Em parceria com a cantora Jane Duboc, lançou, em 2007, o CD “Uma porção de Marias”, contendo as canções “Rosa Morena”, “Maracangalha” e “Marina”, todas de Dorival Caymmi, “Doralice” (Dorival Caymmi e Antonio Almeida), “Maria” (Luiz Peixoto), “Pra machucar meu coração” (Ary Barroso), “Emilia” (Wilson Batista e Aroldo Lobo), “Adeus América” (Wilson Batista e Geraldo Jacques), “Maria Moita” (Carlos Lyra e Vinicius de Moraes), “Ai que saudade da Amélia” (Mario Lago e Ataufo Alves) e “Último desejo” (Noel Rosa).

Tem como marca registrada a maneira singular de compor, as harmonias inusitadas, o ritmo e a criatividade.

Tocando piano, baixo, violão de sete cordas, guitarra e bateria, lançou, em 2012, o CD “Alegria nos dedos”, contendo exclusivamente 15 temas de sua autoria: “Turmalina”, “Sonhando acordado”, “Mais querida”, “Haikai”, “Debaixo do cajueiro”, “Água da Serra”, “Marjoriana”, “Valsa curitibana”, “Gafifa”, “Samba pra ti”, “Boa viagem”, “Vidão”, “La Isla”, “Santos x Corinthians” e alegria nos dedos. O disco contou com a participação de Vinicius Dorin (sax alto em “Turmalina”, “Vidão” e “La islã”), Léa Freire (flauta em “Mais querida” e “Valsa curitibana”), Dominguinhos (acordeom em “Debaixo do cajueiro”), Bia Goes (voz em “Água da Serra”), Serginho Coelho (trombone em “Marjoriana”), Thiago do Espírito Santo (guitarra em “Alegria nos dedos” e baixo em “Santos x Corinthians”) e Daniel D'Alcântara (trompete em “Gafifa”).

Mais visitados
da semana

1 Mayck e Lyan
2 Gilberto e Gilmar
3 Aldir Blanc
4 Adelmário Coelho
5 Tiee
6 Rick e Renner
7 Música Sertaneja
8 Hermeto Pascoal
9 Cacaso
10 Noel Rosa