Busca:

Affonsinho

Affonso Heliodoro dos Santos Júnior
1960 Belo Horizonte, MG

Dados Artísticos

Na década de 1980, residindo no Rio de Janeiro, integrou como guitarrista a banda Hanoi Hanoi.

Em 1994, lançou o CD "Tudo certo?", contendo suas canções “Gentil loucura”, ”Madrugada”, “Afaga e afoga”, “A última vez que olhei o rio”, “O amor até sobra, só não dobra”, “A felicidade é o que se tenta” e “Tudo certo?”, todas com Chico Amaral, “Siren in the morning bay” (c/ Chico Amaral e Rodrigo Larese), “Fica assim mulher” (c/ Chico Amaral, Gilberto Diniz, Rodrigo Larese e Otávio Henrique), “Lobo louco” (c/ Amaury Ribeiro Jr.), “O horóscopo chinês”, “Prateleira” e ”Sair com você”, além de “Rapaz de quinze anos” (Chico Amaral). A faixa “A última vez que olhei o Rio" foi muito executada em algumas emissoras de rádio do Rio de Janeiro e São Paulo.

Em 2000, lançou o CD "Zum zum", com suas composições “Frank, Tate e eu” e “A última vez que olhei o Rio”, ambascom Chico Amaral, “Escândalos de luz”, “Coquinho”, “A mais bonita é você”, “Além da sua luz da lua”, “A felicidade ali, “Não vou ficar”, “Cadê você?”, “O amor não acaba pra quem é do bem”, “Violão e eu” e “Eu vou pra onde vai o amor”, além de “Rua Ramalhete” (Tavito e Ney Azambuja) e “Achar um coração” (Frederico Heliodoro). A faixa “O amor não acaba pra quem é do bem” contou com a participação de Fernanda Takai.

Em 2002, lançou o CD "Esquina de Minas - O som do barzinho. E do Affonsinho.", com as canções “Nada será como antes” e “Cravo e canela”, ambas de Milton Nascimento e Ronaldo Bastos, “Canção da América” e “Bola de meia bola de gude”, ambas de Milton Nascimento e Fernando Brant, “Paisagem da janela” (Lô Borges e Fernando Brant), “Amor de índio” (Beto Guedes e Ronaldo Bastos), “Naquele tempo” (Renato Corrêa e Mariozinho Rocha), “Para Lennon & McCartney” (Lô Borges, Fernando Brant e Márcio Borges), “Cantar” (Godofredo Guedes), “Chuva na montanha” (Fernando Oly), “Criaturas da noite” (Flavio Venturini e Luiz Carlos Sá), “Caçador de mim” (Sérgio Magrão e Luiz Carlos Sá), “Clube da esquina” (Milton Nascimento, Lô Borges e Márcio Borges) e “Quando te vi” (Meredith Wilson, vrs: versão: Ronaldo Bastos).

Lançou, em 2003, o CD “Esquina de Minas - Dois lados da mesma viagem", interpretando repertório de autoria dos compositores ligados ao Clube da Esquina: “San Vicente”, “Encontros e despedidas”, “Meu mestre coração” e “Roupa nova”, todas de Milton Nascimento e Fernando Brant, “Sonho real” e “O trem azul”, ambs de Lô Borges e Ronaldo Bastos, “Um girassol da cor do seu cabelo” e “Tudo que você podia ser”, ambas de Lô Borges e Márcio Borges, “Viola violar” (Milton Nascimento e Márcio Borges), “Fé cega, faca amolada” (Milton Nascimento e Ronaldo Bastos), “Clube da Esquina nª 2” (Milton Nascimento, Lô Borges e Márcio Borges), “Todo azul do mar” (Flavio Venturini e Ronaldo Bastos), “Lumiar” (Beto Guedes e Ronaldo Bastos) e “Manuel, o audaz” (Toninho Horta e Fernando Brant). Também nesse ano, participou do disco "Guiness Bossa Novíssima", do mineiro Pacífico Mascarenhas. O CD, que contou com outros artistas, como Marina Machado, Paula Santos, Renato Motha, Marilton Borges, Carla Villar, Sérgio Santos e Xande Mascarenhas, entrou para o "Guinness World Records" por reunir 60 composições.

Em 2004, sua gravação “Escândalos de luz” foi incluída no CD “Bar do Mineiro – Santa Teresa – Rio de Janeiro” lançado pela Dubas.

Lançou, em 2006, o CD "Belê", com suas canções “Aquela bossa axé” e “Beijo em videotape”, ambas com Ronaldo Basto, “Vagalumes”, “Nuvem boa”, “Gamado pelo samba”, “Belê”, “Borboletou” e “Estrelas de estrelas”, além de “Causa e efeito” (Leo Minax e Jorge Drexler), “Por aí” (Nei Lisboa), “Senza Fine” (Gino Paoli) e “Para El Dolor” (Ana Laan). O disco, produzido por Ronaldo Bastos e Leonel Pereda, contou com a participação de Sandra de Sá (na faixa “Gamado pelo samba) e dos músicos Alberto Continentino (baixo), Marcelo Costa (bateria), Jorjão Barreto (piano e Fender Rhodes), Sacha Ambak (teclados), Jessé Sadoc (flugelhorn) e Gauguin (violão). Nesse mesmo ano, interpretou César Prates na minissérie “JK” (Rede Globo).

Em 2009, lançou o CD “Affonsinho – Meu plano”, contendo suas composições “Reverie” (c/ Leo Minax), “Samba do carinho”, “Aproveitar a vida”, “Laura-Rá”, “Cê viu só?”, “Sal no café”, “O que eu guardei”, “Engano?”, “Enfeitiçado”, “Amor, clichê e flor”, “Picolé”, “Me esquece”, “Acordei feliz”, “Disco voador”, “Silêncio” e a faixa-título. O disco contou com a participação de Érica Machado (na faixa “Sal no café”), Vander Lee e Regina Souza (na faixa “O que eu guardei”), Grupo Amaranto (na faixa “Silêncio”) e dos músicos Ricardo Fiúza (piano Antonio), Loureiro (vibrafone), Frederico Heliodoro (baixo elétrico), Gustavo Monteiro (violão de 7 cordas e cavaquinho), Lincoln Cheib (bateria) e Gauguin (percussão).

Apenas acompanhando-se ao violão, lançou, em 2010, o CD “Voz e Viô”, com suas canções “Passa a bola!” (c/ Viviane Moreno), “Acontece que”, “Juntinho”, “Tchum”, “O marido e a Margarida”, “Queria saber”, “Jururu blue”, “Com ela, por ela”, “Agarra-pé” e “Já te falei”. Nesse mesmo ano, fez show de lançamento do disco na Modern Sound (RJ).  

Mais visitados
da semana

1 Geraldo Pereira
2 Dorival Caymmi
3 Noel Rosa
4 Caetano Veloso
5 Hermeto Pascoal
6 Tom Jobim
7 Jorge Goulart
8 Roberto Luna
9 Francisco Mignone
10 Pixinguinha