Busca:

Antonio Cícero

Antonio Cícero Correia Lima
1945 Rio de Janeiro, RJ

Biografia

Poeta. Letrista. Filósofo. Escritor. Filho do economista Evaldo Correia Lima, um dos fundadores do Instituto de Estudos Brasileiros e diretor do BID (Banco Internacional de Desenvolvimento). Por conta da atividade de seu pai, morou em Washington na adolescência. Irmão da cantora e compositora Marina Lima. Formado em Filosofia pelo Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da UFRJ, continuou seus estudos no exterior, tendo feito cursos de pós-graduação na University College London, em Londres, e na Georgetown University, nos Estados Unidos, onde estuou grego e latim. Em 1982 particpou como ator, contracenando com Caetano Veloso, do filme "Tabu", de Júlio Bressamne. Entre os anos de 1991 e 1992, em colaboração com o poeta e professor de filosofia Alex Varella, coordenou os cursos de Estética e Teoria das Artes do Galpão do Museu de Artes Moderna (MAM) do Rio de Janeiro. No ano de 1993 com Wally Salomão concebeu e dirigiu o projeto "Banco Nacional de Ideias" recebendo intelectuais brasileiros e estrangeiros, entre os quais João Cabral de Mello Neto, Caetano Veloso, Haroldo de Campos, John Ashbery, Derk Walcott, Richard Rorty, Tzvetan Todorov, Hans Magnus Enzensbergr, Peter Sloterdijk, Ernest Gellner, Bento Prado Júnior e Carcy Ribeiro. Em 1994, em parceria com o poeta Wally Salomão, lançou o livro "O Relativismo Enquanto Visão do Mundo" (Editora Francisco Alves). No ano de 1995 publicou pela editora carioca Francisco Alves "O mundo desde o fim", seu único livro de filosofia no qual discutia o conceito de modernidade. Em 1996 lançou o volume de poesias "Guardar" (Editora Record). No ano seguinte  venceu o "Prêmio Nestlé de Literatura" na categoria "Estreante" com o livro. Em 2001 teve poemas incluídos na antologia "Os Cem Melhores Poemas Brasileiros do Século XX", organizada por Ítalo Moriconi, publicada pela Editora Objetiva. No ano de 2002 publicou o livro de poemas "A cidade e os livros" (Editora Record). No ano seguinte, em colaboração com o poeta Eucanãa Ferraz, a "Nova Antologia Poética de Vinicius de Moraes", pela Editora Companhia das Letras. Em 2005 publicou o livro de ensaios sobre poesia e artes "Finalidades sem fim" (Editora Companhia das Letras), participou, como palestrante, de vários ciclos de conferências organizados por Adauto Novaes, publicadas nos livros "Holderlin: O destino do homem" (Editora Companhia de Letras, 2005) e "O Silêncio dos Intelectuais", editada pela Companhia de Letras no ano de 2006. Em 2007 apresentou-se em Lisboa (Portugal) na palestra "Da Atualidade do Conceito de Civilização", no encontro "O Estado do Mundo", organizado pela Fundação Gulbenkian. Sua palestra foi publicada neste mesmo ano em Lisboa e na Inglaterra. No ano seguinte pronunciou palestra no "Congresso Internacional Fernando Pessoa", em Lisboa, também publicada em Portugal. Em 2009 sua palestra "O Ser Humano e o Pós-Humano" foi publicada pela Editora Agir no livro "Mutações: A Condição Humana", organizado por Adauto Novaes. Em 2010 ministrou o curso "Poesia e Letra de Música". Publicou em parceria com o artista plástico Luciano Figueiredo o livro "Sombras: pintura, cinema e poesia" (+ 2 Editora). Neste mesmo ano seu texto "A Razão Niilista" integrou a coletânea de texto intitulada "Mutações: A Experiência do Pensamento", organizada por Adauto Novaes e publicada pelo SESC São Paulo. No ano de 2011 fez a curadoria do ciclo de palestras "Forma e Sentido Contemporâneo", no Centro Cultural Ôi Futuro, no Rio de Janeiro, no qual recebeu José Miguel Wisnik (Doutor em Literatura Portuguesa e ensaísta paulista), Tzvetan Todorov (Linguísta e ensaísta bulgaro), Michel Degug (poeta francês) e Marjorie Perloff (crítica literária norte-americana). Neste mesmo ano foi entrevistado por Ricardo Cravo Albin no programa "Agora no Ar!", da Rádio Roquette Pinto 94.1 FM, falando sobre sua vida e obra literária. Sobre sua obra foram publicadas várias dissertações de mestrado e teses de doutorados, entre as quais "Do Princípio às Criaturas" (Noemi Jaffe - USP/2008) e "Antonio Cícero", de Alberto Pucheu (UFRJ/ 2010). Em 2012 lançou o livro "Poesia e Filosofia", pela Coleção Contemporânea, da Editora Civilização Brasileira, na Livraria Argumento, no Leblon, Zona Sul do Rio de Janeiro. Na ocasião, foi um dos debatedores sobre o tema, ao lado de Caetano Veloso e Francisco Bosco. Neste mesmo ano, na Livraria Travessa, em Ipanema, Zona Sul do Rio de janeiro, lançou o livro de poemas "Porventura". Teve poemas publicados em antologias em Portugal, Espanha e México. No ano de 2017 foi eleito membro da Academia Brasileira de Letras (com 30 votos dos 39 possíveis) na vaga de Eduardo Portella, Cadeira 27, que teve como primeiro ocupante e fundador da instituição Joaquim Nabuco. No ano seguinte, em 2018, tomou posse da Cadeira, com um discurso do qual destacamos o seguinte trecho:    "Um poeta que acredita que todos os poemas ou todos os textos se equivalem - por exemplo, que tudo é relativo ao gosto da pessoa que julga - não tem porque produzir uma obra nova. Pois bem, o cânone pretende ser o conjunto das obras modelares, exemplares, imortais. Ele é tanto mais perfeito quanto mais perto disso chegar."   Entre seus livros mais conhecidos estão "O mundo desde o fim" e "A poesia e a crítica".

Mais visitados
da semana

1 Luiz Gonzaga
2 Eumir Deodato
3 Noel Rosa
4 Chico Buarque
5 Assis Valente
6 Dorival Caymmi
7 Tom Jobim
8 Lupicínio Rodrigues
9 Romildo
10 Caetano Veloso