Busca:

Alberto Miranda



Dados Artísticos

Iniciou a carreira artística nos primeiros anos da década de 1950. Em 1955, segundo o jornal Correio da Manhã, "realizou apresentações no Uruguai". Estreou em discos em 1956, quando lançou pelo selo Repertório duas composições natalinas a valsa "Feliz Natal", de Dempson Mesquita, e o samba "Ano Novo", de Dempson Mesquita e Samuel Rosemberg. No mesmo ano, gravou na Polydor o samba "Ela Não Sabe", e o fox "Francesa Ou Não Francesa", ambas de Pedro Rogério e Lombardi Filho, com acompanhamento de Enrico Simonetti e sua orquestra. Em 1957, pelo selo Repertório, gravou os sambas "Amei Demais", de Nelson Rivera, Benedito Santos e William Duba, e "Castigo", de Manoel Francisco, Almeidinha e Alberto Sabatini, e as marchas "Marcha Do Lotação", de Nelson Rivera, Benedito Santos e Édson Santana, e "Marcha Do Sultão", de Almeidinha, Alberto Sabatini e Tito Mendes. No mesmo ano, pelo selo Ritmos, lançou a marcha "Farrapo", de Tito Mendes, Carlos Marques e E. Celestino, e o samba "Castigo", de E. Celestino, Bucy Moreira e Waltamir Goulart. Também nesse ano, teve o bolero "Ansiedade", com Osvaldo Rosa, gravado por Cláudio Lemos, pela Sinter. Em 1960, pelo selo Serenata gravou os boleros "Manchetes", de Miguel Ribeiro e Miguel Lima, e "Dá-me O Teu Beijo", de Elizário Teixeira e Claudionor Santos, e os sambas-canção "Parabéns Ao Papai", de Miguel Lima e Miguel Ribeiro e "Talvez", de Célio Ferreira e Sá Rego. Em 1961, pelo selo Variety, gravou os sambas "Samba Original" e "Não Chores Pequena", ambos de A. Amaral. Em 1962, com o instrumentista e líder de conjunto Ladico lançou pela gravadora Beverly o LP "Eterno poema - Alberto Miranda e Conjunto / Ladico e Seu Conjunto", com as músicas "Rock do Solfejo", de Ladico e J. Oliveira, "Amor Particular", "Samba Original", "Inesquecível amor", "Não Devo Amar", "Não Chores Pequena" E "Fim de Amor", DE A. Amaral, "O Mérito do Perdão", de Álvaro de Aquino, "A Ti Pertence Esta Melodia", "Prefiro a Saudade" e "Dance Comigo Querida", de Osvaldo Rosa, e "Eterno Poema", de Gadé e A. Amaral. Afastou-se algum tempo da música e retornou aos discos em 1993, quando lançou de forma independente o LP "Canção para Gabi", apenas com músicas de sua autoria, sendo "Canção Para Gabi" e "O Branco Aceno do Adeus", de autoria solo, "        Depois de Tanto Tempo", "Nem Tu Nem Eu", "Gira Gira", "Balada do Amor Solidão" e "Vereda Azul" e "Amendoeiras Em Flor", com Osvaldo Rosa, "Só Mesmo Quem Visse" e "Porre Federal", com Genilson Gonzaga, "O Mundo de Nós Dois", com Lombardi Filho, e "Desinteressadamente", com Ison Lago. Em 1999, pela gravadora Acoustic, lançou o CD "Falemos de nóis dois", com as músicas "Arrebenta Coração", "Falemos De Nós Dois" e "Sasha", de sua autoria, "Volta", com Haroldo Bessa, "Zum, Zum, Zum", "Se Tudo Que Passa", "Teu Jeitinho", "Intriga", "Desordenadamente" e "O Gaúcho", com Osvaldo Rosa, "Por Que Não Vens", com A. Amaral, e "Nossa Briga" e "Indecisão", com Olavo Santana, além de "Não Devo Amar", de A. Amaral. Gravou sambas e marchas carnavalescas, além de boleros, sambas-canção e outras composições românticas. Sua carreira, iniciada na década de 1950, continuou até o começo do século XXI.

Mais visitados
da semana

1 Luiz Gonzaga
2 Assis Valente
3 Festivais de Música Popular
4 Chico Buarque
5 Caetano Veloso
6 Tom Jobim
7 Hermeto Pascoal
8 Nelson Cavaquinho
9 Dorival Caymmi
10 Romildo