Busca:

Antônio Marcos

Antônio Marcos Pensamento da Silva
8/11/1945 São Paulo, SP
5/4/1992 São Paulo, SP

Não deixe de ver:

Dados Artísticos

Iniciou cantando em programas de calouros e, através de sua participação em programas de auditório, tornou-se conhecido no meio artístico. De 1960 a 1962, destacou-se no programa de Estevam Sangirardi, cantando, tocando violão e fazendo humorismo. Em 1966, convidado por Ramalho Neto, gravou, com o conjunto Os Iguais, o compacto simples "A partida" e "Quero te dar meu coração", pela RCA. Logo tornou-se solista, emplacando o sucesso "Tenho um amor melhor que o seu", de Roberto Carlos e Erasmo Carlos. Em 1967, gravou pela RCA um compacto simples e outro duplo, no qual constava a música "Tenho um amor melhor que o seu", de Roberto e Erasmo Carlos, música que vendeu mais de 300 mil cópias, sendo um de seus maiores sucessos. Também nesse ano, integrou o coral Golden Gate e atuou no Teatro de Arena como ator-cantor nas peças "Pé Coxinho" e "Samba contra o dólar", ambas de Moraci do Val. Investindo na carreira solo, no mesmo ano lançou o compacto simples "Perdi você" e "A história de alguém que amou uma flor", pela RCA. No mesmo ano, lançou, pela mesma gravadora, o seu primeiro LP, no qual reapareceria a música ""Tenho um amor melhor que o seu", de Roberto Carlos e Erasmo Carlos. Nesse período, com a Jovem Guarda em evidência, gravou doze álbuns solo, obtendo, entre outros, sucessos como "Oração de um jovem triste" e sua composição, em parceria com Mário Marcos, "Como vai você", música bastante executada nas rádios. Em 1968 inscreveu-se no Festival da Record concorrendo com 4 músicas, "Com tristeza e sem poesia", "Canção a Estela", "Estrela triste", com Mário Marcos e "Poema de mim", com Osmar Navarro. Prosseguindo também sua carreira de ator, foi dirigido, em 1969, por Augusto Boal, no espetáculo "Arena conta Zumbi", no Teatro de Arena. Nesse ano, foi protagonista de uma novela da extinta Tupi, "Toninho on The Rocks". No ano seguinte, atuou em "Hair", peça norte-americana de grande sucesso, dirigida e montada no Brasil por Altair Lima. No mesmo ano, estrearia no cinema, atuando no filme de J. B. Tanko, "Pais quadrados... Filhos avançados". Nos anos seguintes, participaria em outros filmes, entre os quais "Som, amor e curtição" (1972). Entre seu maiores sucessos, na década de 1970, estão "O homem de Nazaré", de Cláudio Fontana(74) e "Oração de Um Jovem Triste" (75), cujos compactos venderam, cada um, 500 mil exemplares, além de "Como vai você", gravada por Roberto Carlos, e que vendeu mais de 700 mil discos nos anos 1960. Em 1971, Roberto Carlos gravou, no LP "O inimitável", o sucesso "Nunca mais eu vou deixar você tão só". Em 1972, Roberto Carlos gravou "Como vai você", de Antônio Marcos em parceria com Mario Marcos, que se tornaria um dos grandes clássicos da canção popular brasileira. Identificado como ídolo da Jovem Guarda, ao longo da sua carreira, gravou oito Lps em português e quatro em espanhol. Em 1991, teve de cancelar o projeto de gravar no seu novo disco "Imagine", de John Lennon, pois não obteve permissão de Yoko Ono. O LP acabou não sendo lançado devido à falência da gravadora Esfinge, a qual estava vinculado. A última música gravada por Antonio Marcos foi "Por Amor" (91), versão para "Unchained Melody", tema do filme "Ghost". Morreu precocemente, em 1992, devido a uma cirrose hepática provocada pelo alcoolismo crônico. Após seu falecimento, foram lançadas em CD duas coletâneas. Em 2005, sua música "Como vai você" foi incluída na trilha sonora do filme "Os 2 filhos de Francisco", de Breno Ferreira que contou a história de Zezé di Camargo e Luciano. Para fazer parte da trilha sonora do filme, foi feita uma mixagem com a sua voz da gravação original de 1973, a qual foram sobrepostas em estúdio as vozes de Zezé di Camargo e Luciano. A cena em que a canção é interpretada inteira, pelo improvisado trio, é estrelada pelo ator e pela atriz Paloma Duarte, numa visível homenagem a Antônio Marcos, também ídolo de Zezé di Camargo. Em 2006, "Como vai você" foi gravada por Hebe Camargo em seu disco "Pra Você". Também no mesmo ano, o cantor Toni Platão gravou "Eu não vou mais deixar você tão só" no CD "Negro amor". A música foi interpretada com nova roupagem em diversos shows no circuito carioca. Em janeiro de 2007, a cantora Aretha, filha do casamento de Antônio Marcos com a cantora Vanusa, comemorou os 60 anos do nascimento do pai, na casa de shows Mistura Fina, na zona sul do Rio de Janeiro, em ritmos variados, passando do samba à bossa nova e o jazz. Em 2008, foi lançado pela Som Livre o CD "Antônio Marcos em foco - Os grandes sucessos de Antônio Marcos", que incluiu seis pot-pourris com seus sucessos e mais oito interpretações inteiras. Estão presentes no CD as composições "Como vai você", com Mário Marcos; "Você pediu e eu já vou daqui", com Zairo Marinoso; "Por que chora a tarde", com Gabino Correa; "Olhai por nós", com Eunice Barbosa e D' Carlo; "Sonhos de um palhaço" e "Cara a cara", com Sérgio Sá; "Sombras num quarto de Londes", com Mário Marcos; "Pensando bem" e "Minha namorada", com Cláudio Fontana, além de "Eu não vou mais deixar você tão só"; "Menina de trança"; "O que restou de mim", e "Quando a esperança vai embora", apenas de sua autoria. Estão incluídas ainda suas interpretações para "Todo sujo de batom", de Belchior; "O homem de Nazaré", de Cláudio Fontana, e para o clássico bolero-sertanejo "Boneca cobiçada", de Bolinha e Biá.

Mais visitados
da semana

1 Elis Regina
2 Ronaldo Bôscoli
3 Noel Rosa
4 Irmãs Galvão
5 Caetano Veloso
6 Isolda
7 César Camargo Mariano
8 Chitãozinho e Xororó
9 Tom Jobim
10 Luiz Gonzaga