Busca:

Aloysio Figueiredo

Aloysio Figueiredo Cerqueira
23/12/1919 Cajurú, SP

Dados Artísticos

Iniciou a carreira artística em 1941, na Rádio Cultura de São Paulo. Mudou-se depois para o Rio de Janeiro onde deu seqüência à sua carreira artística tendo atuado como chefe de orquestras e conjuntos, e instrumentista participando de gravações e acompanhamentos de cantores e cantoras além de apresentações em boates cariocas. Em 1953, seu samba canção "Pertinho do céu", com Nelson Figueiredo, foi gravado por Alda Perdigão na RCA Victor. Nesse ano, começou a gravar pela Copacabana registrando com seu conjunto o baião "Rebeca", de David Raw e Victor Simon, a valsa "Roda, roda, roda", de Jair Gonçalves, o paso doble "Amor sem Sevilha", e o baião "Cocoró-cocó", ambas de sua autoria e Nelson Figueiredo, e com seu conjunto e coro, o baião "Cai chuva!", de sua autoria, Betinho e Nelson Figueiredo, e o choro "Quarto centenário", de sua autoria. No ano seguinte, o samba choro "Santo Amaro", com Nelson Figueiredo, foi gravado na RCA Victor por Heleninha Costa. Também em 1954, gravou os baiões "Uma casa portuguesa", de Reinaldo Ferreira, Vasco M. Siqueira e Artur Fonseca, "Beija flor", de sua autoria e Nelson Figueiredo, e "Baião do presidente", de Hervê Cordovil, além da valsa "Gigi", de Florence Veran e Rochele Thoreau, do choro "Avenida São João", de Júlio Nagib, do fox "Risonho", de sua autoria e Nelson Figueiredo, do tango "Daqui não saio", de Paquito e Romeu Gentil, e da marcha carnavalesca, grande sucesso na época, "Sacarrolha", de Zé da Zilda, Zilda do Zé e Valdir Machado, adaptada para um ritmo de tango. Para o ano de 1955, lançou com seu conjunto a canção "Maringá", de Joubert de Carvalho, em ritmo de tango com arranjos seus, o fox "Sonhando com você", com Nelson Figueiredo, o "Mambo italiano", de Bob Merril, e a rumba "Marrequinha", de Dênis Brean e Raul Duarte. Em 1956, lançou pela gravadora Copacabana o LP "Carnaval no tango - Aloysio e Seu Acordeom com Orquestra" interpretando os sambas "Exaltação à Mangueira", de Enéas Brites da Silva e Aloísio Augusto da Costa, "Ressurreição", de Blecaute, "Quem sabe sabe", de Jota Sandoval e Carvalhinho, "Fala Mangueira", de Milton de Oliveira e Mirabeau, "Vai que depois eu vou", de Adolfo Macedo, Zé da Zilda, Zilda do Zé e Airton Borges, e "Passarinho", de Herivelto Martins e David Nasser, além da marcha "Turma do Funil", de Mirabeau, Milton de Oliveira e Urgel de Castro. No mesmo ano, adaptou os sambas "Obsessão", de Mirabeau e Milton de Oliveira, e "Quem sabe, sabe", de J. Sandoval e Carvalhinho, para tangos e os gravou com seu conjunto. Gravou também a "Dança slava", de Dvorak, que com adaptação sua e de Francisco Magno virou o bolero "Dança do amor", e o beguine "Lisboa antiga", de Raul Portela , José Galhardo e Amadeu do Vale. Também em 1956, gravou ao acordeom com acompanhamento de sua bandinha os clássicos "No tabuleiro da baiana", de Ary Barroso, e "Não tenho lágrimas", de Max Bulhões e Milton de Oliveira, ambos adaptados para maxixes. Em 1957, dirigiu o Conjunto Cave, da Boate Cave, acompanhando o cantor Almir Ribeiro na gravação do LP "Uma noite no Cave - Almir Ribeiro". Nesse disco, no qual tocou acordeom e piano, foram gravadas duas composições de sua autoria: o samba "Fui eu", parceria com Nelson Figueiredo, e o samba-canção "Sempre teu", parceria com Edson Borges. No mesmo ano, lançou pela gravadora Copacabana o LP "Sonhando com você" que incluiu músicas de sua autoria como "Sonhando com você", parceira com Nelson Figueiredo e Moacir Peixoto, e "Fui eu", com Nelson Figueiredo, clássicos como "Ave Maria", de Vicente Paiva e Jaime Redondo, e "Evocação", de Nelson Ferreira, além de sucessos internacionais como "Me lo dijo Adela", de O. Del Portal, "Without my lover", de M. P. Gerard, B. Michel e P. Guitton, e "Only you", de B. Ram e A. Rand. Ainda em 1957, lançou mais um LP "Aloysio e seu acordeom" no qual interpretou em solos de acordeom os tangos "Carlos Gardel", e "Hoje quem paga sou eu", ambos de Herivelto Martins e David Nasser, os choros "Mexidinho", com Nelson Figueiredo, e "Sensação", de sua autoria, os baiões "Cocoré-cocó", e "Beija-flor", ambos com Nelson Figueiredo, a marcha "Quarto centenário", de sua autoria, e a rumba "Marrequinha (Na rumba)", de Denis Brean e Raul Duarte. Lançou também em interpretação solo ao acordeom o samba "Muito bem! ...(Como vai?), de Arrelia, Manoel Ferreira e Antônio Mojiga, e o rock "Rock around the clock", de Freedman, com arranjos seus. Em 1958, teve o samba "No meio da noite", com José Marques da Costa, gravado por Almir Ribeiro. No mesmo ano, gravou com seu conjunto o calipso "Lábios de fogo", de Lee e Washington, com versão de Jairo Júnior, e o samba "Nasceu um samba", de sua autoria e Nelson Figueiredo, e em solo de acordeom com seu conjunto e coro, as valsas "Lampião de gás", de Zica Bergami, e "Nas ondas do mar", de domínio público com adaptação e arranjos seus. No ano seguinte lançou o LP "Sonhando com você - Nº 2 - Aloysio ao Acordeom, Piano, Órgão, Celeste e Conjunto" interpretando "Viva meu samba", de Billy Blanco, "I believe", de E. Drake, I. Graham, J. Shirl e A. Stillman, "Meu mundo caiu", de Maysa, "Night and day", de Cole Porter, "Perfil de São Paulo", de Francisco de Assis Bezerra de Menezes, e "Sorriso cristalino", "Mais brilho nas estrelas", "Felicidade ligeira", e "Somente você", parcerias suas com Nelson Figueiredo, além dos clássicos "Pastorinhas", Noel Rosa e João de Barro, "Folha morta", de Ary Barroso, e "Conversa de botequim", de Noel Rosa e Vadico. Também em 1959, lançou o LP "Aloysio apresenta Belmonte" no qual interpretou com seu conjunto as músicas "Isto é mambo", de sua autoria e Nelson Figueiredo, "Ilha de Capri", de W. Grosz e A. del Valle, "Fire dow below", de L. Lee e N. Washington, e a clássica "Lampião de gás", de Zica Bergami. Ainda nesse ano lançou um disco solo em 78 rpm intitulado "Aloysio e seus teclados" no qual interpretou em ritmo de tango a marcha "Me dá um dinheiro aí", de Ivan Ferreira, Homero Ferreira e Glauco Ferreira, e o slow "Sweetly (Docemente)", de Hervê Cordovil e Renê Cordovil. Em 1960, gravou o LP "Bon Voyage - Aloysio e seus teclados", disco no qual contou com as presenças dos cantores Nelson Figueiredo e Odysséa que interpretaram músicas que eram apresentadas pelo maestro na famosa boate "Bom Voyage" como "Sweetly (Docemente)", de Hervé Cordovil e René Cordovil, "The dream of Olwen", de C. Williams, "Moonglow", de Hudson, DeLange e Mills, "Agora é cinza", de Alcebíades Barcelos "Bide" e Armando "Marçal", "A felicidade", de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, "E a chuva parou", de Ribamar, Esdras Pereira da Silva e Victor Freire, "Escale a Victoria", de Varel e Bailu, e "Alguém como tu", de Jair Amorim e José Maria de Abreu, todas com interpretação orquestral, além de "Homem moderno" e "Tá compreendido", parcerias suas com Nelson Figueiredo, interpretadas por Nelson Figueiredo, e "Só saudade", de Calixto de Paula Acle, e "Ódio", de sua autoria e Nelson Figueiredo, interpretadas pela cantora Odysséa. Ainda em 1960, lançou o LP "Encontro às 9 com Aloysio - Aloysio e Seu Conjunto" no qual foram interpretadas as músicas "A voz do morro", de Zé Kéti, "Minha impaciência", de Hervé Cordovil, "Bahia com H", de Denis Brean, "Faceira", de Ary Barroso, "Inquietação", de Ary Barroso, "Mack the knife", de Kurt Weill e Bertold Brecht, "Ebb Tide", de R. Maxwell e C. Sigman, "Body and soul", de Green, Heyman, Sour e Eyton, "Summertime", de George Gershwin e D. Heyward, "Deep purple", de Parish e De Rose, e "O samba é assim", com Nelson Figueiredo.

Em 1961, acompanhou com seu conjunto a cantora Marisa Barroso no LP "Cantigas de enganar o tempo" no qual teve gravadas as músicas "Felicidade ligeira", com Nelson Figueiredo, e "Ternura perdida", com Iná Monjardim. No mesmo ano, gravou com seu conjunto a canção "Ebb tide", de Robert Maxwell e Carl Sigman, o samba "Faceira", de Ary Barroso, o fox "Greenfields", de Terry Gilkyson, Richard Deyer e Frank Miller, e o bolero "Aqueles ojos verdes", de Nilo Menendez e Adolfo Utrera. Ainda em 1961, gravou com seu conjunto e coro com canto de Victor Rafael o fox "Folhas verdes do verão", de D. Tiomkim e P. F. Webster, e com seu conjunto e coro o samba "Quando a noite acontece", de Victor Rafael, Henrique Lobo e Fred Jorge. Em 1962, lançou dois LPs pela gravadora Copacabana. No primeiro, "O melhor para dançar - Flauta e órgão" no qual interpretou em dueto com o flautista Altamiro Carrilho as composições "Melodia in F", de A. Rubinstein, "Jalouise", de J. Gade, "Mulata assanhada", de Ataulfo Alves, "Around the world", de V. Young e H. Adamson, "O barquinho", de Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli, "Meu destino em suas mãos", de Nello Nunes e Lúcio Cardim, "Palhaçada", de Haroldo Barbosa e Luis Reis, "Never on Sunday", de Hadjiakis e Larue, "Per omnia saecula saeculorum amen", de Miguel Gustavo, "Frenesi", de Alberto Dominguez, "Poema das mãos", de Luis Antônio, e "Caravan", de Mills, Duke Ellington e Tizol. O segundo LP se chamou "Na ciranda do samba - Aloysio e seu conjunto" no qual foram interpretados os sambas "Chorando chorando", de Armando Cavalcanti e Édson Borges, "Tamanco no samba", de Orlann Divo e Hélton Menezes, "Chorou", de Djalma de Carvalho e Cacau, "Maria Mária Mariá", de Billy Blanco, "Lamento bebop", de Luis Reis e Haroldo Barbosa, "Meu nome é ninguém", de Luis Reis e Haroldo Barbosa, "Liberdade demais", de Mariano Filho e Hélio Nascimento, "A lavadeira", de Herivelto Martins, "Influência do jazz", de Carlos Lyra, "Mandrake", de sua autoria, "Mundo vazio", com Djalma de Carvalho e Cacau, e "Confissão", de Djalma Ferreira e Luis Bandeira. Ainda em 1962, participou do LP "Noel Rosa vinte anos depois", uma homenagem ao compositor Noel Rosa por ocasião dos vinte e cinco anos daquele que ficou conhecido como "O Poeta da Vila" e no qual interpretou com seu conjunto a marcha rancho "As pastorinhas", de Noel Rosa e Braguinha. Em 1964, participou como solista do LP "Balada do amor sublime - Orquestra das Américas - Solista: Aloysio" no qual foram interpretadas as músicas "Balada do amor sublime", de Luis Vieira, "Blue star", de E. Heyman e V. Young, "The high and the mighty", de N. Washington e D. Tiomkin, "Vola colomba", de Carlo Concina e B. Cherubini, "Tudo de mim", de Jair Amorim e Evaldo Gouveia, "Estou só outra vez", de Moacir Silva e Luciana, "Quando quando quando", de T. Renis e A. Testa, "O gato da madame", de Armando Nunes e Carim Mussi, "Procuro alguém", de Antônio Bruno, "Amor que é meu viver", de Washington Marinho e Maria de Lourdes, "Meu bem", de Getúlio Macedo, e "É você não dizia nada", de Hélio Sindô, José Saccomani e Jorge Martins. Em 1968, lançou de forma independente o LP "Aloysio toca para você" interpretando "Garota de Ipanema", de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, "Disparada", de Theo de Barros e Geraldo Vandré, "Destino de andar", de sua autoria, "Primavera", de Vinicius de Moraes e Carlos Lyra, "Máscara negra", de Zé Kéti e Pereira Matos, "Apelo", de Vinicius de Moraes e Baden Powell, "Carolina", "A banda", e "Quem te viu e quem te vê", de Chico Buarque, "Azul contente", de Walter Santos e Tereza Souza, "Nosso mal", de Nilton Luis e Odilon Araújo, e "Caderninho", de Olmir Stocker "Alemão". Em 1991, juntamente com Nelson Figueiredo lançou o LP "Nossas músicas, nossas letras - Aloysio Figueiredo e Nelson Figueiredo" no qual foram registradas doze músicas de sua autoria em parceria com Nelson Figueiredo: "Homenagem a Maradona", "Se um não quer", "Eu e o mar", "Lago Esmeralda", "Relógio", "O seu direito (Oh meu)", "Pantanal", "Momento de ternura", "Romance de amor", "Samba de feirante", "Ódio", e "Beija-flor". Gravou mais de dez LPs pela gravadora Copacabana, além de 19 disco em 78 rpm tendo deixado seu nome marcado na História da Música Popular também como arranjador e instrumentista além de ter atuado com sucesso em boates como Cave e Bom Voyage, entre outras.

Mais visitados
da semana

1 Acyr Marques
2 Geraldo Pereira
3 Caetano Veloso
4 Dorival Caymmi
5 Pixinguinha
6 Nelson Cavaquinho
7 MC Sapão
8 Hermeto Pascoal
9 Francisco Mignone
10 Tom Jobim