Busca:

Abel e Caim



Dados Artísticos

  Dupla sertaneja. Cantores. Compositores. José Vieira,  Abel - Itajobi, SP - 29/03/ 1929 - 12/01/2011 - Araçatuba-SP Sebastião Silva, Caim - Monte Azul Paulista, SP - 20/01/ 1944. Primos, os dois componentes da dupla cantaram juntos desde a infância. Sebastião iniciou carreira ainda menino, quando integrava o "Trio Mirim". Em 1955, o trio tinha um programa próprio na Rádio Clube de Marília, SP. Em 1956, José formou dupla com Xupim, apresentando-se na Rádio "A voz de Catanduva", também em São Paulo. Mais tarde, os dois primos começaram a cantar juntos e passaram a se apresentar na capital paulista. Atuaram no programa "Cidade sertaneja" da TV Cultura. Em 1966, foram premiados num torneio de violeiros. Nessa ocasião adotaram o nome artístico de Abel e Caim, por sugestão de Geraldo Meirelles. Gravaram o primeiro LP no ano seguinte, pela Chantecler. Destacaram-se naquele disco os sucessos "Desilusão de Dadá", "Santa Luzia", de Yolando Mondine e Dorival Teixeira e "Mãe amorosa", de Tanabil Aleixinho, sendo este o maior sucesso da dupla. Em 1968, gravaram um LP pela Chantecler, incluindo, entre outros, os sucessos "A bandinha", de Léo Canhoto, "Menino boiadeiro", de Tanabi  e "A natureza",  de Dino Franco. Em 1968, a dupla gravou pela Continental os sucessos "Derradeiro adeus", de Dino Franco e "Milagre do retrato", de Sulino e Pedro Calandro. Em 1970, lançaram outro LP já pela Tropicana, subsidiária da CBS. Daquele disco, destacaram-se "Arca de Noé", de Martins Neto e "Pretinho aleijado", de Teddy Vieira e Luizinho. Em 1972, gravou pela Continental um LP que incluía os sucessos "Chuva, sangue da terra", de Lourival dos Santos e Tião Carreiro, e "Triste ocorrência", de Jack e Abel. Muitos sucessos vieram: "O menino e o cachorro" de Dino Franco, "Adeus boiada", de Nestor e Zeca, "O barco", de Jack e Abel, entre outros. A dupla atua há 30 anos, continuando a cantar nas cidades do interior. Em 1994, lançaram seu primeiro álbum em formato de CD, "Som da terra", com as composições de Abel "Santa Luzia" (c/ Iolando Mondim), "O carona" (c/ Jack), "O fazendeiro e o diabo" (c/ Nelson Gomes) e "O barco" (c/ Jack), "Chuva de saudade", de Caim com Carlos A. Paschoalim, além de músicas de outros compositores, como "Mãe amorosa", de Tanabi e Alexinho, "Natureza", de Dino Franco, "Saudade", de Craveiro, "Pinha no pinheiro", de Geraldo Meirelles, e "Aquela ingrata", de Luiz de Castro e Tião Carreiro.  Em 1996, foi lançado o disco "Mãe amorosa", sendo a faixa títtulo o sucesso composto por Tanabi e Aleixinho. Em 1998, lançaram o CD "O barco", com músicas como "Cowboy universitário", de Cezar, Ed Cesar e Caim, "Homenagem a Catulo", de José Fortuna, "Às quatro da madrugada", de Dino Franco, "O barco", de Jack e Abel, "Galo índio", de Paiva, "Coisa mandada", de Jack e Abel, e "O menino e o cachorro", de Dino Franco e Caim.  Em 1999 e em 2001, respectivamente, lançaram dois CD, "Duas horas de amor" e "Amigo fiel". Em 2001, foi lançada uma coletânea de sucessos da dupla no  CD "Abel e Caim", da série "Seleção de Ouro". O disco destaca  interpretações da dupla para músicas de Zé Fortuna, como, "Orquestra da Natureza", em parceria com Dino Franco; "Ipê e o Prisioneiro", com Paraíso e "O menino e o cachorro", com Caim, entre outras, além de "Velhas Cartas"de Tonico e Zé Paioça, entre outros. Em 2005, pela Indie Records, gravaram o DVD ao vivo, "100% caipira". Em 2007, além de continuar a fazer apresentações em festas agropecuárias, rodeios e exposições, a dupla apresentou-se no programa "Viola minha viola" apresentado por Inezita Barroso na TV Cultura de São Paulo interpretando as modas "Doutor caipira", de Tomas e Abel, e "Vou buscar a menina", de Rei do Gado. No ano seguinte, participaram, dentre outros eventos importantes, da décima quarta edição da Semana Nenete de Música Caipira, realizada em Pirassununga (SP). Do evento, participaram artistas como Renato Teixeira, Mazinho Quevedo, As Galvão, Mococa & Paraíso e Zé Mulato & Cassiano. A dupla encerrou a trajetória com a morte de Abel em 12 de março de 2011, em Araçatua, SP. Aos 81 anos, José Vieira,  o Abel, esteve em coma desde o dia 29 de dezembro de 2010, vindo a falecer no dia 12 de março, no Hospital da Unimed de Araçatuba. Após cirurgia para substituição de prótese no fêmur, uma infecção bacteriana complicou o quadro clínico, levando-o ao óbito, segundo o filho Devair Vieira. Abel deixou a esposa Ana Maria de Souza Oliveira, cinco filhos (quatro do primeiro casamento), sete netos e um bisneto. A última apresentação da dupla foi no mês de setembro de 2010, na TV Aparecida. No dia 9 de março, foi cancelado show em Rio Claro e no dia 26 do mesmo mês: eles se apresentariam em General Salgado(SP).  O amigo e parceiro de dupla, Caim, lamentou a morte: "Foi uma vida de amigos e companheiros" e lembrou que em junho do mesmo ano, fariam 45 anos de dupla, com 400 músicas gravadas. Durante sua trajetória, a dupla, que gravou o primeiro disco após dois primeiros festivais, viajou com circos por todo o Brasil, cantando a moda caipira. Participaram de vários programas de TV, como o Viola, Minha Viola, de Inezita Barroso, entre outros. Entre os grandes sucessos: Santa Luzia, Mãe Amorosa, Natureza, O Barco, Orquestra da Natureza, O Menino e o Cachorro, Berrante Assassino, Laço do Boi Soberano, entre outros. No programa subsequente ao falecimento de Abel, Inezita Barroso prestou homenagem à dupla, recebendo o parceiro Caim no "Viola, minha viola" e repassando diversos momentos em que a dupla ali se apresentou.  

Mais visitados
da semana

1 Elis Regina
2 Ronaldo Bôscoli
3 Noel Rosa
4 Irmãs Galvão
5 Isolda
6 Caetano Veloso
7 César Camargo Mariano
8 Chitãozinho e Xororó
9 Tom Jobim
10 José Camillo